Baixe
aqui
seu
E-BOOK
x

Lua de mel: uma aventura em busca da Aurora Boreal

Por  |  0 Comentários


Os noivos Larissa e Ciro, apostaram em uma lua de mel pra lá de diferente, eles foram caçar auroras boreais no Pólo Norte, quer ver?

Larissa e Ciro são um casal aventureiro que ama viajar, e escolheram realizar juntos um dos maiores sonhos que tinham mesmo antes de se conhecer: ver a Aurora Boreal. “Como já casamos na praia com pé na areia, decidimos por um destino totalmente diferente do comum para a nossa Lua de Mel”, conta Larissa.

Depois do casamento, eles precisaram aguardar a chegada do mês de Fevereiro para voar em direção ao Polo Norte. O motivo da espera por esse mês específico? É uma das melhores épocas para se ver a Aurora Boreal com a paisagem totalmente coberta pela neve. “Chegamos em Oslo, capital da Noruega, e nos hospedamos no pitoresco hotel Scandic Holmenkollen, que fica no alto de um morro com vista para toda a capital e fica ao lado da maior rampa de salto olímpico de esqui. A arquitetura totalmente escandinava nos relembrou o “reino de Arendelle” (do filme da Disney “Frozen”, inspirado na Noruega), e também a influência dos povos Vikings sobre toda cultura local”, lembra a noiva.

Foram 3 dias na capital, explorando a cidade de metrô, ônibus e à pé, e aproveitando para fazer algumas fotos de “casamento na neve”! “Tudo lá é extremamente curioso para nós que vivemos em um país tropical… como chegamos perto das calotas polares, neste período o pôr do sol dura horas (e não minutos, como acontece aqui no Brasil), as pessoas andam carregando equipamentos de esqui por todos os lugares, existe uma pista de patinação gratuita no meio da cidade, e alguns pratos curiosos que valem a pena provar como steak de Rena, hambúrguer de Alce, e o bacalhau FRESCO, que é maravilhoso e totalmente diferente do bacalhau conservado no sal que chega em Portugal e no Brasil”, alerta Larissa.

Lua de mel no Polo Norte: ensaio dos noivos

Lembrando que os países nórdicos também são conhecidos por ter períodos totalmente sem sol durante o alto inverno, e por ter o sol eterno (sol da meia noite) durante o alto verão.


Leia mais

+Lua de mel pelo mundo: Bruna & Filipe

bg-divisoria

+ 10 destinos para uma lua de mel perfeita

bg-divisoria

+ 10 situações desconfortáveis que todos os noivos passam


Depois desses 3 dias, os noivos se uniram a um grupo organizado pelo “caçador de auroras” Daniel Japor, carioca que leva brasileiros há 10 anos para expedições de busca à aurora boreal pela Geotrip, e partiram de avião em direção as ilhas Loføten, arquipélago no norte da Noruega, localizado acima do círculo polar e em pleno Oceano Ártico, eleito pela Unesco como o arquipélago mais bonito do mundo. “Em uma das conexões em direção ao arquipélago, tivemos a experiência divertidíssima de viajar em um pequeno bimotor. Chegando Loføten ficamos em Svolvaer e compramos alguns equipamentos e roupas de neve que nos faltavam”.

Na manhã seguinte o casal acordou sob um sol lindo em um céu turquesa e com previsão de radiação que forma a aurora boreal chegando forte na Terra. O grupo pegou uma van e passeou pelas estradas com montanhas escarpadas e nevadas que se erguiam direto de dentro do mar, praias do oceano ártico com neve e areia, e no meio do caminho pararam no maior Museu Viking do mundo, no vilarejo de Borg. À noite, se deslocaram por mais ou menos meia hora, fugindo de toda e qualquer luz artificial dos vilarejos próximos, e enfim pararam para ver a primeira aurora boreal em um céu totalmente aberto e estrelado, com o leve verde da aurora refletindo na água do mar, o som das ondas quebrando na costa rochosa e centenas de montanhas nevadas ao redor.

“O meu marido colocou para tocar a música Yellow (Coldplay), “Look at the stars, look how the shine for you”, que tocou na nossa entrada do casamento, e foi impossível conter as lágrimas de empolgação e emoção daquele momento, simplesmente mágico, espetacular, indescritível… Ver a Aurora Boreal, é algo “divino”, parece algo que transcende o mundo físico.” – Larissa

Lua de mel no Polo Norte: aurora boreal

O grupo viajou por mais um dia de carro atravessando as Ilhas Loføten de norte a sul, com sol, fiordes e casinhas coloridas, até o vilarejo de Reine, considerado por muitos um dos mais belos e bucólicos cenários da Noruega e do mundo. “No fim desse belíssimo dia partimos de navio cruzeiro, batizado como Polarlys, viajando por 1 noite pelos fiordes congelados em direção à cidade de Tromsø, capital da aurora boreal na Escandinávia. O navio é um meio de transporte para os noruegueses, e não necessariamente algo turístico, mas é super confortável, possui cabines com suíte, bares, restaurantes e também um deck aberto e escuro para observação da aurora boreal”.

Chegando em Tromsø se hospedaram no hotel Scandic, ao lado do porto, onde ficamos por mais 2 dias. Nesses dias o casal aproveitou para pegar um passeio de trenó puxado por Huskies do ártico. Com orientações rápidas no início do passeio, cada casal “dirige” o seu próprio trenó, puxado por 6 Huskies pelas paisagens entre as montanhas, terminando em um pequeno chalé aquecido com café e chá quentinhos. À noite, partiram em direção a uma Ilha a noroeste de Tromsø, e em Kvaloya onde viram uma explosão de cores e movimentos da Aurora boreal no céu. “Parecia uma “dança” (verde, branco, rosa), foi ainda mais fantástica que as primeiras auroras que vimos”, lembra Larissa.

Lua de mel no Polo Norte: trenó

Depois desses dias mágicos em Tromsø, partiram para a Finlândia para ficar em um chalé na minúscula vila chamada Kilpisjärvi, na Lapônia, que fica à cerca de 4 horas de distância de van. Esses chalés ficam no meio do nada, ao lado de um grande lago congelado, onde pode-se andar de snowmobile (motoneve) até a tríplice fronteira entre Finlândia, Noruega e Suécia. Em Kilpis, além de ver a aurora boreal, da janela do quarto, tiveram a experiência divertidíssima de mergulhar em um lago congelado e depois cair na jacuzzi quente, que fica ao ar livre, vendo a aurora boreal – uma tradição da cultura finlandesa.

“Voltamos à Tromsø, e não deixamos de pegar nosso certificado polar, que certifica que chegamos a 70º de latitude norte, acima do círculo polar ártico. E enfim, depois de uma overdose de Aurora Boreal, retornamos para a capital, onde nos despedimos do grupo e ficamos mais alguns dias só nós dois esquiando no Oslo Vinterpark e passeando pela cidade. ♥ Foi uma verdadeira experiência que vivemos juntos nesses dias, foi perfeito para começarmos a colecionar histórias e aventuras dessa vida de casados!”- Larissa

Lua de mel no Polo Norte: Larissa & Ciro

♥Duração da Viagem: de 19/02/2017-06/03/2017♥

Roteiro: Noruega: Oslo, Ilhas Loføten, Tromsø, Finlândia: Kilpisjärvi, e retorno via Oslo.

Dicas: É uma viagem para casais aventureiros… Tem um ritmo mais corrido, andamos bastante na estrada, trocamos de hotel várias vezes durante os deslocamentos. Você passa bastante tempo com um grupo de até 20 pessoas, que tem um perfil mais aventureiro e menos turístico, o que é legal, mas também existem várias tardes livres para quem quer privacidade para a lua de mel. Se você quer uma lua de mel relaxante, calma e só os 2 pombinhos, esse não é o seu destino, ok?

A Aurora Boreal não acontece o ano todo… entre Setembro e Outubro (sem neve) e Fevereiro e Março (com neve) são as melhores épocas para tentar vê-la. Digo “tentar” pois é um fenômeno que depende de uma série de variáveis, e conheço alguns amigos que foram até lá por conta e não conseguiram vê-la: a Aurora só pode ser vista em algumas regiões do planeta por onde o “oval” passa, não pode ser período de lua cheia, não pode ter iluminação de cidades, não pode estar nublado, precisa ter bastante incidência de radiação solar e também um bom índice de atividade geomagnética. Como somos não somos especialistas no assunto e não arriscaríamos fazer uma viagem até o Polo norte e não vermos a Aurora Boreal, contratamos o serviço de especialistas.

Esteja preparado com roupas especiais para Neve: Sapatos impermeáveis (de preferencia com pelo dentro), Roupas térmicas e impermeáveis (de preferência com a parte interna de pluma de ganso), boas luvas e gorros.

Para fotografar a Aurora Boreal: Leve um tripé e câmeras que tenham a opção manual para o ISO e velocidade (para conseguir colocar por exemplo: ISO1600, velocidade 5s). Para quem não entende de fotografia, pode ficar tranquilo, pois os grupos de “caça” à aurora, normalmente contam com as fotos inclusas no serviço.

Lua de mel no Polo Norte: hotelLua de mel no Polo Norte: paisagemLua de mel no Polo Norte: barco viking

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Carioca apaixonada pelo Rio de Janeiro, mas curitibana de coração. Jornalista por vocação, adora escrever sobre moda, beleza, viagens e decoração. Fascinada pelo universo das festas, sonha com um casamento nas Maldivas.