Pelos alpes

Por  |  0 Comentários


Texto Lola Lee

“Neutralidade”. Talvez seja esta a palavra mais atribuída à Suíça em livros de história e guias de viagem. Há outras designações igualmente badaladas, como “chocolate”, “queijo” e “diplomacia”. Injusto estreitar países a quatro ou cinco rótulos. Melhor seria descobri-los, reinventá-los, vivê-los.

Suiça - Foto Bruno Dieguez (Small)

Foi com esta proposta que fizemos as malas e partimos da Alemanha rumo ao território suíço. Após três dias encantadores em uma ensolarada Munique, alugamos um carro e aceleramos forte nas autobahns germânicas a caminho de um inesquecível final de semana nos Alpes. A aceleração é forte porque as estradas alemãs permitem limites de velocidade apenas familiares a pilotos profissionais. Por lá, chega-se a até 200 quilômetros por hora sem nenhum constrangimento ou ronco no motor.

Entretanto, quando a fronteira entre Alemanha e Suíça é finalmente vencida, é preciso cautela e pé no freio. É o fim das tolerantes e permissivas autoestradas germânicas. É o início de um novo trajeto. Bem-vindo à Suíça.

Lugano - Suiça - Fotos Bruno Dieguez (1)

Padrão Relais & Chateaux de qualidade

Primeira parada: Vaduz, capital de Liechtenstein, um minúsculo principado encravado nos Alpes, entre a Áustria e a Suíça. Com pouco mais de 36 mil habitantes em seus 160 km², Liechtenstein é, a rigor, um microestado autônomo e independente dos países vizinhos. Por isso, seria errado afirmar que já estamos em solo suíço. Melhor entender que chegamos a uma espécie de entreposto luxuoso e refinado.

Por aqui, o passeio deve ser feito a pé, demorada e vagarosamente, no molde exato dos recém-casados ou dos forever in love como nós. Após horas percorridas pelas charmosas ruelas do pacato principado, é preciso relaxar e desfrutar ao estilo da nobreza. Afinal, luxo e riqueza combinam com lua de mel e principados.

Associado ao Relais & Chateaux, o Park Hotel Sonnenhof é a experiência ideal para os amantes da boa vida e das boas viagens. Com 50 anos de tradição, o hotel é o favorito entre os viajantes que visitam Vaduz. A preferência não é à toa: decoração luxuosa em quartos modernos, espaçosos e avarandados; jardins amplos e frondosos que conduzem a uma fabulosa vista panorâmica da cidade; sauna, spa e piscina aquecida que tornam a estada perfeita até mesmo nos mais rigorosos dias de inverno alpino.

Vaduz - Suiça - Fotos Bruno Dieguez (1) Vaduz - Suiça - Fotos Bruno Dieguez (4) Vaduz - Suiça - Fotos Bruno Dieguez (6)

Merece um parágrafo à parte a criatividade gastronômica do Park Hotel Sonnenhof. Em amplos terraços externos ou em seu aconchegante interior, o restaurante Marée é comandado pelo chef Hubertus Real. Filho de Jutta e Emil Real – os sorridentes e acolhedores proprietários do hotel –, Hubertus cria pequenas obras de arte inspiradas nos sabores sazonais da região. Para a experiência ser completa, o menu degustação é a escolha certeira.

Vaduz - Suiça - Fotos Bruno Dieguez (5) Vaduz - Suiça - Fotos Bruno Dieguez (7)

Após viver dias de realeza e relaxamento em Liechtenstein, voltamos à estrada. Próximo destino, Lugano, uma comuna da Suíça, no Cantão Ticino. Em resumo: o território é suíço, mas o sotaque é italiano. Aliás, não apenas o sotaque, mas também a língua oficial, o joie de vivre e a irretocável gastronomia reproduzem e representam fielmente um microcosmo da Itália em solo suíço. Banhada pelo majestoso lago Lugano, a cidade faz fronteira com o norte italiano e, não por acaso, transpira os maneirismos e idiossincrasias do vizinho latino. Você não está na Itália, mas, de certa forma, está.

Lugano - Suiça - Fotos Bruno Dieguez (7)

Com pouco mais de 65 mil habitantes, Lugano é a maior cidade em Ticino. Contornado por edifícios de arquitetura tipicamente italiana, repleto de animados cafés nas calçadas, o Centro Storico transborda piazzas, ruas íngremes e ruelas sinuosas. Aproveite para passear a esmo, fazer compras de alto padrão em lojas de grifes internacionais que borbulham no entorno e, ao final, brindar com algumas taças de vinho e uma boa pasta pomodoro.

Reforçando toda a atmosfera de elegância que cerca a cidade, o Villa Principe Leopoldo é a tradução exata do conforto e sofisticação dispensados aos viajantes que passam por Lugano. Construído na antiga casa do cunhado do Imperador Guglielmo, este hotel-boutique é um nada modesto monumento ao bom gosto característico da associação Relais & Chateaux. O landscape frontal para as águas cintilantes que batizam a cidade é, por si só, um cartão-postal convidativo. Impossível resistir aos quartos de tamanho superlativo, com varandas e terraços que levam a jardins bucólicos ou hipnotizam o olhar para o onipresente lago cercado pelos Alpes.

Lugano - Suiça - Fotos Bruno Dieguez (5)

O envolvimento do hotel com a região é tão intenso e bem sucedido que ele também dispõe de uma construção à parte e exclusiva para hóspedes de “longa duração”: é possível alugar apartamentos para temporadas mais extensas e usufruir de todos os serviços do hotel. Assim, piscina, spa, academia, bar e restaurante também podem ser apreciados por hóspedes que desejem esticar as férias ou até mesmo morar por lá. Um sonho que, sem engano, deve estar nos planos dos casais que amam o dolce far niente.

Mas, como boa parte dos sonhos ainda habita o reino de Morfeu, a alternativa possível é seguir viajando. Assim fizemos: partimos de Lugano e seguimos ao ponto final de nosso tour alpino, Gstaad. Um dos mais famosos destinos da Suíça, a cidade reúne serviços do mais alto padrão, tradições regionais e toques de glamour que lhe conferem um charme especial.

Lugano - Suiça - Fotos Bruno Dieguez (4)

Na junção de quatro vales, Gstaad tanto é parada obrigatória para esquiar no inverno quanto é pouso certo para a prática de escaladas, caminhadas, ciclismo, rafting e voos de paraglider no verão. Sem edifícios altos e mantendo-se fiel à arquitetura tradicional em estilo suíço, a cidade preserva um inequívoco caráter romântico. A Promenade, rua principal desta aldeia-chic, tem lojas, cafés, restaurantes e galerias de arte. Estamos na Suíça francesa. Portanto, o fondue, o queijo e o vinho são atrações que fazem parte do passeio.

DCIM100GOPRO

 Para completar a plena experiência suíça, o viajante deve se hospedar em um típico chalé alpino. É aí que entra em cena a Hostellerie Alpenrose, exclusivo hotel-boutique Relais & Chateaux que surpreende tanto pelo senso de aconchego familiar das acomodações quanto pela detalhada e florida sofisticação que enfeita todos os ambientes – da recepção ao spa.

Gstaad - Suiça - Foto Bruno Dieguez (9)

Comandada por Carole e Michel von Siebenthal – casal hospitaleiro que se orgulha de ser a 3ª geração da família à frente do hotel –, a Hostellerie Alpenrose impressiona não só pela monumental vista alpina que cerca as varandas dos quartos, mas especialmente pela gastronomia requintada do restaurante Azalée. No jantar à luz de velas, durante o inesquecível menu degustação, lembre-se de reservar algum espaço para o festival de queijos que antecede a sobremesa. Não faça cerimônia: você está em casa e merece saborear gordas fatias de Gruyère e Emmental regadas por chutneys de diferentes sabores. Para a digestão, desça um lance de escada e divirta-se no Sammy’s Bar ao som de uma clássica jukebox que vai deixar suas noites na Suíça ainda mais encantadoras.

Gastaad - Suiça Gstaad - Suiça - Foto Bruno Dieguez (4)

Onde se hospedar:

Park Hotel Sonnenhof

Mareestrasse 29

FL-9490 Vaduz – Liechtenstein

www.sonnenhof.li

Villa Principe Leopoldo

Via Montalbano 5

6900 Lugano – Suíça

www.leopoldohotel.com

Hostellerie Alpenrose

Dorfstrasse 14

CH-3778 Schönried – Gstaad – Suíça

www.hotelalpenrose.ch

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Comunicar é a sua arte, talvez único talento nato. Dança, conversa, faz gestos, mas na escrita encontra o seu porto seguro. Geminiana com ascendente em aquário, acredita piamente em astrologia, disco voador e alma gêmea – já encontrou a sua, com quem está casada desde 2011. É capixaba, mas vive um relacionamento sério com o Rio de Janeiro...