Romance + tradição: que tal Lisboa para a lua de mel?

Por  |  0 Comentários


Se você ainda não foi a Portugal, Lisboa é uma ótima primeira parada. Caso já conheça os encantos da capital, precisa conferir estas dicas e ver a cidade com outros olhos!

Para as próximas semanas a preparou um roteiro imperdível e que tem tudo a ver com os brasileiros. Já pensou em escolher Portugal como destino da sua lua de mel? Sua história se mistura com a nossa e – anote esta dica – há um sem-fim de programas para noivos dos mais diferentes estilos. Da deslumbrante costa do Algarve, passando por inigualáveis Patrimônios da Humanidade em Évora e Tomar, a surpreendente beleza do país alcança as majestosas paisagens do Vale do Douro, que há séculos testemunham a produção de vinho do porto.

CONTEXTO HISTÓRICO

Embora seu território seja relativamente pequeno, Portugal é um verdadeiro caldeirão cultural, tendo absorvido muito das culturas dos povos que conquistou ou que por lá passaram – como fenícios, gregos e romanos. Todos deixaram suas marcas e uma rica herança de ruínas arqueológicas, além da típica arquitetura moura das cidades do sul.

As Grandes Navegações fizeram de Portugal uma nação poderosa durante os séculos XV e XVI. Hoje, ainda é possível encontrar traços dessa época nos quatro cantos da terra por onde passaram seus desbravadores – os quais, ausentes por intermináveis períodos de tempo, contribuíram para a formação do caráter melancólico do povo português. Talvez isso explique a origem da exclusiva palavra saudade, clamada pelas mulheres que esperavam, muitas vezes para sempre, pela volta dos conquistadores do além-mar.

Da saudade nasceu o fado, belíssima e emocionante música nacional que traduz em palavras o valor de um povo encantador. Para os apreciadores da boa gastronomia, o país também é dono de uma das culinárias mais apreciadas do mundo. Em suma, visitar Portugal é reconhecer em toda parte os ricos fragmentos de nossa própria história e cultura – no ouro das esplendorosas catedrais barrocas, nas cidades que misturam tradição e modernidade e nos bucólicos vilarejos onde o tempo parece não existir.

Lisboa - Portugal - Foto

LISBOA: POR QUE CONHECER?

Capital desde sua reconquista em 1147, Lisboa é sempre uma boa surpresa. Com mais de 20 séculos de história, a cidade é lendária e carrega consigo – em paralelo à modernidade – o culto à tradição, fruto de um passado de glórias que a tornou a mais poderosa e importante cidade do mundo ocidental há mais de 500 anos. Após ter sido quase completamente destruída pelo terremoto de 1755, Lisboa se reergueu segundo os planos traçados por Marquês de Pombal.

Atualmente, as ruas, ladeiras, monumentos, igrejas, museus e palácios de seus principais bairros são o retrato de um povo orgulhoso de seu passado e de seu presente. Catedrais góticas e mosteiros pitorescos fazem parte da paisagem urbana e colorida da cidade. Apesar da importância dada à sua história, a capital do mundo lusófono tem os olhos atentamente ligados ao futuro.

Bairro de Alfama: o mais antigo e um dos mais típicos bairros de Lisboa, se localiza ao lado do Bairro Alto. Suas ruas labirínticas e estreitas levam ao topo da colina, cruzando edifícios que retratam todas as culturas que passaram pela capital portuguesa ao longo de seus séculos de história. As áreas mais arruinadas pelo terremoto foram alvo de obras de restauro e a vida desenvolve-se tranquilamente em volta das pequenas mercearias e tabernas.

Considerada uma das regiões mais seguras de Lisboa, Alfama também se destaca por sua vida noturna e é conhecida por suas casas de fado. Os festejos dos santos populares são famosos na região – em particular na noite de São João, que atravessa a madrugada do dia 12 de junho até o amanhecer.

Lisboa - Bairro de Alfama - Foto

Castelo de São Jorge: construída em meados do século XI, a fortaleza preserva onze torres e apresenta alguns elementos arquitetônicos característicos dos fortes militares da época islâmica. Os lances de escadas junto às muralhas dão acesso às ameias e às torres. A localização privilegiada e a vista panorâmica valem a visita, pois o periscópio instalado na Torre de Ulisses permite examinar minuciosamente a cidade e seus monumentos em 360º.

Por fim, o castelo possui um museu com um acervo de objetos encontrados no núcleo arqueológico da região, proporcionando a descoberta das múltiplas culturas e vivências que – do século VII a.C até o século XVIII – contribuíram para a construção da Lisboa moderna.

Lisboa - Castelo de São Jorge - Foto

Praça do Comércio: mais conhecida como Terreiro do Paço, essa é uma das muitas praças da Baixa de Lisboa, situada junto ao Rio Tejo, no lugar do antigo Palácio dos Reis de Portugal. De imponência majestosa, é uma das maiores praças da Europa, com 36 mil m². Durante a reconstrução da cidade, a praça se tornou elemento fundamental no plano do Marquês de Pombal. Os novos edifícios, com arcadas que circundam o largo, foram ocupados por ministérios e edifícios públicos – com exceção do famoso café Martinho da Arcada, o mais antigo da cidade e um dos preferidos do poeta Fernando Pessoa.

Lisboa - Praça do Comércio - Foto

Mosteiro dos Jerônimos: retratando a riqueza da Era dos Descobrimentos, o mosteiro foi encomendado por Manoel I por volta de 1501, quando Vasco da Gama retornou das Índias. A decoração reúne temas religiosos, exaltando os reis de Portugal. Na ala moderna, construída em 1850, funciona o Museu Nacional de Arqueologia.

Lisboa - Mosteiro dos Jerônimos - Foto

Torre de Belém: ela se destaca pelos símbolos do nacionalismo, rodeada por detalhes do brasão de armas de Portugal, incluindo inscrições da Ordem de Cristo nas janelas do baluarte. O monumento reflete as influências islâmicas e orientais do país e caracteriza o estilo arquitetônico manuelino.

Lisboa - Torre de Belém - Foto

ONDE SE HOSPEDAR?

Four Seasons Hotel Ritz Lisbon: como todos os hotéis da rede, o da capital portuguesa é o ponto de partida perfeito para aproveitar as atrações da cidade. Entre uma atividade e outra, reserve um almoço a dois no restaurante Varanda (mais detalhes lá no final do texto!). Para deixar tudo registrado, também vale a pena conhecer o passeio fotográfico no sidecar de uma moto vintage, com direito a dicas profissionais para escolher o melhor ângulo e, claro, a beleza arquitetônica da Lisboa histórica. Imperdível!

Altis Belém Hotel & Spa: representando uma visão contemporânea da Era dos Descobrimentos, este hotel fica à beira do Rio Tejo, com belas vistas da vibrante Lisboa. A decoração das áreas internas e das 50 acomodações, incluindo suas cinco suítes, proporciona uma viagem incrível pelos cinco continentes, sem deixar a elegância de fora. Para não esquecer: o Restaurante Feitoria possui estrela no Guia Michelin e o premiado Bspa by Karin Herzog coloca em evidência um ambiente acolhedor, ideal para meditação.

Tivoli Lisboa: com uma localização mais do que privilegiada, no coração da Avenida Liberdade, e com dois dos bairros mais vibrantes da capital – o Bairro Alto e o Chiado – logo ao lado, o Tivoli é um dos hotéis mais tradicionais da capital. Uma vista diferente de Lisboa pode ser apreciada a partir do Sky Bar, que se junta aos restaurantes Brasserie Flo e Restaurante Terraço nas opções gastronômicas oferecidas. Campos de golfe, spa, fitness center e piscina também estão no cardápio de serviços.

DICAS DE OURO: RESTAURANTES QUE VALEM A PENA

Cantinho do Avillez: segunda casa do chef espanhol José Avillez, foi fundada em 2011 e desde então vem arrancando elogios de especialistas gourmet e visitantes. Com ambiente descontraído e informal, o Cantinho do Avillez propõe uma cozinha simples, com um toque de sofisticação, à base de petiscos e pratos tradicionais que também podem ser degustados no balcão. A farinheira, um tradicional embutido português, tem acento defumado e casa perfeitamente com a crosta dourada de broa e coentro.

Lisboa - Cantinho do Avillez - Foto Divulgação

Cervejaria do Ramiro: aberta desde 1956 como uma pequena “casa de pasto”’, hoje a Cervejaria Ramiro tem três pisos e diferentes ambientes. No entanto, todos eles – além de informais – preservam o clima marítimo que o Sr. Ramiro quis impor ao lugar ao chamá-lo de cervejaria e marisqueria. Ideal para comer caranguejos, bons presuntos ou até mesmo prego – pão com carne – durante uma viagem por Lisboa. E (claro!) para tomar uns “copos”, como dizem os portugueses.

Varanda: no último andar do Hotel Ritz, com uma vista deslumbrante do Parque Eduardo VII, o restaurante apresenta cozinha tradicional com uma vertente internacional em um ambiente requintado. O espaço é amplo, luminoso e sofisticado. Conta com a opção de buffet gourmet no almoço, com sopa do dia, peixe fresco e duas especialidades diárias. Vale a pena!

Lisboa - Varanda - Foto Divulgação

E aí, gostou dessas dicas para uma viagem inesquecível a Lisboa? Veja outros roteiros na coluna Honeymooners.


Créditos

1 a 7-  |  8 a 15- Divulgação

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Com 28 anos, a Teresa Perez é especialista em criar roteiros personalizados. Os programas são preparados de acordo com os interesses de cada casal. Telefones (11) 3799-4000 | (11) 3390-9000 | (61) 3217-2300.