Grande Barreira e Outback: paradas obrigatórias na Austrália

Por  |  0 Comentários


Austrália está na sua wishlist da lua de mel? Então veja o que fazer em duas das regiões mais procuradas no país!

Na semana passada a deu start em seu roteiro pela Austrália, falando sobre Melbourne e Sydney. Nesta quarta-feira, traz outros destinos imperdíveis: Grande Barreira e Outback. Se você pensa em fazer uma viagem a dois para o país, não pode deixar de conhecê-los.

GRANDE BARREIRA

A Grande Barreira de Corais repousa ao longo da Costa Leste da Austrália e seu nome não é nenhum exagero. Com 2.300 km de extensão (a distância entre São Paulo e Natal), possui 344 mil km2 de superfície (superior à área da Itália) e se consagra como o maior recife do planeta.

A região resulta de um paciente trabalho da natureza. Os corais são minúsculos invertebrados que se agrupam em colônias e se protegem secretando um esqueleto de calcário ao seu redor. As criaturas morrem, mas o exoesqueleto permanece. Sobre ele, novas colônias se formam. Foi assim que se ergueu, em milhares de anos, a fascinante muralha submarina.

Austrália: Grande Barreira - Foto

Fixadas em rochedos submersos, plantas marítimas de formatos surpreendentes dançam ao sabor das correntes e peixes coloridos passam o dia explorando esses “arbustos”. Como a água é cristalina, mergulhadores não perdem nenhum detalhe de sua instigante vida aquática.


Por ser generosa em abrigo e alimento, a Grande Barreira guarda a maior biodiversidade marítima do planeta


Pelos rochedos de calcário da Grande Barreira avistam-se peixes de toda sorte: alguns solitários e outros em cardumes populosos, espécies monocromáticas e exemplares multicoloridos – como os encantadores peixe-palhaço e peixe-borboleta. Há, ainda, cavalos-marinhos, moreias, raias, tartarugas, golfinhos e até baleias.

Austrália: mergulho - Foto

Como explorar a grande barreira?

Ela pode ser conhecida de três ângulos:

1. De dentro da água, em mergulhos com snorkel ou cilindro (há expedições tanto para profissionais quanto para novatos)

2. Sobre o mar, a bordo de barcos com casco de vidro, que permitem enxergar a natureza submersa

3. Das alturas, em saltos de paraquedas e sobrevoos de hidroavião ou asa-delta. De cada perspectiva, a Grande Barreira revela uma beleza particular.

As ilhas da Costa Leste são o melhor ponto de partida para explorar a Grande Barreira. A Lizard Island e a Hayman Island são paradisíacas. Tanto numa quanto na outra, há apenas um resort, que é cercado de mata nativa e praias de areia clara.

Já na Hamilton Island, mais agitada, os visitantes mergulham, velejam, jogam golfe e passeiam pela marina, recheada de restaurantes e boutiques. A Hayman Island e a Hamilton Island fazem parte do Arquipélago Whitsunday.

Austrália: Arquipélago Whitsunday - Foto

Onde se hospedar?

1. Lizard Island: é um dos resorts mais isolados da Austrália, localizado numa pequena ilha paradisíaca de mesmo nome na Grande Barreira de Corais. Os 40 quartos, suítes e villas têm vista para o mar, que é perfeito para mergulhos e passeios de barco. Na ilha, os hóspedes têm à escolha nada menos do que 24 praias de areia fina e clara. O resort integra a cadeia Luxury Lodges of Australia e conta com spa, academia e quadra de tênis.

Austrália: Lizard Island - Foto Divulgação

2. Qualia: este hotel é perfeitamente integrado à natureza do norte da Hamilton Island, uma das ilhas vizinhas da Grande Barreira de Corais. As villas têm linhas minimalistas e são feitas de arenito, madeira e vidro, com vista para a praia e o mar. Os hóspedes podem relaxar no spa, na piscina privativa de cada villa ou nas duas grandes piscinas de borda infinita. Do hotel partem passeios para explorar o oceano e os corais. O qualia tem o selo Luxury Lodges of Australia.

Austrália: Qualia - Foto Divulgação

OUTBACK

Bem no coração da ilha, é a região mais remota da Austrália. Por esses confins, derramam-se planícies de areia vermelha, vegetação esparsa e secura desértica. Mas não se engane: o cenário agreste é fascinante.

Os vales e desfiladeiros foram moldados pela erosão de milhões de anos e, em alguns pontos, a rocha não cedeu à força da natureza – o que explica as fenomenais montanhas que inesperadamente se erguem no horizonte, como a sequência de 36 montes conhecida como Kata Tjuta e o monólito Uluru, que disputa com a Opera de Sydney o título de cartão-postal nacional.


A terra árida do Outback é lar dos aborígenes desde a Pré-História e, na tentativa de compensar os danos da colonização britânica, o governo vem devolvendo terras aos nativos


Graças a essa decisão, boa parte do coração da Austrália, incluindo o parque que abriga Kata Tjuta e Uluru, está hoje sob os cuidados dos aborígenes.

3 paradas obrigatórias em Outback

1. Uluru/Ayers Rock: o infinito das planícies do Outback é subitamente interrompido por um bloco de arenito de dimensões colossais. Com 3,5 km de extensão, 2,5 km de largura e 350 m de altura, o rochedo pode ser avistado de bem longe.

A coloração se transforma ao sabor dos raios solares, variando do rosa pálido ao vermelho intenso. Os colonizadores o batizaram de Ayers Rock, mas para os aborígenes este local sagrado se chama Uluru.

Austrália: Outback - Foto iStock Wyco

2. Parque Nacional Uluru-Kata Tjuta: guiado pelos aborígenes, esse passeio se consagra como uma grande experiência cultural. Eles narram as aventuras de seus antepassados, revelam o significado espiritual dos rochedos e das pinturas nas cavernas, apresentam sua arte e mostram como conseguem sobreviver no deserto. São histórias fascinantes de um povo que habita a Austrália há pelo menos 30 mil anos.

3. Longitude 131°: as 15 tendas deste hotel – verdadeiras suítes que oferecem todas as comodidades de um lodge contemporâneo – ficam em pleno deserto vermelho e oferecem a melhor visão do majestoso Uluru/Ayers Rock. Do Longitude 131º, que faz parte da rede Luxury Lodges of Australia, partem passeios para conhecer os aborígenes e explorar a região. Após um dia de aventura, pode-se refrescar na piscina e jantar sob a luz das estrelas.

Gostou das dicas da ? Se você vai à Austrália, também precisa ver um roteiro exclusivo por Melbourne e Sydney.


Créditos

1 a 3-  |  4 a 7, 9 e 10- Divulgação  |  8- iStock/ Wyco

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Com 28 anos, a Teresa Perez é especialista em criar roteiros personalizados. Os programas são preparados de acordo com os interesses de cada casal. Telefones (11) 3799-4000 | (11) 3390-9000 | (61) 3217-2300.