IC Week RJ: 4 passos do projeto de decoração por Daniel Cruz

Por  |  0 Comentários


Renomado no mercado de decorações para casamento, fez um talk show para plateia lotada no IC Week RJ. Confira suas dicas para o projeto de decoração da festa!

entrou na carreira de decorador por acaso, produzindo o aniversário de sua mulher. Depois disso, as encomendas foram tantas que ele largou sua antiga profissão em uma multinacional para embarcar na aventura do mercado de casamentos. “Quem procura um decorador já sabe mais ou menos o estilo que ele tem, isso é natural, mas cada casal tem um desejo diferente. E isso a gente só descobre investigando, o que é o primeiro passo do projeto de decoração”, afirmou o profissional durante seu talk show no IC Week RJ 2016. Com o Teatro IC lotado neste domingo, 17, ele explicou aos presentes o passo a passo para montar o décor de um evento. Quer saber quais são?

1. LEVANTAR IDEIAS

“Até as noivas mais decididas podem se deparar com dúvidas na hora de montar a decoração. O primeiro passo para desvendar o que ela sempre sonhou é marcar a primeira reunião (seja pessoalmente ou até mesmo por Skype), na qual eu anoto absolutamente tudo, mesmo que não seja diretamente relacionado ao casamento. Absolutamente todas as ideias entram no papel”, contou.

2. ADAPTAR AS INSPIRAÇÕES À REALIDADE DOS CLIENTES

Quando o casal já tem um caderninho de inspirações em mãos, a questão principal é adaptar um sem-fim de ideias à sua realidade – principalmente financeira. Por outro lado, quando eles não têm nada em mente, Daniel procura desvendar o estilo dos noivos e, a partir daí, começa a dar dicas em relação ao projeto. “Quem se casa no Copacabana Palace, por exemplo, provavelmente não quer uma coisa rústica. Em cima dessa percepção de estilo a gente vai desenrolando”, exemplificou. A próxima etapa é saber a cor predominante e, em seguida, organizar onde cada tom vai entrar.

FIL_2861_-_FILICO

3. COMPLEMENTAR O PROJETO

O próximo item da lista, de acordo com Daniel, é pensar nos itens decorativos. “Hoje existem empresas maravilhosas em que podemos alugar muitos itens bacanas. Eu vou mostrando coisas para provocar a noiva e ver do que ela gosta. E cada vez mais eu vejo uma tendência de não fazer o jantar tradicional, de usar miniporções ou menu degustação. O problema é que, mesmo não querendo o jantar, as noivas querem mesa posta porque isso faz parte da decoração. Então é legal ter um prato sim, para compor a decoração”, explicou.

O decorador também elogiou a utilidade de tapetes para “vestir a festa”, e lustres e móbiles para arrematar o décor aéreo. Por outro lado, ele alertou a plateia em relação à sazonalidade das flores, principalmente porque isso implica em custos. “A minha sugestão é: tentem adaptar e focar. Se vocês gostam de tulipas, mas vão casar em dezembro, teremos um problema. Então vamos ver onde podemos inclui-las em menor quantidade, até porque isso impacta muito o orçamento”, argumentou.

Você sabia? Conforme explicou Daniel, hoje há cada vez mais opções quando o assunto é paisagismo. “Às vezes o espaço pede que você o aqueça, o que não necessariamente precisa ser feito com um vaso de planta. Podemos aquecer com um muro verde, que é mais clean. Tudo depende do projeto e da proposta, mas tem que haver uma troca de confiança dos noivos com o decorador. A partir do momento que vocês decidiram quem vai ser o decorador do seu casamento, confiem que ele pode agregar valor e contribuir para ideias de vocês”, disse.

Outro ponto levantado por ele foi a importância da iluminação em um projeto de casamento. “Não adianta ter as melhores flores e mobiliário do mundo, se você não tem uma boa iluminação. A festa precisa ser mais clara no início da festa, mas – quando for abrir a pista de dança – o próprio DJ pede para diminuir a luz. Mas isso pode ser feito por setores, sem prejudicar todas as áreas do salão”, explicou.

FSS_7830_-_FILICO

4. ORGANIZAR OS GASTOS

Sem meias palavras, Daniel também falou sobre um assunto que costuma tirar o sono dos casais prestes a subir no altar: o orçamento. “Essa é, com certeza, a pior parte da planilha de casamento. E ninguém consegue bater o item decoração, a não ser que contratem uma atração muito famosa, por exemplo. Eu sou muito transparente e coloco no projeto tudo o que foi conversado com os clientes. Depois a gente vai vendo, por prioridades, o que deve ser cortado. E eles não podem criar uma dependência da primeira ideia, porque ela é sempre uma viagem, que depois vai sendo adequada à realidade”, disse.

À medida que os ajustes vão acontecendo, Daniel entrega aos noivos o “primeiro desenho” – que nada mais é do que um rascunho da estrutura do projeto, muito útil para fazê-lo ganhar forma. Uma vez que o casal vê e entende como a festa vai ficar, em termos de organização, podem pedir mudanças e adaptações. “O projeto sai na primeira reunião, mas na segunda vamos afiando os detalhes. A quantidade de convidados é um ponto a ser conversado, pois a partir dela vamos readaptando o projeto”, completou.

A terceira reunião é destinada a revisar tudo o que já foi falado, além de eventuais novidades. De acordo com Daniel, o decorador precisa saber de todos os detalhes da festa. “E eu coloquei aqui três reuniões porque acho esse número suficiente, mas podemos quantas forem necessárias para o casal”, concluiu.

FSS_7838_-_FILICO

E aí, gostou das dicas de para o projeto de decoração do casamento? Confira outros talk shows que aconteceram nesta edição do IC Week RJ!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


ic indica

avatar

Nascida em Minas, criada em Recife e apaixonada pelo Rio. Viajar o mundo é seu sonho, o que torna luas de mel e destination weddings um caso de amor à parte. Escolheu o jornalismo pela inquietante vontade de transformar em palavras histórias que mereçam ser contadas.