IC Week Curitiba: Tiffany e o universo dos diamantes

Por  |  0 Comentários


Geraldo Carrara, representante da Tiffany & Co., abriu o palco do Teatro IC com uma palestra sobre diamantes, uma vez que: Tiffany e diamantes são sinônimos.

Como tudo começou?

O pedido de casamento de Maria de Borgonha por Maximiliano da Austria foi com um anel de diamantes e a partir daí o anel de compromisso com diamantes passou a ser uma tradição na realeza europeia e se disseminou para o mundo.

“Mas quando o pedido de casamento vem acompanhado de uma caixinha azul da Tiffany, ela não traz apenas um objeto e uma tradição, traz emoção, traz uma identidade da marca que remete ao amor incondicional” – Geraldo Carrara

O diamante é um mineral não renovável, e só 0.04% dos diamantes disponíveis para a joalheria tem o padrão de qualidade Tiffany, que começou com Charles Tiffany em 1837 quando fundou um empório de luxo com um pequeno capital emprestado do pai em NY.

“Desde muito cedo ele é aficcionado pelas melhores gemas e melhores diamantes. Em 1887 Charles arrematou joias da coroa francesa e revendeu para a sociedade novaiorquina. O Tiffany yellow diamond também é um patrimônio da Tiffany, com 124 quilates, sendo um dos mais belos do mundo. Quinto diamamte mais importante do mundo e mais importante colorido.” – Geraldo Carrara

Charles também pediu aos designers da Tiffany para desenvolverem uma montagem que permitisse que o diamante recebesse o máximo de luz, para que também refletissem maior brilho. O Tiffany Setting é o solitário mais vendido no mundo e se tornou sinônimo de pedido de casamento.

Quando se pensa em diamante resistente, puro, belo são caracteristicas do que queremos em um relacionamento, por isso são a união perfeita.

A Tiffany adquire a maioria dos seus diamantes brutos, compra pouquíssimos diamamtes lapidados. A marca faz a classificação e polimento in house toda a cadeia é controlada pela marca.

O segredo da lapidação

Permite a refração da luz e garante o brilho máximo por meio de técnicas de simetria e beleza.

Cor

A escala de cor vai de D a Z, sendo D com menos cor possível. A Tiffany só trabalha do I ao D, pois quanto mais claro na cor, mais raro ele é. Isso não é visível a olho nu, mas impacta no valor das pedras.

Pureza

Como minerais naturais possuem “marcas de nascença” as classificações vão do puro (quase sem imperfeições) até o imperfeito (com muitas marcas). Mas nada disso é visível a olho nu, é necessário análise de um especialista.

Quilatagem ou peso

Quem define a quilatagem é a natureza. Na Tiffany os solitários começam e 18 pontos e vão até 5 quilates, sendo extremamante raros. Acima de 3 quilates são considerados statemets!

Presença

Simetria perfeita, lapidação exata e polimeto de excelente qualidade.

Diferentes montagens Tiffany

  • Ribbon (formato de laço)
  • Tiffany setting (mais famoso)
  • Embrace
  • Lúcida
  • Nova
  • Legacy
  • Harmony
  • Princess
  • Coração
  • Gota

Valores

Na Tiffany um anel de noivado pode custar de 8 mil até mais de um milhão de reais, dependendo do tamanho e pureza da pedra.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Carioca apaixonada pelo Rio de Janeiro, mas curitibana de coração. Jornalista por vocação, adora escrever sobre moda, beleza, viagens e decoração. Fascinada pelo universo das festas, sonha com um casamento nas Maldivas.