Vestidos de noiva ou obras de arte?

Por  |  0 Comentários



Texto Sylvia de Castro

Garota de Ipanema, nascida nos anos 60, família tradicional, filha de médico e professora, Heloísa estudou no Santo Inácio e se formou em Economia antes de assumir seu sonho de criança que brincava de vestir suas bonecas.

Estilista Heloisa Albuquerque

Inesquecível Casamento ♥ Como e quando descobriu sua vocação para estilista? 

Heloísa Albuquerque – Quando criança, brincava muito de boneca e na época não existia essa fartura de opções de roupa para Barbies. Só viajando mesmo para comprar. Resolvi, então, fazer os vestidos das minhas bonecas. Como não sabia modelar, colocava um pedaço de tecido – normalmente cedido pela minha avó paterna – e fazia a roupa em cima do corpo da boneca. Exatamente como faço hoje com as clientes. Na alta costura, aliás, não existe modelagem plana. Ela é toda feita em cima dos corpos, o que chamamos em francês de moulage.

♥ Fale de sua formação? Onde estudou, estagiou, etc?

Sempre gostei de criar roupas e mexer com tecidos. Quando fiz 10 anos de idade, minha avó materna me deu uma caixa de costura com todos os utensílios. Fui crescendo e comecei a criar roupas para mim. Com muitas festas de 15 anos, na época em que se usavam vestidos muito chiques, feitos em tafetá de seda, zibeline, rendas francesas… era o paraíso! Não parei mais. Quase não comprava roupa, adorava fazê-las. As clientes me perguntam onde aprendi a costurar e modelar. Não sei explicar. Olho para a roupa e simplesmente sei fazê-la. Mas, como boa inaciana, antes de fazer faculdade de estilismo – que hoje é de moda- fiz faculdade de economia e trabalhei na Interbras. Quando a empresa foi extinta, resolvei fazer a faculdade de estilo no Senai-Cetiqt, que na época era a única existente no Rio. Mas não se aprende alta-costura em nenhum curso. Depois disso, viajei e pude ver as roupas feitas pelo falecido Dior. Isso, sim, foi um grande aprendizado!

♥ E o seu atelier, onde fica, como funciona? 

Abri o meu atelier em Ipanema em setembro de 1996. Há 20 anos. Tenho no atelier rendas e tecidos para a noiva ver, já que é um mundo novo cheio de novas informações. E é na entrevista que mostro tudo isso e apresento minhas ideias para as clientes. Tenho também alguns modelos prontos para que as novas clientes possam conhecer o meu trabalho, que se diferencia na sua estrutura e qualidade. O mesmo faço com as mães e madrinhas.

♥ Como chegou à especialização em noivas? E as mães, madrinhas e roupas de festa?

Eu mesma fiz meu vestido de noiva, todo em shantung de seda e renda francesa… Adoro trabalhar com noivas! É uma data única na vida da mulher. Melhor do que isso só no dia do nascimento dos filhos. E o trabalho do vestido da noiva me encanta. É o máximo da alta costura. Mas adoro trabalhar para as mães e fazer os vestidos de festa, pois muitas vezes são neles que posso ousar mais.

♥ E a sua equipe, como é composta? Quantas noivas, em média, faz por ano? Como são feitos os vestidos e com quanta antecedência devem ser encomendados?

Trabalhar com a alta costura requer muita dedicação. Poucos vestidos são produzidos por mês, pois nossa equipe é pequena e composta de artesãs, já que as roupas são basicamente confeccionadas à mão. Por causa disso, as encomendas são feitas muito antes da data do evento. Tenho fechado vestido com até um ano de antecedência.

♥ Quais as tendências atuais para vestido de noiva? Quais os tecidos mais usados? 

Não existe moda para vestidos de noiva ou para qualquer vestido de alta costura. Muito pelo contrário. Pode até existir uma tendência, mas devemos sempre pensar em um modelo que se olhe para ele daqui a 20 anos e ainda será lindo. Um toque atual e ao mesmo tempo clássico é o recomendado como, por exemplo, a mistura de texturas muito sugerida por Elie Saab, em que, em um só vestido, encontramos vários tipos de renda e tecidos, como sedas, tules, organza e bordados. Hoje, existe uma tendência para tecidos mais fluidos, com mais  movimento. Mas isso não é regra. Tenho trabalhado muito também com a zibeline, tecido mais encorpado e tradicional para as noivas.

♥ O que deve ser levado em conta na hora de escolher o modelo ideal?

O vestido ideal é aquele em que a cliente se enxerga dentro. Claro que temos que levar em consideração o aspecto físico, o horário da cerimônia, o local, mas o principal é a personalidade da noiva.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Comunicar é a sua arte, talvez único talento nato. Dança, conversa, faz gestos, mas na escrita encontra o seu porto seguro. Geminiana com ascendente em aquário, acredita piamente em astrologia, disco voador e alma gêmea – já encontrou a sua, com quem está casada desde 2011. É capixaba, mas vive um relacionamento sério com o Rio de Janeiro...