O mundo da cenografia com Artur Albuquerque!

Por  |  0 Comentários


Texto: Júlia Cerqueira

Conhecido como “rabugento” e um craque da cenografia no Rio de Janeiro, Artur falou muito sobre o mercado na nossa live!

Uma festa, seja um casamento ou um aniversário, tem que ter todos os detalhes perfeitos para ser inesquecível, e isso envolve muita gente, né? Recomendado por grandes nomes da decoração no Rio de Janeiro, o que dizer das montagens maravilhosas do Artur Albuquerque, da Lonarte?

Ele é arquiteto e já está no mercado há 46 anos, tendo passado por outras grandes empresas até criar a sua própria com toldos e cenografias, também sendo figura cativa na IC Week.

Aproveitando a época das lives, Artur conversou com Fabiano Nideureur, aqui da Inesquecível Casamento, no nosso Instagram! Nessa quase uma hora de bate-papo (e com direito a cerveja!), eles falaram sobre muita coisa, inclusive sobre prazos para montagem, a segurança e responsabilidade no mercado de toldos, além de uma história sobre o maior perrengue que ele já passou em um evento.

Inesquecível Casamento: Quanto uma montagem pode deixar frustrado um projeto, tanto para o decorador, tanto pra você?

Artur Albuquerque: É muito prazo. A gente tenta com o decorador ter toda a cenografia com antecedência pra executar dentro do espaço tudo o que você pode levar pronto para um Copacabana Palace, por exemplo. Quando o decorador chega com o planejamento executado a gente consegue conduzir muita coisa dentro da empresa. (…) A gente sabe que não existe projeto 100% pensado. Vai aparecer muita coisa até a hora do convidado chegar.

IC: Você faz grandes toldos de festa onde venta, chove. É uma responsabilidade muito grande fazer um toldo. O decorador quer pendurar um lustre, dependendo do lugar, se for uma fazenda, vira um salão de festas. Fala um pouco dessa responsabilidade:

Artur: Nossa empresa, a Lonarte, em si, está no mercado há 10 anos, mas eu tenho 26 anos de mercado no Rio de Janeiro, mas todas as empresas que eu trabalhei a gente sempre teve essa preocupação. Então a gente tem uma equipe contratada, registrada, CLT, tudo direitinho e não é só segurança dos convidados, é dos funcionários também. (…) Nesse mercado que cresceu muito, mas na questão do Toldo, 80% das empresas abertas são de funcionários que trabalharam comigo. A gente acaba formando, mesmo os que continuam com a gente ou que foram mandados embora. (…) Eu já tive casos de clientes no Réveillon que não trabalharam comigo e me ligam dia 30 de dezembro se eu podia ir lá colocar o plástico ou refazer o toldo porque tinha voado. Aí eu falo: “Mas eu não tenho toldo no seu hotel, por que você está me ligando?”, então respondem: “Porque o cara que eu contratei desapareceu”. Não tem assistência, não tem 24 horas. (…) Eu tenho minha empresa montada que tem 60, 66 funcionários, onde você tem serralheria, marcenaria, costura, escritório, segurança 24h, faxineiro.


Leia mais

+ Damas de honra: tradições e curiosidades

bg-divisoria

+ Os mais badalados estilistas de Brasília

bg-divisoria

+ O que escrever no convite de casamento?

 


IC: Quais os tipos de toldo? Explica para o pessoal que é mais leigo.

Artur: Não existe tipo de toldo, existe espaço que não tem o que inventar. Estilo de toldo é o que o decorador pensar. Tem o que é em forma de bolha, em forma de pirâmide, pirâmide invertida, uma água, duas águas, três águas, duas bolhas, bolha invertida. Não tem como você fazer uma pirâmide invertida se você não tiver espaço pra isso.

IC: Fale um pouco sobre a questão de nivelamento do piso e os desafios que você passou.

Artur: Te contar uma coisa engraçada. (…) A gente já chegou dois dias antes no Copacabana Palace pra fazer uma festa, mas fiz um evento em São Paulo que demorou 45 dias para fazer a festa e ela durou 8 horas. A gente ficou 30 dias montando toldo e mais 15 desmontando toldo. Montamos uma serraria dentro da fazenda e o piso começava com 15 centímetros e acabava com 3,8m de altura porque o terreno era desnivelado. A cozinha e os banheiros eram embaixo do solo. Tinham escadaria que desciam para baixo do piso. Eu aproveitei o terreno e nivelei com esse piso para construir o toldo. Só que esse desnível debaixo do piso, eu aproveitei pra fazer a cozinha e os banheiros.

IC: Todo evento tem imprevisto, então o negócio é a capacidade de resolver o problema. Conta pra gente um imprevisto que ficou ali na tua mão.

Artur: Não é uma história muito boa, eu tive problema com o toldo, do toldo cair (na montagem). Não existe empresa que não tenha esse problema. Eu fiz um evento que o toldo caiu, a gente remontou o toldo em dois dias, ele caiu de novo, era um lugar muito arriscado, a gente teve que montar em outro lugar com todos os custos pagos pela empresa. (…) É muito preocupante, mas no fim deu tudo certo e entregamos o toldo em cima da hora. Era um lugar que ventava muito e ficava difícil trabalhar.

IC: Vale lembrar que foi na montagem que aconteceu o problema técnico, o Artur só libera o toldo para festa se ele estiver 100% seguro!

E se você quiser saber mais da conversa na live, clique aqui embaixo pra você entender um pouco mais de como funciona o mundo da cenografia e montagem!

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Inesquecível Casamento (@inesquecivelcasamento) em

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr