DJ para casamento: Taw, o nome por trás das pick ups

Por  |  0 Comentários


DJ para casamento: uma escolha importante, que vai ditar o ritmo da festa. Pensando nisso conversamos com o idealizador da  Records, uma empresa que é especialista no assunto. O resultado você confere aqui!

A vida de Otávio Aoad, mais conhecido como Taw – apelido que ganhou ainda na infância – se divide entre duas paixões: ser um dos mais disputados DJs de casamento do Rio e soltar a voz como cantor. Profissões que têm a música como base e o levaram, em 1997, a criar a Records – gravadora independente e agência de DJs, responsável pelo comando das pick ups de mais de quatro mil festas. Até agora…

Como começou a sua história de amor com a música?

DJ para casamento -  - Foto: DivulgaçãoCostumo dizer que eu nasci para a música quando fui à primeira edição do Rock in Rio. Foi ali que começou minha fixação. Nesse mesmo ano, com 15 anos, fiz minha primeira festa como DJ. A partir de então segui fazendo duas coisas em paralelo: a carreira de DJ, que cresceu até chegar aos casamentos, e o caminho de cantor. Tive algumas bandas e a mais expressiva foi a Nada Pessoal, onde eu era conhecido como China. Lançamos até um disco no Canecão. Depois, já com a , lancei dois discos solo, um em 1997 e outro em 2013.

Eu me formei em economia na PUC, mas nunca exerci a profissão porque já ganhava dinheiro como DJ. Quando saí da banda, montei minha gravadora independente para lançar um disco solo e de outros artistas de que era fã. Inicialmente a era uma gravadora independente, não tinha nada a ver com DJs. Nessa fase, adotei meu apelido de infância, que é Taw. Em um determinado momento, eu e o Bruno De Vicq, meu sócio na época, juntamos as forças em uma empresa só. Então a começou também a gerenciar DJs.

Como funciona a sendo, ao mesmo tempo, uma gravadora independente e uma agência de DJs?

A , dentro desse mercado fonográfico, sempre foi pequena, trabalhando mais por paixão do que pelo lucro, mas no ano passado a gente inaugurou um estúdio, o Estúdio Rastro, em sociedade com o Danny Dee, DJ da , e as possibilidade que aparecem agora são infinitas! Eu estou gravando um disco novo e também vamos lançar novos artistas.

DJ para casamento - Estúdio Rastro - Foto: Divulgação

Por causa desse nosso “lado gravadora”, começamos a trabalhar com bandas também para o mercado de festas. Hoje nossas principais atrações são o Batuque Digital e a Rádio Hits – banda cover que há uns dois anos participou do programa Super Star, tendo um crescimento exponencial dentro do nosso mercado. Tornou-se também a principal banda cover do Rio de Janeiro.

A gente só conseguiu trabalhar bem esses artistas por causa da experiência adquirida como gravadora e porque já éramos DJs de casamento, claro. Aliás, percebo que lançamos uma tendência: outras empresas de DJ começaram a vender artistas também. Atualmente os DJs da casa somos eu, o Ricardo Araújo, o Danny Dee e o Rodrigo Setta, além de uma turma nova que nós estamos inserindo: o Jimmy Souza, a Nath Carreiro, o Alessandro Freitas e o VJ Lelo Cardoso.

DJ para casamento -  - Foto: Divulgação

Quais são os artistas e bandas da que mais fazem sucesso nos casamentos?

Continua sendo inegável o sucesso do Batuque Digital. Um projeto que a gente formou em 2008 e as pessoas adoram: são ritmistas misturados com música pop. Como se fosse uma escola de samba misturada com DJ, sem ter o cavaquinho e o puxador. Como eu falei, trabalhamos também com a Rádio Hits, uma banda cover que toca todos os estilos: pop, rock, dance. Ela tem um perfil um pouco mais moderno, mais dance do que as outras bandas desse segmento. São os nossos dois carros-chefes e se revezam com o DJ tocando um ou dois sets. A ideia de DJs que tocam junto com músicos – sax, cavaquinho, violino – também tem sido bastante procurada.

Quanto tempo deve durar uma atração em um casamento?

Pois é, às vezes o próprio cliente perde um pouco esse timing e não consegue entender que o melhor para a festa dele é aquele artista tocar um tempo determinado, sem falta e nem excesso. Até porque o gosto dos noivos nem sempre é o mesmo dos convidados, então uma atração muito específica – como uma dupla sertaneja ou uma escola de samba – pode cansar quem não é muito fã desses estilos. A gente criou o Batuque Digital era para ele tocar por 40 minutos. Esse é o tempo ideal para qualquer atração. Só é possível flexibilizar esse tempo com bandas cover, que diversificam os ritmos tocados e conseguem fazer com que a energia dos convidados se recicle.

DJ para casamento -  - Foto: Divulgação

Hoje em dia, o que faz uma pista de dança ferver? Quais os ritmos?

Não existe uma receita de bolo, e sim feeling. Hoje eu percebo que o funk foi um pouco substituído pelo sertanejo universitário, que é a moda da vez. Ele continua fazendo sucesso, é claro, mas não como antes. O dance e o pop atual ainda são os principais ritmos em uma festa, ma atualmente o cliente não tem mais tanta influência da rádio ou dos veículos de massa. Ele é mais independente, escuta suas musicas pelos aplicativos e, como está mais conectado, a pista só vai ferver se o DJ conseguir se conectar também.

Essa matéria foi publicada na 27ª edição da Inesquecível Casamento. Gostou de saber um pouco mais sobre o Taw? Se vai casar no Rio de Janeiro, precisa ver essa lista dos top DJ para casamento da cidade!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


ic indica