7 dicas para reutilizar o vestido de noiva de algum familiar

Por  |  0 Comentários


Saiba como realizar o seu sonho de reusar uma peça de um ente querido no dia do seu casamento

Depois que a Princesa Beatrice apareceu no casamento dela com o vestido de noiva da Rainha Elizabeth II repaginado, a moda sustentável (e repleta de amor) tem entrado no gosto das mulheres que estão prestes a dizer o sim das suas vidas. Pensando nisso, a Inesquecível Casamento reuniu quatro estilistas para te ajudarem nessa missão. Já salve esta matéria nos seus favoritos porque, com certeza, irá lê-la novamente quando for a sua vez de subir ao altar.

1 – COMO MANTER A PEÇA GUARDADA

Essa dica vai para quem tem vontade de guardar a sete chaves o vestido de noiva para que a irmã mais nova, a filha, a sobrinha ou qualquer outra pessoa querida reuse seu modelo. De acordo com a curitibana Priscila Bonatto, você está liberada para curtir a festa sem se preocupar. O ideal é apenas levá-lo para uma lavanderia especializada com o intuito de deixá-lo limpo e manter o aspecto de novo. “Se guardar o vestido sujo, as manchas irão acabar se eternizando na peça”, explica ela. Guie-se pelo no passo a passo assinado pela Priscila:

  • Aproveite o seu grande dia!
  • Leve o vestido para uma lavanderia especializada
  • Guarde pendurado em um cabide e com a capa protetora
  • Coloque em um local seco e sem luz
  • Tecidos naturais, como a seda pura, devem ser envolvidos em papel de seda para ajudar na preservação
  • Sempre guarde com uma bolinha de naftalina ou cravos para evitar traças
  • Caso precise fazer algum reparo, faça antes de guardar
  • Uma vez ao ano retire da embalagem (aproveite e reviva as memórias) e deixe seu vestido tomar ar fresco

2 – XIIII, O VESTIDO ESTÁ DANIFICADO, E AGORA?

Cada tecido reage de uma forma, então só levando na estilista para saber o que pode ser feito para o seu caso. Segundo a gaúcha Eduarda Galvani, é possível, sim, reparar a maioria das peças que chegam até ela, mas, para isso, é essencial que a cliente esteja aberta às opções.

“Se tiver alguma parte puída, podemos fazer algumas aplicações ou fazer uma técnica antiga de reconstituição do tecido. Mas tudo isso depende muito de qual é o dano”, Eduarda Galvani

A estilista do Rio de Janeiro Aline Ciafrino já foi responsável pela reconstrução de um vestido que era bordado todo com fio de metal. No decorrer dos anos, enferrujou. “Na época, pedi para um amigo que estudou belas artes comigo desenvolver uma tinta. A partir disso, todos os fios de metal foram pintados a mão para poder restaurar essa parte”, relembra ela.

3 – ESTILOS QUE ESTÃO MAIS ATUAIS DO QUE NUNCA

De acordo com Aline Ciafrino, algumas modas voltaram com força, como é o caso das mangas bufantes, que marcaram muito as décadas de 1980 e 1990. Apesar do retorno desse estilo, a carioca não indica usar algo que tenha se destacado tanto em outras épocas porque o vestido não se torna atemporal. Mas se esse for o estilo da noiva, go for it!

“Tecidos como o cetim italiano, que são mais lisos e sem grandes bordados, são um clássico. As rendas também nunca saem de moda”, Aline Ciafrino

4 – MODERNIZANDO

Muitas noivas buscam ver as inspirações fashion atuais no vestido herdado, mas nem sempre eles caem bem. Para a paranaense Lucélia Caldatto, primeiro é preciso “levar em consideração a personalidade da noiva e o estilo do casamento dela pra ver se conversa com aquela peça herdada”. 

Já para a Eduarda Galvani, a modernização do modelo vem a partir de um trabalho de recorte, montagem e criação de uma nova modelagem. “Dá pra desmanchar todo o vestido e usar o tecido porque ele pode ser a essência. Uma certa vez, usei a renda do vestido da mãe da noiva e utilizei esse detalhe numa peça criada do zero para a cliente”, conta a gaúcha.

“O principal é não perder a essência do vestido e respeitar suas características mais marcantes da década que foi criado ou inspirado”, Priscila Bonatto

5 – COMO TRANSFORMAR A PEÇA VINTAGE SEM DANIFICÁ-LA

Dependendo do tecido utilizado, ele pode ser super-resistente, e não degrada com o tempo. Se for delicado, tem que buscar um profissional que já entenda como vai ser feito o ajuste para não danificar o tecido durante o manuseio”, Lucélia Caldatto

6 – VÉU + VESTIDO: DEU MATCH?

O véu e o vestido nem sempre combinam, por isso é tão importante saber qual tipo de modelo está herdando e como quer transformá-lo para que tudo converse entre si. “No caso do véu, a ideia é criar o vestido que harmonize com esse acessório. Se for difícil conciliar as duas propostas, a sugestão é fazer algum detalhe no vestido atual com a peça guardada, ficando assim ali presente mas sem intervir na personalidade da noiva”, sugere Lucélia Caldatto.

7 –  2 EM 1: COMO TER UM VESTIDO DE NOIVA VERSÁTIL

Essa matéria é baseada totalmente no apego, no amor passado de mãe pra filha. Mas também tem gente que quer continuar usando o vestido que escolheu para o casamento. Levar consigo esse pedacinho de um dia tão especial e de uma forma versátil pode ser a solução para as noivas que estão sempre pensando em voltar a usar a peça que marcou a sua vida. A Priscila Bonatto fez isso para uma cliente. Criou uma saia esvoaçante cheia de camadas, um top cropped de cetim, sobreposto por um cropped rendado. Nesse caso, a noiva usou as duas partes de cima em diversas ocasiões após o casamento.

“Também é possível tingir determinados tipos de tecido para que a noiva use o vestido em outras ocasiões”, Priscila Bonatto

CRÉDITO

1, 2 e 3. Arquivo Pessoal – Aline Ciafrino | 4 e 5. Raul Portugal – Priscila Bonatto

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

É apaixonada pelos casamentos ao ar livre regados a alto-astral e as melhores músicas – sem dúvida “Chocolate”, do Tim Maia, vai abrir a pista de dança do seu. Acredita que a sua hora vai chegar aos 30, mas enquanto isso adora transmitir as alegrias dos noivos através das suas palavras.