10 tipos de tecidos para o vestido de noiva

Por  |  1 Comentário


Um miniglossário sobre os tecidos para vestido de noiva para ler e salvar nos favoritos. Vem ver!

Muito se fala sobre o vestido de noiva perfeito, mas você realmente sabe sobre a importância de escolher o tecido ideal para cada modelo? Se não, anota aí: eles influenciam – e muito! – no caimento e resultado final da produção. Determinados tecidos não casam com alguns modelos, assim como podem ser um match perfeito para outros.

Então que tal conhecer um pouquinho mais sobre eles antes de dar start nessa difícil (mas deliciosa!) escolha? A  nos ajudou na missão e elegeu 10 tipos de tecidos que costumam fazer muito sucesso quando o assunto se fixa em conquistar o vestido dos sonhos para o casamento. É um miniglossário para guardar a sete chaves, hein?! Papel e caneta na mão!

ZIBELINE

Tecido misto de seda, mais fino que o shantung e mais leve que o cetim, muito usado para vestidos de festa e vestidos de noiva.

Vestido de noiva em zibeline - foto Alexandre Hechtman

CETIM

Nome dado a um tipo de ligamento e também ao tecido macio e fluido que, por causa do entrelaçamento diferenciado de seus fios, possui o lado direito mais brilhante que o avesso.

O tecido cetim pode ser de qualquer matéria-prima, com densidade elevada de fios no urdume. Os cetins mais conhecidos são brilhantes, mas também podem ser semi-opacos ou até mesmo opacos, conforme a matéria-prima (acetato, viscose, poliéster), a torção ou o tratamento do acabamento (como na seda).

• Cetim boucol: semelhante ao cetim duchese, porém mais pesado, muito utilizado na alta-costura e em vestidos de noivas.

• Cetim changeant: cetim com duas cores na trama. Aparenta ter cores diferentes de acordo com a posição que se olha o tecido.

• Cetim charmeuse: cetim leve com bom caimento, brilho intenso e trama suplementar que pode ser vista no avesso.

• Cetim duchese: cetim mais pesado que o charmeuse, com brilho mais intenso e excelente caimento, geralmente em seda, acetato ou poliéster. A exemplo do boucol, tambpem é largamente usado em alta-costura e vestidos de noivas.

• Cetim peau d’ange ou cetim vision: cetim mais encorpado que o comum, com bom caimento e brilho discreto, utilizado na alta-costura e na decoração. Na tradução do francês, quer dizer “pele de anjo”.

• Cetim zibeline: cetim pesado com brilho acetinado e avesso em crepe. Por ser bem encorpado, é perfeito para modelos com corte evasê, incluindo vestidos de noiva.

RENDA

Tecido vazado cujos fios trabalhados manualmente ou com máquina se entrelaçam formando desenhos. As rendas podem ser de algodão, linho, poliéster e outras fibras. Dependendo do tipo, a renda é usada tanto na confecção de peças de vestuário como em decoração.

Vestido de noiva em renda - foto Alexandre Hechtman

CHIFFON

Em francês, o nome significa “trapo”. Trata-se de tecido muito fino e transparente de seda ou de fibras químicas sintéticas (normalmente poliéster ou poliamida), com fios com grande torção e resistência. O termo chiffon, quando combinado ao nome de outro tecido, quer dizer que este possui leveza. Por exemplo: crepe chiffon, tafetá chiffon, veludo chiffon.

TAFETÁ

Tecido lustroso e armado, de seda ou poliéster, com trama finíssima, superfície lisa, textura regular e keve nervura no sentido da trama. É um dos mais antigos tecidos conhecidos pelo homem (originalmente, era feito de seda). O nome tafetá tem suas raízes na língua persa, em que a palavra taften (e depois taftah) significa “entrelaçar”, “tecer”. O tafetá é utilizado principalmente para forros.

ORGANZA

Tecido fino e transparente, de trama simples, mais encorpado e armado do que o organdi. Antigamente era feito somente de algodão, mas hoje costuma ser feito de fio poliamida.

MUSSELINE

Tecido leve e transparente, com toque macio, produzido em seda ou algodão. Algumas musselines são conhecidas como crepe chiffon.

Vestido de noiva em musseline - foto Alexandre Hechtman

CREPE

Tecido com aspecto granulado e toque áspero obtidos pela torção diferenciada de seus fios, que podem ser de seda, algodão, lã, viscose ou poliéster. A torção, bastante elevada, provoca encolhimento do fio durante o tingimento, o que lhe confere o aspecto opaco e seco. O nome deriva da palavra francesa crèpe, que significa “crespo”.

SEDA

[É a matéria prima do] tecido produzido com fio natural secretado por lagartas. São inúmeros os tipos de seda.

TULE

Tecido sintético leve, armado, fino e transparente, tipo rede, semelhante ao filó de algodão, com malha redonda ou poligonal. É muito usado em véu de noiva.

Vestido de noiva em tule - foto Alexandre Hechtman

Fonte: “Tecidos – histórias, tramas, tipos e usos”.  / Dinah Bueno Pezzolo – Editora Senac São Paulo, 2007.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


ic indica

avatar

Uma sagitariana que tem a alegria como dom. É carioca, jornalista, tem 20 poucos anos e adora ser chamada de Duda. Como uma amante incurável de sorrisos e amores, espera que seu grande dia seja repleto deles. E que, assim como ela, você se torne uma multiplicadora fiel dessa dupla!