Prepare suas finanças para pagar o casamento

Por  |  0 Comentários


Ficar endividado para casar? Calma aí! Aprenda a arrumar as suas finanças para pagar o casamento

Texto Alessandra Pereira

Muitos casais sonham em ter um casamento dos sonhos, mas na hora de iniciar o planejamento se deparam com gastos altos. Os casamentos atuais são considerados como eventos de grandes proporções, cheio de detalhes e inovações que encantam noivos e convidados. Mesmo os mais compactos e com um número menor de pessoas, exigem um orçamento que nem sempre é compatível com a realidade do casal.

Vale lembrar que além dos gastos com a cerimônia e a festa, há também a casa nova se os noivos não morarem juntos. E quando o assunto é finanças, é preciso ter cautela para não começar uma vida nova já com dívidas gigantescas, trazendo para a relação o estresse da instabilidade financeira e brigas desnecessárias. Para evitar esse caos e ter um belo casamento, a opção mais acessível é fazer um bom planejamento financeiro ainda na fase de pré-casamento.

Planejamento financeiro é a saída para o casamento dos sonhos

Um pedido de casamento é um momento de emoção e felicidade para um casal apaixonado. Mas assim que começam a colocar no papel o que é necessário para fazer o casamento acontecer, o sonho perde espaço para a realidade. Custos com a cerimônia, bufê, bebidas, convites, vestido de noivas e outras diversas opções tentadoras, fazem com que os noivos fiquem impactados com os alto valores e pensem em desistir dessa empreitada.

Para ambos, o mais difícil é encontrar o meio termo entre gastar e economizar, até encontrarem o melhor caminho para conseguir concretizar o sonho. Se a família não tiver uma boa condição financeira que permita arcar com os custos, os noivos precisam começa um planejamento financeiro imediato.

Não é impossível realizar um belo casamento e ficar com as finanças em dias. Mas para isso os dois precisam criar uma planilha e detalhar todos os ganhos e gastos mensais, incluindo os supérfluos como cafezinhos e cerveja com amigos. É hora de enxugar gastos desnecessários ou exagerados, reaver contratos de serviços para manter só o que é importante e começar a investir uma parte dos recebimentos de ambos.

Esse passo é um ótimo teste para a vida conjugal, como um exercício de compartilhamento e união em prol de um bem comum. E quanto mais dinheiro ambos conseguirem juntar, menor serão os fornecedores parcelados e ainda poderão usufruir de bons descontos para pagamentos à vista. Já começar a vida conjugal com uma série de dívidas não é um bom negócio, por isso é fundamental que tudo esteja bem organizado até a data do “sim”.

O planejamento pode começar logo que o namoro começa a ficar sério e ambos identificam uma grande vontade de se casar. Se for observado desde o início esse perfil de família que ambos estão formando, é hora de começar a juntar dinheiro para dar início a trajetória do casamento.


Leia mais

+ Guia para a elaboração de contratos com fornecedores

bg-divisoria

+ Como não sofrer na hora de criar a lista de convidados

bg-divisoria

+ Padrinhos e madrinhas: escolhas, trajes e tradições


O casamento é o início de muitos projetos em comum!

Há casais que sonham em ter uma festa gigante, para pelo menos 500 convidados e que dure o dia inteiro. Alguns querem um destination wedding, mas precisam pensar em toda a infraestrutura pré e pós casamento para eles e os convidados. Ou há ainda os que sonham em se casar em locais da moda, cujo aluguel pode ser tão grande quanto sua beleza. Esses desejos megalomaníacos podem se estender a lua de mel, convites e até o tamanho do bolo.

Antes de decidir pelo formato da cerimônia, faça uma boa pesquisa com os fornecedores a partir da quantidade de convidados. É preciso ter clareza do que pode ou não ser realizado, sem prejudicar as finanças ou os sonhos do casal. É totalmente viável fazer um casamento menor, porém com todas os itens que o tornem maravilhoso e especial. Há belos locais disponíveis para sua realização e com um preço mais em conta, assim como os bufês, doces e bolos são mais baratos quando pensados para uma quantidade menor de convidados.

Quando começarem a fechar com os fornecedores o casal pode decidir por partilhar as parcelas adquiridas ou dar a uma das partes para se responsabilizar por elas. Não importa a decisão do casal, desde que ela seja tomada com consciência e sem prejuízos emocionais. De nada adianta que um se responsabilize pelo pagamento, mas se sentindo usado ou sobrecarregado. O diálogo deve estar sempre presente na vida do casal, especialmente quando o assunto são as finanças.

A produção de um casamento pode ser o começo de outros projetos à dois. Afinal, ambos estão construindo uma nova família, formando novos hábitos e padrão de vida, iniciando um patrimônio familiar. A forma como pensam em dinheiro e o utilizam é essencial para desenhar o futuro da relação e como poderão conquistar tantos sonhos pela frente.

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr