Como driblar a crise no mercado de casamentos?

Por  |  0 Comentários


Conversamos com o proprietário da , empresa de referência no mercado de casamentos, e desvendamos seu segredo para se manter competitivo no atual momento de instabilidade

mercado-de-casamento-foto-divulgacaoCriatividade no desenvolvimento de novos produtos, contenção de gastos e um foco cada vez maior na qualidade de sua mão de obra. Aliados a uma agressiva política comercial coordenada por Marieli Araujo, sócia da empresa, esses são os principais pilares adotados pela para contornar a crise do país.

Afinal, engana-se quem pensa que o setor de eventos passa ileso pelo momento de instabilidade. Quase ninguém deixa de se casar, é verdade, mas o formato das comemorações vem sofrendo ajustes em função do budget dos casais.

“Vivemos um momento especulativo porque não sabemos o que vai acontecer amanhã e a instabilidade impacta nosso trabalho. É exatamente em tempos assim que os fornecedores precisam ser criativos, enxugar gastos e investir no treinamento de seus funcionários para evitar custos desnecessários, já que qualquer erro custa muito caro”, opina Fernando Rondeau Araujo, fundador da empresa especializada na fabricação e aluguel de móveis. Para ele, também é fundamental captar novos clientes e valorizar o relacionamento com parceiros, em especial os produtores de eventos.

A importância dada pela ao assunto faz sentido. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2016 o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro já recuou 4,6%. Nos últimos 12 meses, a baixa chega a 4,9%. Embora esteja no mercado há muitos anos e já tenha passado por outros momentos de instabilidade, Fernando avalia que o porte atual da empresa resulta em riscos bem maiores.

“Os cuidados que hoje dispensamos são mais significativos porque a empresa está muito grande, então os custos também são elevados. Nossa manutenção é alta, pois temos cinco barracões de móveis para administrar. É preciso estar sempre atentos”, afirma. Sob outra ótica, o cenário de incertezas resulta em boas notícias para os noivos – um diálogo cada vez maior com os fornecedores. “A gente sabe que o orçamento diminuiu e tudo tem que ser adaptado. Há materiais de qualidade para todos os preços”, explica o empresário.

E AGORA, JOSÉ? DICAS PARA OTIMIZAR O ORÇAMENTO DA FE$TA

– Feche com antecedência para ter descontos e facilidades na forma de pagamento

– Negocie! Não há nenhum problema nisso

– Busque referências em veículos formadores de opinião e certifique-se da qualidade dos fornecedores. O barato pode sair caro!

– No caso dos móveis, faça uma visita ao escritório da empresa para conferir os produtos de perto

Gostou desta matéria? Veja a opinião de outros profissionais do setor sobre a crise no mercado de casamentos!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


ic indica

avatar

Nascida em Minas, criada em Recife e apaixonada pelo Rio. Viajar o mundo é seu sonho, o que torna luas de mel e destination weddings um caso de amor à parte. Escolheu o jornalismo pela inquietante vontade de transformar em palavras histórias que mereçam ser contadas.