Casamento no Japão

Por  |  0 Comentários


O cerimonialista mineiro Paulo Rossi foi repórter por um dia da Inesquecível Casamento e fez um relato da experiência que teve em Tokyo, descrevendo os costumes de um casamento do Japão.

Para ele, casar nunca saiu de moda (nem pra gente, claro!). Do outro lado do mundo, até em casamentos de noivas com o perfil mais moderno, a tradição comanda a festa e transforma o casal em ícones de reverência e luxo. São muitas referências a cultura tanta religiosa quanto comportamental.

Paulo Rossi é repórter por um dia na Inesquecível Casamento e fala sobre CASAMENTO NO JAPÃO

Trabalho com produção de eventos e casamento é o que mais faço. Vivencio este assunto diariamente e quando viajo aproveito a oportunidade para ver, participar e pesquisar sobre as mais diferentes formas de fazer casamentos.

Já tive a oportunidade de produzir casamentos na Europa, América do Norte, África e América do Sul, faltava a Ásia e me dei o direito de ir e pesquisar in loco. Recentemente, viajei ao Japão e pude apreciar como são os casamentos por lá.

O Japão é um país de cultura milenar, com uma história riquíssima, cheio de tradições, eles não poderiam ser diferentes quando se casam. Extremamente ligados às tradições das religiões budista e xintoísta, eles recorrem na maioria das vezes aos templos xintoístas para a realização das cerimônias cheias de encantos, rezas, aromas de incenso, flores e muita cor.

Existem templos dedicados aos deuses do amor que recebem os jovens namorados e os compromissados para fazerem juras e pedir proteção por toda a futura vida a dois. As cerimônias podem ser realizadas com os noivos usando trajes tradicionais japoneses, os elaboradíssimos e riquíssimos quimonos, ou usando vestidos, ternos, smokings de origem ocidental, mas ambos, sempre ricamente ornados ou bordados com técnicas antiquíssimas.

casamento no japao - templo

Interior templo xintoista. Tokio

Peculiaridades da noiva e do noivo japonês

O quimono tradicional é uma indumentária usada no dia a dia por uma grande parcela da população japonesa, de ambos os sexos, que prezam os costumes ancestrais, geralmente confeccionados em tecidos finos,  bordados ou não, com suas amarrações especiais, que conferem às mulheres japonesas ou a quem os usar um andar diferenciado e cheios de trejeitos; são mais largos na parte superior  e vão se afunilando ao longo das pernas até atingirem os tornozelos. Os “obis” ou faixas, trespassando o quimono feminino, formam verdadeiras esculturas nas costas acima da cintura.

Outra particularidade que acrescenta uma graça superespecial, são as meias brancas de seda, com dedos separados e os tamancos  altos de madeira com tiras de tecido ou couro.

Noivos e noivas ricamente vestidos e adornados não dispensam o leque, que além das funções originais de combate ao calor, ainda são utilizados como veículo para sinais e códigos entre eles.

Os quimonos das cerimônias muitas vezes coloridos, com bordados que na sua grande maioria evocam a natureza, trazem galhos de pessegueiros, longas hastes de cerejeiras, pássaros e um sem número de flores, além de pedrarias e pérolas de todos os tamanhos e cores. Tudo isso utilizando sedas finíssimas, brocados e outros tecidos luxuosos como base para as realizações artísticas feitas com agulha, linha e mãos de uma habilidade indescritível.

A indumentária da noiva não dispensa os complementos que trazem uma maquiagem artisticamente executada com coloridos suaves e os cabelos em toucados deslumbrantes. Muitas vezes as sombrinhas de bambu e papel são usadas para proteger o casal dos raios de sol, quando estão ao ar livre em fotos posadas para os álbuns de casamentos.

gueixa

Branco, símbolo de pureza e castidade assim como no ocidente, também é uma cor eleita para a confecção do traje da noiva entre outras cores. Em todo o Japão pude ver quimonos brancos destinados às cerimônias de casamento, expostos em vitrines de lojas luxuosas com preços estratosféricos.

Coroas, véus, grinaldas, cabelos ornados ou não com flores naturais, não deixam de ser usuais, mas o que me chamou mais atenção foi uma espécie de mitra (chapéu de bispos), feita em seda branca muito fina, com a sua forma ovalada que recobre toda a cabeça da noiva, deixando entrever o rosto (todas que vi eram lindas e exóticas) com a sua espetacular maquiagem.

 

DSC_0993.JPG

O mercado de casamento no Japão

A indústria do casamento no Japão é extremamente organizada, ampla e emprega um contingente enorme de profissionais, metódicos e experientes. Presenciei o trabalho de equipes de produção e de cerimoniais (quase sempre de preto), executando as mais diferentes tarefas nos eventos com uma disciplina de fazer inveja às academias militares. Séquitos e batalhões de profissionais correndo de um lado para o outro, utilizando os mais modernos aparatos tecnológicos para auxílio das tarefas, entre eles minúsculos rádios de comunicação e seus invisíveis fones.

Assim como no Brasil, revistas especializadas trazem reportagens sobre as mais diferentes modalidades de casamentos, apresentam e indicam locais inusitados, paradisíacos, salões e espaços em hoteis para a realização dos sonhos e devaneios de cada noiva e noivo. Há descritivo e indicações de todo o arsenal de fornecedores que vão das lojas especializadas em confecção dos trajes ao buffet, passando pelos fotógrafos, decoradores, floristas, joalheiros, salões de make-up e hair entre muitos outros.

Fotografia é outro item indispensável e amplamente difundido no mercado de casamentos japoneses. Não é raro se ver mais de uma equipe fotografando as noivas em parques, santuários, templos e locais com arquitetura exuberante servindo de cenário ao novo casal.

Doces japoneses para casamento 

O quesito doces de festas é absurdamente complexo; repleto de sabores exóticos, apresentações inusitadas, aromas encantadores e tudo com uma delicadeza de formas e tamanhos só vistos lá. O chá que é presente na cultura de forma expressiva, também não fica de fora dos casamentos com seus aromas específicos, vasilhames de cerâmica e porcelana, cheios de significados e carregados de simbologia.

loja de doces finos

Comportamento dos noivos

A vaidade e cuidado com a aparência no Japão, não se restringe ao universo feminino e o mundo masculino também tem as suas particularidades na escolha da indumentária tradicional ou ocidental para a hora do sim.

O traje tradicional masculino em quase todos os casamentos que vi é composto por: camisa branca sem gola, trespassada sobre camisa preta também sem gola e também trespassada, o quimono preto e comprido, sempre abaixo dos joelhos ou até os tornozelos e, a calça geralmente listrada em branco e preto, muito larga, formando quase uma saia longa, com amarrações de diversas formas na cintura.  Os quimonos vêm adornados por um pequeno colar de contas ou um cordão de seda, que liga ambas as abas do quimono.

E como é o bufê de um casamento japonês?

Japoneses gostam de comer e como todos sabem são refinadíssimos nesta hora. O “food design” para casamentos é algo inacreditável, com suas porções de sushis, sashimis, tempuras e diversos outros derivados de frutos do mar, carnes e aves; bolinhos minúsculos quentes ou frios, com seus maravilhosos molhos, servidos em minivasilhas que lembram porta-joias. Na parte dos doces me encantaram as lojas especializadas, que mais parecem joalheiras; com seus docinhos em diversos formatos, cores e sabores, destacando-se entre eles os feitos com chá verde. Um muito usado é o “moti”, feito com feijão e muito açúcar.

Para as bebidas existem sakês dos mais variados preços com alguns mais caros do que o mais caro dos whyskies. Inclui-se também nas cerimônias mais refinadas o champanhe francês e vinhos de altíssima qualidade do mundo inteiro.

Outro casal pós cerimonia em kioto tradição e tecnologia DSC_1000.JPG DSC_0995.JPG Golden Temple-KYOTO Hotel Park Prince T Interior de templo XINTOISTA preparado para cerimonia-TOKYO- japão

Paulo Rossi

Temporada das Cerejeiras / Tokyo / Kyoto

Abril 2015

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Jornalista mineira, dona de uma coleção de sonhos e apaixonada pelo o que é leve. Nunca subiu ao altar, mas nutre a certeza de chegar lá com seu amor da vida. Adora combinar palavras para contar histórias e assume ter uma queda por casamentos ao ar livre.