Fazer reformas no vestido de noiva: sim ou não?

Por  |  0 Comentários


Na verdade, reformar o vestido de noiva é uma escolha sua! E para isso, separamos as dúvidas principais que as noivas possuem na hora de tomar essa decisão. Confira!

A escolha do vestido de noiva é uma das etapas mais emocionantes e importantes dos preparativos do casamento. Afinal, é com ele que ela irá subir ao altar, dizer sim e unir para sempre as escovas de dentes. Não é à toa que, antes de tomar a decisão final, pesquisa e consulta estão entre as fases do processo.

Além disso, tem sempre O vestido. E não importa o que os outros falem ( e não é para se importar mesmo, ok?) é ele o escolhido para fazer parte do grande dia. Mesmo que sejam necessárias reformas ou ajustes para que o modelo fique perfeito da cabeça aos pés.

Por isso, separamos algumas questões bem bacanas para tirar as dúvidas principais que as noivas possuem quando o assunto é ajustar ou reformar o vestido de casamento dos sonhos!

1 – Preço:

De acordo com , o valor depende muito da proposta. Isso porque, se a mudança for muito grande, às vezes, em termos de custos, é melhor começar um modelo do zero. Por isso, ao mesmo tempo que reformar o vestido pode ser mais em conta, também pode gerar muitos gastos fora do orçamento.

DE OLHO NO BAZAR!

Você já ouviu falar no Bazar Atelier Fernando Peixoto? De duas a três vezes no ano, o estilista reúne as peças de coleções passadas em um grande bazar. Nele, é possível encontrar look para noivas, madrinhas, daminhas e mães.

Neste bazar, é possível contratar o serviço de reforma do vestido, que possui um valor fixo de R$2.500,00, e inclui passadora, lavanderia, toda reforma e revisão do bordado, os ajustes de costura e, brindes – acessórios do cabelo, ou anágua.

2 – Como modificar?

Quando uma filha usa o vestido de noiva da mãe, ela sente como se a mãe estivesse junto com ela. Por isso, o ideal é fazer mudanças que não deixem que o modelo perca sua essência.

Para Fernando Peixoto, a coisa mais difícil para modificar é a estrutura do vestido. O máximo que pode ser feito é transformar um modelo sereia em um semi-sereia, por exemplo. Pequenos detalhes, somente.

 


“As reformas de corte e estruturas devem ser sútis. Bordados e aplicações são fáceis de ser modificados. Tentar mudar o corte pode ser algo fatal. Afinal, se você compra um modelo sereia, não queira modifica-lo por um princesa.”

(Fernando Peixoto Atelier)


O mais importante é pensar se a reforma realmente é a melhor escolha. Ela deve ser especial e combinar com a noiva. Portanto, segundo Carlos, deve ser uma decisão inteligente em todos os sentidos, desde pela reutilização quanto pelos sentimentos.

3 – Tempo de antecedência:

É importante lembrar que toda e qualquer mudança no look dever ser muito bem pensada, tanto pela noiva, tanto pela costureira. Afinal, o vestido dos sonhos não pode ser feito às pressas. Por isso, quanto antes a cliente entrar em contato, melhor é. Além disso, se a reforma for muito grande, é preciso do mesmo tempo necessário para começar a peça do zero.

Para Fernando Peixoto, é possível fazer uma reforma de dois a três com antecedência. Mas o vestido deve ser entregue na semana do casamento, para não correr o risco do corpo da noiva sofrer alguma mudança.

4- Devo fazer a mudança com a mesma estilista que comprei o vestido?

Para Carlos Bacchi, é o ideal. Afinal, cada profissional possui um processo de criação e confecção diferente. Por isso, é bem mais legal, e facilita muito, trabalhar com a mesma cabeça pensante que criou o modelo.

Caso a sua decisão final seja a de que o modelo não é reaproveitável para você como peça, não se preocupe! Ainda assim, é possível desmontar toda a peça e reutilizar todos os tecidos, mesmo que sejam para produzir peças que você irá utilizar no dia a dia.

REFORMAS DE VESTIDOS DE NOIVA E O CONSUMO CONSCIENTE:

“Vale ressaltar que para quem é adepta do consumo sustentável, reformar o vestido é uma ótima opção. Afinal, um bom modelo, normalmente, envolve um grande consumo em todos os sentidos – quantidade de materiais, dinheiro. Sou a favor de reaproveitar coisas boas e preciosas, e acho que tecidos ou peças prontas são ótimos exemplos.” ()

“A reutilização de materiais é uma coisa essencial para a vida, e o bom profissional sabe como dar uma versão nova para uma peça antiga. A moda sempre foi muito vintage, então isso é uma forma de consumo consciente.” (Fernando Peixoto Atelier)

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Carioca e aquariana. Apaixonada por escrever e contar histórias. Não se encaixa em nenhuma outra profissão. Sonha com um casamento tradicional e cheio de romantismo!