Mães versus despedida de solteira: você convidaria a sua?

Por  |  0 Comentários


Reunimos o depoimento de algumas noivas que apostaram na ideia de convidar suas mães para a despedida de solteira ou chá de lingerie – e não se arrependeram. Confira essas histórias!

Você convidaria a sua mãe para a despedida de solteira? Fizemos essa pergunta no Instagram da Inesquecível Casamento e, mais de 10 mil respostas depois, nos surpreendemos com o resultado. Isso porque 62% das respondentes afirmaram que sim, convidariam! O quão legal é isso?

Pois é… os tempos estão mudando e, cada vez mais, mãe e filha não têm tempo para perder com tabus. Elas querem mesmo é motivos para estarem juntas e curtirem cada momento dos preparativos.

Despedida de solteira: shots - Crédito Reprodução

Mas vale dizer que, até na opinião das que embarcaram de cabeça na ideia, é claro que a decisão vai depender da personalidade de ambas. Afinal, ninguém quer ficar desconfortável na sua própria despedida de solteira.

Pensando nisso, conversamos com noivas cujas mães participaram (e muito!) de cada etapa antes do sim. Quer ver o que elas contaram para a gente? O chá de lingerie também entrou na equação e uma delas teve até da sogra neste momento!

ANDRESSA, DO PARANÁ

“Eu tive dois eventos pré-wedding, um chá surpresa organizado pela minha mãe e a minha despedida, que aí sim fui eu que organizei. Ela estava no chá de lingerie e por eu já não ser nenhuma menininha, não me senti nem um pouco inibida pela presença dela. Pelo contrário, acho muito legal quando minha mãe participa desses momentos.

Mas, realmente, isso não funciona para todo mundo. E penso que depende mais do perfil da noiva do que da mãe; se ela aceita bem e fica à vontade com o estilo da mãe, dá supercerto. Não deixei de fazer nenhuma brincadeira porque minha mãe estava lá; as meninas me davam shots de vodka como punição nos jogos e minha mãe só ria. Foi muito divertido!”

Despedida de solteira: chá de lingerie - Foto Divulgação

LIS, DE MINAS GERAIS

“A minha despedida foi muito especial e diferente de tudo o que já vi. Aconteceu em abril de 2017, na escola de dança Meia Ponta, que é da minha mãe há 30 anos. E tudo foi bolado por ela! Sem que eu soubesse de nada, entrou em contato com as minhas melhores amigas, que cresceram junto comigo e estão vivendo cada uma em um pedaço do país, e planejou cada detalhe. A despedida foi temática e todas estavam vestidas de pin-ups. Fizeram coreografia quando entraram e cada uma tinha um objetivo/tarefa dentro da brincadeira. Nós nos divertimos muito!

Achei o timing do evento (mais ou menos um mês antes do casamento) muito bom porque estava todo mundo à flor da pele. Nós nos encontramos e, depois de semanas, estavam todas juntas outra vez. Se a despedida fica muito distante, acho que perde um pouco disso.

Sobre a presença da minha mãe, nós somos tão amigas desde sempre que seria estranho ela não fazer parte deste momento. A nossa sintonia é tão grande que a organização partiu dela e, como ela sabe que eu jamais acharia ruim, nem precisou do meu aval. Mas eu também acho que nem toda mãe gostaria de participar. Afinal, não é todo mundo que tem tanta liberdade para fazer brincadeiras e falar de coisas mais íntimas com as suas mães.

A minha sogra, por outro lado, não estava presente. Na hora que minha mãe perguntou a minha opinião, eu me opus porque achei que não teria muito a ver, apesar de eu amá-la. É que não tenho liberdade de falar coisas tão íntimas e imaginei que, se ela fosse, eu ficaria muito tímida. Não seria eu mesma!”

Despedida de solteira temática - Foto Arquivo pessoal dos noivosDespedida de solteira temática - Foto Arquivo pessoal dos noivosDespedida de solteira temática - Foto Arquivo pessoal dos noivos

NATAYANNE, DO RIO DE JANEIRO

“Eu pensava em fazer um chá de lingerie, mas desisti quando comecei a ter muitos imprevistos na organização da festa e da cerimônia, pois tive que alterar local e data três vezes, acabei perdendo dinheiro e o nervosismo das mudanças em cima da hora estava cada vez maior. Foi então que minhas madrinhas resolveram fazer um evento surpresa, o que me deixou muito feliz. Vale muito a pena, não só pelos presentes, mas pela confraternização de estar com pessoas tão importantes!

Para mim, foi essencial a minha mãe estar presente. Na verdade, acho que ela foi a mais animada! Seu astral é sempre muito bom e, mais do que ninguém, ela sabia o quanto eu estava tensa com tudo e o quanto me faria bem ter esse momento. O que, a princípio, me causou estranheza foi o fato de minha sogra estar lá – uma vez que não tínhamos tanta liberdade e intimidade.

Fiquei um pouco sem graça, principalmente quando entrou o gogo boy. Não que isso fosse algo fora do comum, mas não tinha certeza de como ela reagiria a essa brincadeira! Mas, no final, foi ótimo. As duas mães foram muito participativas, se divertiram e acredito que, para elas, tenha sido muito importante estar presente.

Eu me sinto muito bem em poder ter minha mãe em diversas ocasiões. No caso da minha sogra, foi um aprendizado para ambas as partes. Ela acabou se aproximando de todas e viu que se tratava de uma brincadeira entre mulheres, sem nada fora do normal acontecendo.”

Despedida de solteira: taça noiva - Foto Arquivo pessoal dos noivos

Gostou dessas histórias? Conte para a gente como foi (ou será!) a sua despedida de solteira.


Créditos

1- D51 Fotografia | 2- Reprodução | 3 a 6- Divulgação | 7 a 10- Arquivo pessoal dos noivos

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Nascida em Minas, criada em Recife e apaixonada pelo Rio. Viajar o mundo é seu sonho, o que torna luas de mel e destination weddings um caso de amor à parte. Escolheu o jornalismo pela inquietante vontade de transformar em palavras histórias que mereçam ser contadas.