Túnel do tempo: casamento Fernanda e Paulino Basto

Por  |  0 Comentários


Comemorando bodas de esmeralda, a socialite Fernanda Basto e seu marido Paulino Basto relembram o casamento e contam tudo que mudou de lá para cá. Confira!

1976 foi ano em que o VHS foi criado (isso no EUA, no Brasil ele só chegou na década de 80). A descoberta mudaria a forma como contamos histórias, inclusive as de casamento, que ganharam som e movimento. Mas, naquela época, as lembranças do grande dia ainda eram guardadas somente em fotos, e em preto e branco. Nos álbuns, a tradicional encadernação com espiral dourada fazia sucesso.

É dessa forma que a socialite Fernanda Basto guarda as memórias do dia sete de abril do mesmo ano. Quando subiu ao altar da igreja Nossa Senhora de Bom Sucesso, para dizer sim a Paulino Basto. Ela, aos 18, e ele, com 22, se casaram após três anos de namoro – que começou com um pedido via telefone e virou noivado com a bênção dos pais, da forma tradicional. Os dois se conheceram na casa de uma amiga em comum, Matilde Campos da Silva.

Casamento antigo Fernanda e Paulino Basto: véu para noiva - Foto José Gentil

O VESTIDO 

A mãe de Fernanda, Marlene Rodrigues dos Santos, foi até a Dior, em Paris, encomendar o croqui do vestido de noiva, que foi produzido no Brasil por Dona Iracema, costureira da família. O modelo clássico de organza e renda – também comprada na grife francesa – era marcado na cintura e tinha transparência no busto e braços. A manga longa, em modelagem flare, era a marca da moda nos anos 70 (elas voltaram com tudo nos vestidos com pegada boho). Completando a produção, véu longo nas costas e curto na frente para cobrir o rosto, e grinalda com flores artesanais de miguê. As mesmas do buquê, que Fernanda ainda tem guardado.

Casamento antigo Fernanda e Paulino Basto: vestido de noiva da Dior - Foto José Gentil

DE MÃE PARA FILHA 

Sem a ajuda de produtores ou cerimonialistas, os casamentos eram organizados pelos pais da noiva e foi Marlene que tomou conta de todos os detalhes, da cerimônia à recepção no Jockey Club. Mas essa também se tornou uma tradição de família. Anos depois, Fernanda cuidou sozinha da produção do casamento das duas filhas. “Não foi complicado, pois foram casamentos pequenos”, conta. A filha mais velha, a designer Constança Basto – internacionalmente conhecida pelos seus sapatos, que encantaram celebridades como Nicole Kidman, Cameron Diaz, Charlize Theron e Britney Spears – celebrou o casamento com um coquetel na casa dos avós maternos, Marlene e Antônio Rodrigues dos Santos. Já a filha mais nova, Georgianna optou por um jantar na casa dos tios, Arnaldo e Inês Basto. “Contei com a ajuda de muitos amigos, que também são ótimos fornecedores. Mas nos casamentos grandes, atualmente, é impossível organizar tudo sem um cerimonial, pois são muitas tarefas”, confessou a socialite. Foi também o fotógrafo José Gentil que registrou os três casamentos das duas gerações.

Casamento antigo Fernanda e Paulino Basto: entrada da noiva - Foto José Gentil

♥ MUST HAVE ATEMPORAL  

“Não podiam faltar nos casamentos os doces e bolo da Dona Margarida, doceira tradicional do Rio de Janeiro. Hoje em dia, muita coisa mudou, mas a mesa de doces continua o ponto central da festa.”

Fernanda e Paulino Basto: bolo de casamento vintage - Foto José Gentil

DE JANTARES REQUINTADOS À BALADAS SUPERMODERNAS 

Nos anos que separam o casamento de Fernanda aos das suas filhas, muitas coisas mudaram. Antes as cerimônias eram realizadas em dias de semana – terça, quarta ou quinta-feira, preferencialmente –, hoje elas ocorrem nos fins de semana. A recepção também mudou e, muito. Os jantares e almoços viraram grandes festas que avançam madrugada adentro, com DJs e atrações especiais. “Minha recepção, por exemplo, foi um jantar em uma quarta-feira ao som de violinos”, relembra Fernanda.

E não para por aí, a frequência também se transformou. “Antes, os padrinhos eram os melhores amigos dos pais do casal. Hoje, os convidados são majoritariamente jovens e as pessoas mais próximas aos noivos ganharam lugar no altar”, conta a socialite. Para ela, a chave da mudança está na maior participação dos noivos nos preparativos, refletida no perfil da festa. Por outro lado, as pessoas têm menos tempo para planejar tudo, pois estão se casando mais velhas, quando são mais atarefadas. “Isso faz dos profissionais peças-chaves para uma festa de sucesso”, reflete Fernanda.

Acostumada a frequentar eventos badalados, ela revela que o segredo de receber bem é fazer da festa um momento de alegria e bem-estar, para anfitriões e convidados. Já no casamento – que completou 40 anos em 2016 – a receita é amor, respeito, paciência e uma dose extra de querer fazer dar certo. 

Fernanda e Paulino Basto: fraque para noivo - Foto José Gentil

ROUPA DE FESTA X ROUPA DE CASAMENTO 

Nada de vestidos curtos ou tomara que caia. Na década de 70, segundo Fernanda, havia um dress code especial para festas comuns e outro só para casamentos. Chapelaria, turbantes e luvas estavam em alta. O visual requintado imperava.

Fernanda e Paulino Basto: dress code para casamento  - Foto José GentilFernanda e Paulino Basto: cerimonia religiosa  - Foto José Gentil

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Uma paulistana que quer conhecer o mundo e encontrou no jornalismo sua forma de transformar paixão em profissão. Adora histórias e não resiste a uma boa conversa. Prefere miniweddings mais descontraídos, mas promete ajudá-la a deixar seu casamento exatamente como sonhou.