Casamento na praia: dicas dos especialistas Raquel Goulart e Sávio Cardoso

Por  |  0 Comentários


Entra ano, sai ano, e casamento na praia continua sendo a opção de muitos casais. Os motivos para isso são os mais diversos.

Mas como faz para casar na praia? Quem precisa autorizar? Qual a melhor época? Como decorar?

São muitas questões que causam dúvidas. Por isso, conversamos com os decoradores e especialistas em casamento na praia e ao ar livre Sávio Cardoso e Raquel Goulart e eles compartilharam informações importantíssimas e que você vai saber agora!

Vamos começar pela pergunta que não quer calar: qual o principal motivo para os casais decidirem casar em uma praia?

Para Sávio o motivo é “ter um contato mais próximo com a natureza, os pés na areia e o barulho das ondas no fundo é perfeito para os apaixonados pela praia, optar por um casamento com esses aspectos naturais acaba encantando muitos casais”.

Ele ainda complementa que “além de ser a paisagem perfeita para dividir um momento tão especial, também permite um fim de semana de felicidade, uma vez que o evento dura entre 2 e 3 dias”, e também não podemos esquecer da liberdade, já que esse também é um fator que sobressai na hora da escolha do local.

E essa é a mesma opinião da decoradora Raquel Goulart. “O casal decide casar na praia por vários motivos: a vista linda, o clima de praia, a possibilidade de ter fotos ao pôr do sol, de passar um fim de semana inteiro comemorando com a família e os convidados tendo pré e pós-wedding, sem aquela sensação que a festa acabou, sabe? A vantagem também de ser muito mais descontraído onde os noivos podem escolher como eles realmente querem casar, fugindo do padrão e das formalidades”, explica.

Mas para realizar este sonho é um pouco mais burocrático. Raquel explica que, em Búzios por exemplo, o que é mais comum acontecer é os noivos casarem em hotéis, casas particulares, pousadas de frente pro mar ou com vista mar, justamente porque casar com pé na areia é um pouco mais chatinho.

Para quem não abre mão do pé na areia no grande dia, segundo Sávio, precisa:

  • Entender que não são todas as praias que estão liberadas para ter o casamento pé na areia.
  • Saber que exige uma série de autorizações, principalmente, da prefeitura, órgãos de proteção ambiental.

Então a dica dele é:

  •  Busque a prefeitura local pelo menos 6 mês antes de se casar para obter o Alvará.
  •  Evite alta temporada ou feriados prolongados, pois hotéis e pousadas estarão cheios nessa época, causando alguns estresses.
  •  Caso escolha se casar em uma praia pública, podem surgir curiosos. Estejam preparados para isso.

Praias geralmente são os principais pontos turísticos de uma cidade e nas melhores épicas estão sempre lotadas, então qual é a melhor época para um casamento neste cenário?

A decoradora sugere “sempre fugir das altas temporadas, onde as cidades estão muito cheias, pousadas e hotéis lotados, muito trânsito e praias lotadas”. Sávio ainda complementa “as noivas sempre têm a mesma preocupação: e se chover? Por isso, se pensa em casar em Búzios, por exemplo, fique atenta aos meses com maior índice de chuvas na região: janeiro e dezembro. Indico muito abril como um dos melhores meses para casar na região”.


Leia mais

+ Os drinks originais de maior sucesso nos casamentos

bg-divisoria

+ Os mais badalados estilistas de Brasília

bg-divisoria

+ O que escrever no convite de casamento?

 


Para um casamento na praia, a decoração também tem que ser neste estilo, não é mesmo? Quando perguntamos sobre quais estilos que podem acontecer na praia, ambos foram enfáticos: tem que ter a cara dos noivos!

“Qualquer estilo de casamentos pode acontecer na praia. Depende do gosto de cada um. Eu, particularmente, sempre procuro mostrar aos meus noivos o que acho de mais autêntico para se casar na praia. Uma decoração leve, clean, elegante e surpreendente. Busco equilibro em tudo que faço na minha vida, portanto, não poderia ser diferente em minhas decorações. O importante é trazer a identidade dos noivos para a decoração valorizando a história deles”, explica Raquel.

Já para Sávio, “aquele lindo céu bem azul, com um mar de fundo é um cenário admirável que ganha ainda mais valor em uma decoração”, e é por isso que ele cuida de tudo para que tudo fique como os noivos sonharam. “Busco com eles referências do que eles gostam e tento levar esse estilo para decoração. Então, o estilo sempre é a cara dos noivos”.

Ele ainda nos conta alguns estilos que são sempre bem vindos: boho, tropical, temática e minimalista.

Mas decoração de casamento sem flores não rola, não é mesmo? Mas em um lugar que estamos vulneráveis às condições climáticas como ventania, por exemplo, quais flores escolher?

Sávio aposta em flores tropicais “por conta do clima e da harmonia com a paisagem. Entre as flores mais resistentes ao calor estão: Callas, Proteas, Bromélias, Lírios, Antúrios e Orquídeas”. A aposta de Raquel é “evitar as espécies que não suportam temperaturas muito altas e muito vento e,  sem excessos e com muita conscientização, priorizamos o uso de flores plantadas e flores nobres. Desenvolvemos nossos projetos para gerar menos impacto ambiental e mais impacto emocional e afetivo”, explica.

E, assim como as flores, para Raquel, velas também não podem faltar de forma alguma em um casamento na praia. Além disso, fibras naturais como tapete de sisal, cortina de linho, luminárias de bambu também não podem ficar de fora.

Para Sávio, o que não pode faltar é cor e alegria! “Acho que quando imaginamos uma casamento na praia, pensamos em algo alegre com uma decoração bem colorida. Podemos fazer uma mescla de cores claras e neutras, como bege e off-white, mas arranjos de flores bem coloridas, para enriquecer o ambiente e deixar a decoração com um estilo mais alegre e descontraído”, finaliza.

Sabendo de tudo isso, já conseguimos imaginar o trabalho que este tipo de casamento dá, mas para Sávio, o maior desafio dessa preparação é o vento e a chuva! Ele explica o motivo. “São meses (ou anos) planejando minunciosamente cada detalhe para esse dia memorável. Por isso sempre deixo muito bem estruturado o plano B em caso de chuva. Verifico todas as possibilidades que o local oferece. Assim, garantimos que a festa continue mesmo com uma mudança radical do tempo”.

Ufa, ainda bem que sempre existe um plano B! Mas também existem outros desafios, como o de Raquel. “O meu maior desafio e também o meu maior presente é conseguir entender claramente o que é importante para os noivos e o que vai fazê-los felizes. E trazer tudo isso para a decoração. A ideia é que eles se reconheçam, se vejam em cada detalhe e que os próprios convidados vivam também esta experiência e percebam que a decoração foi feita exclusivamente para os noivos. Isso que eu chamo de decoração afetiva”, conta a decoradora.

E antes de finalizarmos, Sávio deixou uma superdica para os que desejam ter a praia como palco do grande dia. ” Não abra mão de se casar no pôr do sol. Não há flash ou luz igual à luz natural. E há um período do dia em que ela é perfeita, a chamada “golden hour”.

Ele também complementa que “uma excelente escolha é celebrar o casamento ao entardecer, pois a temperatura começa a cair um pouco e deixa bem ameno o clima. Além disso, as fotos ficam com menos sombras e o céu é um esplendor”.

Anotou as dicas?

Foto Sávio Cardoso

Foto Sávio Cardoso Design

Foto Sávio Cardoso

Foto Sávio Cardoso Design

Foto Sávio Cardoso Design

Foto Sávio Cardoso Design

Foto Sávio Cardoso Design

Foto Sávio Cardoso Design

Foto Sávio Cardoso Design

Foto Sávio Cardoso Design

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr