Buffet: o preço médio para um serviço de qualidade

Por  |  0 Comentários


O preço do buffet de casamento é sempre uma grande dúvida para quem está a um passo do altar. Veja a opinião de dois fornecedores do setor, um do Rio de Janeiro e outro de Recife!

A nossa saga para levantar o preço médio de um casamento no Brasil continua a todo vapor, mas precisamos admitir: cada vez fica mais claro que tudo pode variar, dependendo do estilo proposto para o seu evento. Após falar sobre vestido de noiva e convites, é hora de olhar para um dos segmentos preferidos de todo mundo – o buffet.

Não há quem discorde que os comes e bebes são alguns dos segredos de uma boa festa, por isso muito cuidado ao escolher esses fornecedores. Pesquise, aventure-se em degustações e seja muito crítico(a). Saiba, também, que o valor destinado a esse serviço é consideravelmente alto e terá como chave a lista de convidados. Afinal, cobra-se por pessoa.

“O preço varia muito de acordo com a qualidade e variedade dos produtos e serviços oferecidos”, afirma Margareth Rocha, da consolidada empresa carioca Rappanui Gastronomia. Já para Wagner Francis, chef de Recife, a região do país é outro ponto a ser observado. Com um território grande como o brasileiro, há diferentes faixas de valor dependendo de onde você vive.

DIFERENÇAS DE PREÇO POR REGIÃO

No Rio de Janeiro, cidade conhecida por seu alto custo de vida, Ricardo Pires (também da Rappanui Gastronomia) conta que o preço por pessoa de um buffet de qualidade parte dos R$ 160. Isso significa que, para uma festa de 200 convidados, você irá desembolsar ao menos R$ 32 mil + taxa de serviço, que costuma ser de 10%.

“Temos um custo inicial (não importa o tamanho da festa), por isso casamentos menores acabam tendo um valor mais alto do que os maiores”, alerta. Ele também conta que esse valor costuma se aplicar a um serviço padrão de coquetel volante e petit degustações. “Serviços adicionais como risoteria, jantar e estação de massas ou frios são cobrados à parte”, explica.

Em Recife, por outro lado, a faixa de preços é consideravelmente mais baixa. “De acordo com um cardápio que contemple a parte de coquetel frio e quente e empratados volantes, tendo uma mesa de serviço tipo franco americano, o valor médio parte de R$ 100,00 a R$ 140,00 por pessoa”, opina Wagner.

O chef já liderou a cozinha de grandes buffets recifenses e agora está à frente de sua própria marca. Para ele, tudo também depende do formato de evento escolhido. Ilhas gastronômicas e um serviço à francesa, por exemplo, podem onerar o orçamento. “Essas modalidades se tornam mais dispendiosas pelo alto custo com a mão de obra tanto nos bastidores quanto no serviço de sala”, justifica.

Vale nota: em meados de 2015, o site Quem Casar quer Site lançou uma pesquisa sobre preços médios por segmento, para um casamento de 80 a 120 pessoas. À época, os pesquisadores levantaram que os brasileiros costumam gastar R$ 8 mil com o serviço de buffet. Isso significa, se considerarmos uma festa para 100 pessoas, um valor de R$ 80/ convidado

O QUE EXATAMENTE VOCÊ ESTÁ CONTRATANDO?

Já falamos sobre custo por pessoa e o modelo de serviço escolhido, mas, antes de fechar negócio com qualquer fornecedor, entenda em detalhes o que você está contratando. Aqui, a pergunta central é: a quantas horas de buffet vocês terão direito?

Na experiência de Margareth, o padrão é contratar a empresa por um período de cinco horas. Wagner, por sua vez, conta que os contratos em Recife costumam abarcar seis horas de serviço.

“Mas por que dar tanta importância a isso?”, vocês devem estar se perguntando. A gente responde: horas excedentes do especificado em contrato são cobradas por fora e o casal precisa ter plena consciência disso para não se enrolar ao final do evento.

Gostou de saber um pouco mais sobre o preço do buffet de casamento? Conte para a gente nos comentários!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


ic indica

avatar

Nascida em Minas, criada em Recife e apaixonada pelo Rio. Viajar o mundo é seu sonho, o que torna luas de mel e destination weddings um caso de amor à parte. Escolheu o jornalismo pela inquietante vontade de transformar em palavras histórias que mereçam ser contadas.