Alimentação e cultura: nutrólogo desmistifica dietas modernas

Por  |  0 Comentários


Ficou noiva e agora quer cuidar da alimentação? Você precisa ler este artigo antes de começar a sua dieta!

Essa é uma história que se repete com frequência: pessoas querendo perder peso sem saber por onde começar. Que tal entender como nosso metabolismo funciona? O Dr. Carlos Henrique Morais, da , fala sobre uma nova abordagem em relação ao emagrecimento.

“UMA DOCE ILUSÃO

Há alguns anos, quando escutamos falar sobre emagrecimento, de imediato nos vem à mente aquela velha frase: “Preciso fechar a boca e me matar no spinning!”. Não é preciso dizer que esta fórmula não está dando muito certo, concordam?

Pois bem, sou endocrinologista e nutrólogo na , onde desenvolvo um programa de alimentação individualizado para as noivas (e noivos), em um projeto chamado BellaNúpcia.

Hoje, o objetivo de grande parte das pessoas é reduzir medidas. Muita gente não sabe, mas o primeiro passo é compreender como nosso metabolismo – e também nossa mente – funciona quando estamos diante desse desafio chamado dieta.

Em primeiro lugar, devemos saber que alimentação é cultura. Isto é, não existe uma maneira correta ou saudável, como se fosse uma receita de bolo. Devemos entender o momento que vivemos, as influências da mídia e da cultura no indivíduo, levando em consideração seus gostos pessoais e possibilidades de acesso a um tipo de alimento ou outro.

Imaginem que essa nossa conversa estivesse ocorrendo na China. Sairíamos agora para degustar um belo escorpião, casulo de abelha, estrela do mar ou outra iguaria pouco comum em nossa dieta ocidental. Não podemos dizer que a nossa alimentação é melhor ou mais saudável. É apenas diferente.

Agora vamos pegar o álbum de casamento dos nossos avós e procurar alguém com sobrepeso ou obesidade nas fotos… Difícil de encontrar, não é mesmo? Nas décadas de 30 e 40, as pessoas eram magras em sua maioria e permaneciam assim até o fim da vida. Percebam que algo em nossa alimentação mudou. Na verdade, muita coisa.

Comecemos pelo número de refeições: antigamente tínhamos uma média de três refeições diárias, passando para seis hoje em dia. Outro ponto importante é que a comida era de verdade. O ovo estava no quintal, o leite era trazido pelo leiteiro em uma garrafinha de vidro e o mesmo virava uma coalhada em poucas horas. Cozinhava-se na banha de porco e na gordura do coco.

Dieta - Making of - Foto Bruno Schonfelder

Industrializamos nossa alimentação após a Segunda Guerra Mundial. O crescimento do mercado consumidor fez nascer uma indústria que hoje fornece leite dentro de uma caixa de papelão que fica na prateleira do supermercado e não estraga! Isso se afasta – e muito – do conceito de comida de verdade.

Quando criaram um medo da gordura que beneficiou esta indústria em formação, as pessoas passaram a ter medo até de colocar azeite na salada. Com isso, passaram a consumir mais carboidratos – ou seja, passaram a aumentar a quantidade de açúcares em suas dietas.

Falando em açúcares, sempre o confundimos os doces. Na verdade, o açúcar é encontrado com muita frequência na dieta ocidental, principalmente na forma de amido. Traduzindo: em grãos, como trigo, arroz e milho.

Agora imagine que você tem um hormônio – a insulina – que é o seu ‘gerente de armazenamento’. Sempre que está em alta no seu sangue, ele dá a ordem para seu corpo armazenar os açúcares que estão na corrente sanguínea. Conforme você come um pãozinho integral e toma um leite desnatado pela manhã, acontece uma inundação de glicose, ou seja, açúcar em sua corrente sanguínea. Isso faz o seu ‘gerente de armazenamento’ entrar em ação. O problema é que ele tem basicamente dois ‘armários’ para guardar essa glicose: o depósito muscular e o depósito da gordura (adipócito).

Ao longo de anos comendo muito carboidrato, algumas pessoas desenvolvem o que chamamos de resistência à insulina. Essa resistência nada mais é do que uma dificuldade do seu gerente de guardar glicose no depósito muscular. Com isso, só resta a ele guardar tudo no depósito de gordura. É assim que começamos a desenvolver aquela grande camada de gordura que insiste em se distribuir na nossa região abdominal.

Com a elaboração de um plano específico, as pessoas podem facilmente – dentro de alguns meses – voltar ao manequim que usavam tempos atrás. As mudanças na alimentação não só trazem mudanças corporais, mas de atitude frente à vida e autoestima pessoal. Quem não gosta de estar se sentindo bem diante do espelho?

E você? Já pensou em você hoje?”

O que achou das dicas sobre dieta do Dr. Carlos Henrique Morais? Na coluna quinzenal Estética da Noiva, profissionais da  dão dicas imperdíveis sobre os melhores tratamentos estéticos do mercado.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


ic indica

avatar

A ArtSculp oferece tratamentos e procedimentos estéticos voltados exclusivamente para noivas e noivos. O projeto Bella Núpcia é pensado de forma personalizada, de acordo com cada necessidade, e inclui resultados inacreditáveis em curtos espaços de tempo.