Os novos donos da pista de dança

Por  |  0 Comentários


Toda noiva sonha com uma pista de dança animada, para cantar e dançar as músicas mais bombadas do momento. Você sabia que boa parte dos super hits das festas de casamento são produzidos aqui no Brasil? Por isso, hoje você vai conhecer os caras que assinam grandes hits que todo mundo canta nas festas de casamento!

Durante muito tempo, a música internacional era o combustível para incendiar as festas de casamento. Disco Music, Rock, New Wave, Dance Music e até música eletrônica. A música nacional sempre animou as festas mas era muito restrita ao Rock Nacional dos anos 80, Samba, Axé, Forró, Funk e Sertanejo Universitário. De vez em quando surgia um remix do Lulu Santos, Kid Abelha, Vanessa da Mata mas a música Pop internacional sempre fez mais sucesso nas festas de casamento. A mudança começou em 2016, quando “Trem bala” da Ana Vilela explodiu nas festas de casamento com o remix JetLag, dupla formada pelos DJs Paulo Velloso e Thiago Mansur. Na mesma época, a música “Oração” voltou a fazer muito sucesso com o remix do DeepLick. Você pode conferir lendo A volta da música Oração (coluna de 30 de abril de 2016).

Mas para entender melhor essa história a gente precisa voltar um pouco no tempo. Em 2015, a música eletrônica nacional começava a se destacar mundialmente com as produções do DJ Lukas Ruiz Hespanhol, mais conhecido como Vintage Culture. Ele apareceu em #118 na lista de Top DJs da revista britânica DJ Magazine e em #2 na lista de DJs brasileiros da House Mag. No ano seguinte ele pulou para #31 na DJ Magazine e foi eleito o DJ #1 pela House Mag. Sua ascensão foi muito rápida e suas produções de música eletrônica começaram com o remix de “Blue Monday” do New Order e “Another brick in the wall” do Pink Floyd, que logo começaram a viralizar na rede junto com um remix de “Bete Balanço” do Barão Vermelho. Sua marca era uma batida mais lenta e synths pesados de teclado, que logo ganharam o nome de Deep e posteriormente de Brazilian Bass. O reconhecimento internacional surgiu em 2016 com o remix de “Drinkee” da dupla Sofi Tukker, que alcançou a posição #4 no chart Dance do Beatport e fez muito sucesso nas festas de casamento. Nessa época, outro DJ brasileiro entrou para o ranking dos melhores do mundo e emplacou um hit mundial. Era o DJ Alok com a música “Hear me now”, parceria com Bruno Martini e o cantor Zeeba. Alok era o brasileiro mais ouvido no Spotify, virou o DJ #1 do Brasil e foi parar no festival Tomorrowland, na Bélgica. Em seguida, emplacou “BYOB” e começou a lançar um hit atrás do outro. Essa era a cena da música eletrônica no Brasil em 2016. Agora fica mais fácil entender o surgimento de novos produtores como JetLag, Make U Sweat, Felguk e Cat Delaers, entre muitos outros. Pronto, as porteiras das pistas estavam abertas para receber novos hits nacionais.

As festas de casamento estão se transformando em grandes baladas e o som eletrônico dos clubs e festivais invadiu as pistas. Por isso, a partir de agora, você vai conhecer os novos donos das pistas e as suas produções que estão bombando nas pistas das melhores festas de casamento!

Começando com “Anunciação” do Alceu Valença que ganhou o remix do DJ Jopin, nome artístico do pernambucano José Pinteiro Júnior. Logo que a música foi lançada ele participou de uma entrevista no rádio falando sobre a pronuncia do seu nome. Muita gente fala “Jopan” (pronuncia francesa) mas o nome é uma fusão de José + Pinto = Jopin. A gravação original foi lançada em 1983 e 35 anos depois ganhou esse remix inusitado, que explodiu nas festas de casamento! Sem dúvida nenhuma, é um dos 5 maiores hits nas pistas dos casamentos desde o ano passado. Outra presença obrigatória nesse Top 5 é o remix da dupla Felguk para “Ai ai ai” da Vanessa da Mata. Apesar de ser avessa à remixes, a música foi lançada em 2002 e curiosamente só estourou com o remix do DeepLick, o mesmo que fez o remix de “Oração”. Fernando Leite é mais conhecido como DeepLick, DJ e produtor paulista que assinou remixes para Marisa Monte, Skank, Seu Jorge, Jota Quest, Shakira e Tiago Iorc, entre outros. No ano passado, “Ai ai ai”ganhou um novo remix do Felguk e Cat Delaers e voltou a explodir! No YouTube está batendo 30 milhões de visualizações, provando que é um hit atemporal.

Felguk é um dos principais nomes da cena eletrônica no Brasil e acabaram de se apresentar no Rock in Rio. Felipe Lozinsky é o FEL e Gustavo Rzenthal é o GUK e esse ano a dupla completa dez anos de parceria. Outro duo que faz muito sucesso no meio da música eletrônica é o Cat Dealers, formado pelos irmãos Pedrão (Pedro Henrique Cardoso) e Luigui (Luiz Guilherme Cardoso). Em 2017, no áuge do Brazilian Bass os DJs emplacaram “Gravity” nas festas de casamento.

Outro nome da música eletrônica que merece grande destaque é o trio Make U Sweat, formado por Dudu Linhares, Guga Guizelini e Pedro Almeida.

Foto Marcos Hermes

Eles deixaram a música eletrônica mais Pop e o primeiro grande hit foi o remake de “Não quero dinheiro”, clássico do Tim Maia, lançado em 2017 numa parceria com o JetLag e o cantor Tiago Abravanel. É um dos grandes hits das festas de casamento até hoje. Em 2018 eles emplacaram outro remake, dessa vez “Tempos modernos” com o próprio Lulu Santos regravando a voz de seu sucesso de 1982. No embalo, lançaram outro remake, “Mulher de fases” dos Raimundos, original de 1999, que também teve o vocal regravado pelo próprio Digão, vocalista da banda. São os resgates de sucessos nacionais com perfil de pista.

Hora de falar de um dos maiores hitmakers das pistas! Mauricio Cury mora em Ponta Grossa, no Paraná e nós batemos um papo para entender melhor como começou essa história de sucesso.

“Minha primeira produção foi em 2004, quando o Techno estava em ascendência. Aí eu peguei samples da “Paranauê”, um hino da capoeira, misturei o som de berimbau e juntei com um synth bem pesado. A música tocou forte aqui no sul. Mas eu comecei mesmo a produzir os meus remixes quando o funk estourou. “Baile de favela” foi um remix que funcionou muito!”. Ele seguiu falando: “Eu já estou no mercado de casamentos há dez anos e sempre testei as minhas produções nas pistas, mas acho que o “Pintura íntima” do Kid Abelha marcou. Peguei carona no sucesso do Brazilian Bass e fiz uma base eletrônica mais pesada. Depois fiz o remix de “Anna Julia”, dos Los Hermanos e percebi que existia uma brecha, já que faltava música eletrônica nacional para tocar nos casamentos”. Ele continuou falando sobre seu trabalho: “Eu comecei a produzir especificamente para as minhas festas e escolhia músicas que mereciam voltar pra pista com uma roupagem nova. A música eletrônica tem ficado cada vez mais triste, mais Deep e começou a faltar músicas alegres nas festas de casamento. Uma das músicas que eu lancei e tem feito muito sucesso é o remake de “Milla”, do Netinho”. Outra produção foi “Happy” do Square Heads, um tirambasso que deu certo! Outro grande sucesso, que inclusive foi uma dica sua, é o remix de “Bohemian rhapsody” do Queen! Esse remix tocou em outros países e até hoje tem gente me pedindo para compartilhar. Meu remake de “Meu erro” dos Paralamas está crescendo muito e tocou até no Faustão! Foi uma grande surpresa! Fiz essa produção com vocal do Rainer, que mora aqui na minha cidade. Voltando a falar de “Milla”, essa música está muito bombada nos casamentos e gravei com o Rogério, aqui de Ponta Grossa. Outra… “Love is in the air”. Esse remix foi parar em algumas plataformas europeias de download e já entrou logo na 3ª posição. Fechando o meu Top 5, meu remix de “Bamboleo” do Gipsy Kings”.

E o que vem pela frente? Próximos lançamentos? “Agora estou lançando um remix de “Caça e caçador” do Fabio Junior que é um super hit nas festas de casamento. Já estou em fase de negociação para lançar oficialmente. O resto, só esperando eu acordar amanhã com alguma idéia!”.

Entre os DJs existe um comentário que 8 em 10 festas de casamento pelo Brasil toca pelo menos uma produção Mauricio Cury. Por isso eu costumo brincar com o Cury que ele é mais presente nas pistas das festas de casamento do que as noivas! O cara é realmente uma máquina de fazer hits!

Já que estamos no sul, agora nós vamos descer do Paraná até Rio Grande, cidade localizada no estado do Rio Grande do Sul. É lá que mora o DJ Ernani, um especialista em produzir remixes. Já são mais de 20 anos de carreira como DJ de diversas casas noturnas, festas e eventos sociais mas foram os remixes que fizeram outros DJs descobrirem o seu trabalho. Eu mesmo conheci as produções do Ernani na internet e acabei tocando algumas no meu programa de rádio. Hoje, vários DJ detonam seus remixes em festas de casamento, de norte a sul do país. “Sempre imagino as pessoas dançando quando produzo as minhas músicas. Por isso eu sempre busco resgatar as músicas nacionais mais antigas, os clássicos. Meu primeiro remix que funcionou nas pistas foi “Whisky à go-go” do Roupa Nova. Para falar a verdade eu odiava tocar as minhas produções, até o dia que testei esse remix e a galera curtiu. Aí, soltei um, soltei outro e estou produzindo até hoje”.

Como funciona a escolha do repertório nas suas festas?

“Eu sempre faço reunião com os noivos, mas aqui na minha cidade é muito difícil para as pessoas aceitarem o novo. É praticamente impossível! Por isso resolvi fazer esse trabalho de criar uma nova pegada para músicas conhecidas. Mas eu tenho duas produções que bombam qualquer festa de casamento aqui no sul: “Eva” do Radio Taxi e “Menina veneno” do Ritchie. Há algumas semanas lancei o remix de “Não quero dinheiro” do Tim Maia e o feedback dos DJs está sendo incrível!”.

Agora nós vamos até o Rio de Janeiro para conversar com o DJ Jimmy Souza, residente da Bagatelle e nome certo em algumas das melhores festas de casamento da cidade e fora. Um dos DJs que compõem o time da Bagatelle Rio com Jimmy é o DJ Vini Correa. Jimmy começou em Petrópolis, Vini começou no Rio e ambos iniciaram a carreira em matinés. Hoje trabalham juntos e o primeiro resultado dessa parceria foi o remix de “What´s up”, mega hit do 4 Non Blondes em 1992. “Foi nosso primeiro remix. Vini já produzia há bastante tempo, eu um pouco menos, a gente se identificou muito com a música e sentia falta de ter uma versão dela para tocar nas pistas. Existe um remix muito antigo, com uma roupagem muito antiga, que não funciona mais”.

Quais são as referências de vocês?

“Vibe! Nosso intuito é vibe e energia! A gente sempre faz música pra pista, para as pessoas dançarem e se divertirem. Hoje é comum ver um DJ de club tocando como atração em uma festa de casamento, festas de 15 anos, etc. A música ela é um meio de unir as pessoas em diferentes atmosferas”.

Hoje, o remix de “What’s up” virou mega hit nas festas de casamento e foi a primeira produção da dupla. O que vem pela frente?

“Nós acabamos de lançar o remix de “Never gonna give you up” (sucesso do Rick Astley em 1986) e os DJs estão curtindo muito! Pra frente nós temos algumas idéias, mas nada muito concreto ainda. Mas, com certeza, será música pra pista, que cabe num casamento, cabe no Bagatelle e num 15 anos”. 

Agora nós vamos pegar uma Ponte Aérea até São Paulo para falar sobre Ronaldo Gasparian, um dos DJs mais requisitados quando o assunto é festa de casamento. Se recentemente você dançou uma versão diferente de “A little respect” (clássico dos anos 80) do Erasure, saiba que esse remix foi produzido pelo Gasparian. A versão Gasparian Remix está entre as músicas mais tocadas nos clubs e já invadiu as pistas dos casamentos. Por isso eu bati um papo com esse super DJ: 

“Antigamente eu fazia as versões e só eu tinha. Eram meio exclusivas e não era comum fazer os remixes e colocar na internet pra todo mundo baixar. Hoje é diferente, a gente coloca na internet e todo mundo baixa. Quando eu fiz o remix do Erasure a idéia era criar uma ferramenta pessoal de pista. Aí um amigo pediu, outro gostou e eu fui mandando. Esse remix é uma parceria com o Kize, um produtor de Curitiba que está vindo pra São Paulo trabalhar comigo no estúdio. Não é um home estúdio, é um estúdio de verdade com tratamento de som, painéis, engenheiro, bons monitores, um Mac poderoso, etc. Eu estou investindo nessa coisa de voltar a produzir com força total, é um diferencial e uma boa vitrine. Essa foi a primeira música da nossa parceria e vem muito mais pela frente”.

Hora de falar com Paulo Jeveaux, grande produtor e engenheiro de som. Juntos, nós fizemos diversas músicas e remixes de sucesso nos anos 90 de grandes artistas nacionais e internacionais, como Lulu Santos, Djavan, Kid Abelha, Ed Motta, Puff Daddy, Alanis Morissette, Gloria Estefan, Ricky Martin, entre outros.

Jeveaux, quando foi que você passou a se dedicar à mixagem e masterização e como foi essa retomada das produções?

“Foi em 2005, quando eu me desliguei da sociedade que envolvia um estúdio de gravação. O mercado estava bem ruim, mas ao mesmo tempo existia uma quantidade muito grande de novos produtores, DJs e eu percebi que havia uma oportunidade de mercado para trabalhar finalizando as faixas. Não só mixando e masterizando. Então, passei a prestar serviço para vários produtores. Não só de música eletrônica, mas de outros estilos também. A galera foi curtindo o resultado do meu trabalho e numa dessas eu comecei a masterizar para um produtor conceituado de samba, ele se encantou com o controle dos graves, qualidade do som e por conta disso eu acabei trabalhando com ele em discos importantes do Arlindo Cruz, Fundo de Quintal, entre outros. Alguns álbuns foram indicados ao Grammy Latino e um deles ganhou o prêmio! Foi uma felicidade enorme! Por volta de 2012 eu voltei a produzir, mas para DJs de fora do país. Lancei algumas tracks pela Tommy Boy e outros selos legais do mercado. Em 2016 eu decidi morar fora para ficar mais próximo desse mercado. Atualmente eu estou morando em Coral Gables, Miami. Com a mudança eu passei a trabalhar bem mais, como produtor ou como engenheiro de mixagem e masterização. Às vezes, só como beat maker, fazendo apenas batidas e bases para DJs. Um belo dia você me ligou para fazer uma mixagem, surgiram outras mixagens e depois a idéia de voltar a produzir em parceria. O convite veio em boa hora e agora vamos voltar a lançar os hits”.

Nesse momento em que escrevo, Jeveaux e eu estamos finalizando uma produção que tem tudo para virar um grande hit das festas de casamento! Um remake espetacular de O Descobridor do Sete Mares, clássico do Tim Maia que depois foi regravado pelo Lulu Santos. Nós também convidamos o DJ Duda Santtos – uma referência no mercado de música eletrônica – para entrar no time e no vocal nós teremos Sergio Loroza, com quem trabalhei na época do Monobloco. Canta muito! Provavelmente quando esta matéria estiver publicada, a música já estará lançada. Olho no hit!

Para encerrar a nossa lista de hits, vamos falar de uma música que se destaca muito na cerimônia dos casamentos, mas agora também está bombando nas pistas. Para entender melhor essa história, bati um papo com os produtores do remix, os DJs Marcelo Cupim e Alexsandro Perez, mais conhecido como DJ Zangado. Cupim percebeu que algumas canções muito utilizadas nas cerimonias e pedidas pelas noivas não tinham uma versão para as pistas. “Aí, resolvi procurar um produtor que me ajudasse nesta missão de criar remixes para as pistas e falei com o Zangado. Fiz o convite e ele topou na hora!”. E aí começamos o laboratório de testes. Eles foram remixando algumas músicas, foram experimentando nas pistas, até que chegaram em “De janeiro à janeiro” da Roberta Campos e Nando Reis, uma das campeãs de pedidos nas cerimonias de casamento. Zangado comentou: “Gostamos muito do resultado final desse remix”. Os DJs começaram a tocar, a música passou a tocar regularmente nas festas e funcionou! Hoje o remix pode ser incluído nessa playlist das músicas mais tocadas nas pistas das festas de casamento.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

DJ expert há 30 anos e pai de quatro filhos, ele dividiu sua experiência no livro Histórias Inesquecíveis de Casamentos, onde conta casos inacreditáveis e prova todo seu profissionalismo. Respira música e mistura seu feeling com arte, já que é formado em Design e pós-graduado em Marketing. Suas maiores paixões? Filhos e música. Adora scuba diving!