Baixe
GRÁTIS
o seu
eBook!
x

Eu não gosto de funk, e agora?

Por  |  0 Comentários


O funk invadiu as festas de casamento (e já falamos sobre isso aqui há algumas semana atras), mas nem tudo mundo é obrigado a curtir, não é verdade? Essa semana nós recebemos a mensagem de uma noiva que não curte funk. E como ela não deve ser a única, é a pergunta dela que vamos responder hoje!

“eu não quero funk mas sonho com uma festa muito bombada, é possível?”

A resposta é: Claro que sim! Mas é preciso tomar cuidado com vários detalhes da festa para você chegar ao final feliz e realizada!

MAS É NECESSÁRIO CONFERIR ALGUMAS DICAS MUITO IMPORTANTES. VAMOS LÁ?

O início de tudo é a lista dos convidados. Você deve ter conferido essa dica em 6 Ciladas na hora de montar a playlist para festa de casamento (se você ainda não leu, corre lá porque vale a pena). Mas nunca é demais reforçar esse ponto de partida já que o perfil dos convidados está diretamente ligado ao som da festa. Portanto, atenção na hora de ficar em dúvida sobre quem cortar da lista naquela última conferida. Convidados com o seu perfil podem fazer a diferença na pista.

Outro ponto importante é entender o funk da festa. É comum juntar no mesmo saco os clássicos do funk (Claudinho e Buchecha, MC Marcinho, Vinicius e Andinho, etc), os sucessos recentes (Dennis DJ, Ludmilla, Anitta, etc) e os mega hits do momento (Ela só quer vrau e Agora vai sentar). Essas últimas costumam explodir e sumir rapidamente. Por acaso você lembra que a Beyoncé cantou o Funk do Lelek no Rock in Rio? Alguma lembrança do hit do verão 2017, Ta tranquilo, ta favorável? Melhor nem citar Que tiro foi esse? da Jojo Todynho, o hit do verão 2018, que explodiu e evaporou em semanas.

Cada “estilo” tem o seu público e mesmo sabendo que existe quem curta tudo do funk, há uma grande diferença. Normalmente quando eu faço uma festa de aniversário para clientes com 50/60 anos, o funk antigo costuma aparecer na lista de pedidos. É muito comum receber pedidos para tocar Conquista ou Só Love, do Claudinho ou Buchecha ou Se ela dança eu danço do MC Leozinho, por exemplo. São músicas que marcaram uma mudança de perfil importante quando o funk começou a virar pop. Para muitos, essas músicas são animadas e divertidas.

Mas vamos considerar que o funk está vetado do playlist da festa. Nesse caso, vamos buscar alternativas para bombar a pista em diversos momentos.

Quando a gente veta um estilo de música ou até mesmo o mega hit do momento – porque ninguém é obrigado a gostar do que faz sucesso – precisamos nos permitir aceitar outros estilos e músicas importantes para o sucesso da festa. O DJ precisa ter liberdade para comandar a pista! Isso é fundamental para o sucesso da sua festa! Eu costumo falar sobre isso nas reuniões com meus noivos. Uma coisa é ouvir uma música no carro, em casa, no seu playlist do Spotify. Outra, bem diferente, é ouvir uma música na pista de dança de uma festa, com pessoas animadas dançando e curtindo aquele momento. Muda tudo! Atenção redobrada com esse detalhe.

Outro ponto fundamental e que eu sempre falo aqui na coluna. Madrinhas! Elas costumam ser escolhidas entre as melhores amigas, são queridas de longa data e as pessoas mais próximas. São elas que ditam o ritmo da pista e eu considero muito importante que sejam envolvidas na escolha das músicas que vão bombar muito a festa. Por isso eu sempre sugiro a criação de um grupo no WhatsApp, que vai funcionar como uma reunião de brainstorming. Sempre surgem muitos pedidos, muitas músicas estranhas também, mas essa “tempestade” de idéias é ótima para o DJ entender o clima da festa e até para organizar o repertório.

Cabe ao DJ da sua festa ser o “psicólogo musical” para captar o que o casal realmente gosta. Não gostam de funk, mas gostam de anos 70, anos 80, anos 90, dance music dos anos 2000, rock, música brasileira, deep house, house music, hip hop, reggaeton… Qual é o estilo do casal? Qual é o estilo dos convidados?

Eu sempre digo que cada festa tem uma história e cada festa tem a sua trilha. É muito importante para o DJ achar essa trilha. Nos últimos meses eu fiz algumas festas maravilhosas sem tocar um único funk. Durante muito tempo as festas de casamento tinham um som padrão, mas atualmente tudo mudou. As festas de casamento vem passando por grandes transformações e a música foi o que mais mudou, sem dúvida nenhuma.

Por fim, a dica mais importante. Lugar dos noivos é na pista de dança! Uma festa com os noivos na pista tem boas chances de bombar muito! Uma festa sem os noivos na pista não vai decolar, não vai bombar.

Depois vocês me contam se essas dicas funcionaram?

Boa festa e muitas felicidades!


E você, qual é a sua dúvida sobre pista de dança, playlist ou DJ? Escreva aqui no comentário! Sua pergunta pode virar tema da próxima coluna.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

DJ expert há 30 anos e pai de quatro filhos, ele dividiu sua experiência no livro Histórias Inesquecíveis de Casamentos, onde conta casos inacreditáveis e prova todo seu profissionalismo. Respira música e mistura seu feeling com arte, já que é formado em Design e pós-graduado em Marketing. Suas maiores paixões? Filhos e música. Adora scuba diving!