Baixe
GRÁTIS
o seu
eBook!
x

Para incluir na playlist da festa: axé (só as antigas)

Por  |  0 Comentários


A novela Segundo Sol alcançou a melhor audiência de uma primeira semana desde 2014. E a Axé Music é a grande homenageada em sua trilha sonora. Aproveitando o gancho, os clássicos desse estilo musical são o tema da coluna de hoje, que podem (e devem) ir para sua playlist de música de casamento

A música tem o poder de nos transportar de volta ao passado e eterniza momentos marcantes da nossa vida. As lembranças do passado sempre falam mais alto quando o assunto é música da festa de casamento e dessa vez não vai ser diferente. Os funks antigos sempre explodem a pista de qualquer festa! O mesmo acontece com os hip hops antigos! Agora, tudo indica, está chegando a vez dos clássicos do Axé virarem a nova moda das festas de casamento!

🎵🎶”Já pintou verão calor no coração…”🎵🎶

No início do ano, antes de saber como seria a nova novela da Globo, eu gravei um episódio do meu Podcast dedicado aos clássicos do Axé, o episódio 89 – Axé (Só As Antigas). Para baixar gratuitamente este e mais de 90 episódios, basta acessar o meu site: www.andrewerneck.com ou digitar o meu nome no iTunes. Infelizmente não foi possível montar uma playlist bacana no Spotify, já que a maioria das músicas não encontram-se disponíveis na plataforma.

🎵🎶”Minha jangada vai sair pro mar…”🎵🎶

Essa história começa em 1979, na reta final dos anos 70, em Salvador, Bahia, quando o bloco Olodum foi criado no Carnaval como opção de lazer aos moradores do Pelourinho. Nos anos 80, outros blocos surgiram em Salvador e as músicas começaram a fazer sucesso. Vale destacar o sucesso de Luiz Caldas, conhecido como “O pai do Axé Music”, por ter criado um novo movimento no circuito baiano da década de 80, misturando pop, reggae, frevo e toques caribenhos. Era o Fricote, também chamado de Deboche, que depois ganhou o nome de Axé Music. A partir daí, novos artistas surgiram e se consagraram na Bahia.

🎵🎶”Ae ae ae ae, ê ê ê ê, ô ô ô ô…”🎵🎶

Uma das primeiras bandas a fazer sucesso foi o Chiclete Com Banana, que surgiu no início dos anos 80 e acabou explodindo em 1986 com o lançamento do LP Gritos de guerra, que vendeu 1 milhão de cópias e virou um dos principais nomes das micaretas, puxando os “chicleteiros”. Em 1987 surgia um dos maiores fenômenos da música baiana, o Asa de Águia, com Durval Lélys. O Carnaval da Bahia era comentado no país todo e o publicitário Nizan Guanaes teve uma ideia ao criar a campanha das Obras Sociais da Irmã Dulce, em 1988. Ele escreveu uma canção e reuniu Durval Lélys, Margareth Menezes, Daniela Mercury, Ricardo Chaves, entre outros artistas e personalidades baianas para gravar um videoclipe com a renda revertida para o projeto social. Nascia assim a música que é considerada o hino do Carnaval de Salvador: We are the world of Carnaval.

🎵🎶”Ah, que bom você chegou bem vindo à Salvador…”🎵🎶

Não posso esquecer das bandas que surgiram nos anos 80 e consagraram diversos hinos dos Carnavais. A minha preferida é a Banda Mel, que surgiu em 1984 e fez muito sucesso em 1990 com Prefixo de verão. Eles também consagraram outros sucessos, como Baianidade nagô e Crença e fé. Em 1985 foi a vez da Banda Cheiro de Amor, com a vocalista Márcia Freire. Foi a primeira banda baiana de axé a fazer sucesso fora da região nordeste do país.

🎵🎶”Hoje eu sou feliz e canto…”🎵🎶

Como esquecer da Banda Beijo e do vocalista Netinho? A música Beijo na boca fez grande sucesso no país e anos depois Netinho se lançou em carreira solo e conquistou o país com Milla!

🎵🎶“Mil e uma noites de amor com você…”🎵🎶

A Banda Eva surgiu em 1977 como grêmio estudantil, depois virou bloco em 1980 e o sucesso transformou o bloco em banda, em 1993. No vocal, Ivete Sangalo. Três anos depois o sucesso chegou com o lançamento de Beleza rara.

🎵🎶“Não dá pra esconder o que eu sinto por você Ará…”🎵🎶

O Araketu surgiu em 1980 em Periperi, Salvador, misturando o pagode baiano com axé e desenvolvendo um trabalho social para a sua comunidade. Tudo começou com um bloco de percussão e dança, o Ará, que depois incorporou instrumentos de sopro, bateria e teclado. O sucesso de verdade chegou em 1994, com Araketu é bom demais.

🎵🎶”Não, não me abandone, não me desespere…”🎵🎶

Deixei para o final a cantora Daniela Mercury. Ela conseguiu explodir a música baiana no país e até no exterior e virou o grande ícone, chamada de Furacão. Foram mais de 20 milhões de discos vendidos em todo o mundo. Seu primeiro sucesso foi Swing da cor, lançado em 1991 por um selo independente. No ano seguinte ela assinou com uma grande gravadora e lançou O canto da cidade, para virar a maior artista do país.

🎵🎶“Não diga que não me quer, não diga que não quer mais…”🎵🎶

Agora é só você apertar o Play ou fazer Download gratuito do meu Podcast para ouvir as músicas que vão bombar a sua festa de casamento! Aumenta o volume e boa festa!


CRÉDITOS: 1. Sabrina Vasconcelos Photography  | 2. Divulgação

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


ic indica

avatar

DJ expert há 30 anos e pai de quatro filhos, ele dividiu sua experiência no livro Histórias Inesquecíveis de Casamentos, onde conta casos inacreditáveis e prova todo seu profissionalismo. Respira música e mistura seu feeling com arte, já que é formado em Design e pós-graduado em Marketing. Suas maiores paixões? Filhos e música. Adora scuba diving!