Baixe
GRÁTIS
o seu
eBook!
x

Casamento ou festival: existe limite para o número de atrações?

Por  |  0 Comentários


Dessa vez nós vamos responder uma pergunta muito interessante que chegou na redação. Afinal, existe um limite para o número de atrações em uma festa de casamento?

Antes de começar a responder, a primeira coisa é saber a duração da festa. Obviamente que uma recepção idealizada para receber muitas atrações precisa ser mais longa do que o normal. Não existe nada para determinar o número de atrações, apenas o número de horas que a festa vai durar. Importante considerar que a primeira hora é o momento do coquetel, quando os noivos estão fazendo as primeiras fotos como marido e mulher, com a família e padrinhos. Eles também aproveitam para relaxar um pouco e comer algo antes da grande entrada para abrir a pista de dança e começar a festa de verdade!

Como bem diz Ivete Sangalo: “E vai rolar a festa, vai rolar!”

Outro ponto muito importante: o casal é a grande atração da festa! Muitas noivas me perguntam se não é essencial ter uma atração? Eu sempre respondo que a festa já tem. Eles, os noivos, são a atração mais importante de todas! Outra é o DJ. Afinal, é ele que vai comandar a festa do início ao fim.Mas, se você acha importante ter mais atrações na sua festa, tudo bem! Nesse caso, a próxima etapa é olhar com cuidado para o orçamento. É muito importante definir as prioridades e fazer contas.

Outro dia eu me reuni com uma noiva que queria DJ, show com MC e escola de samba, mas o orçamento não comportava o sonho. Obviamente ela precisou fazer escolhas. Agora vamos considerar que você quer e o seu orçamento permite contratar DJ e algumas atrações. Eu já fiz diversas festas com muitas atrações. Já toquei com Ivete Sangalo, Lulu Santos, Skank, Paralamas, Jorge Benjor, duplas sertanejas, bandas de cover e de baile, orquestras, saxofonistas, violinistas, percussionistas, MCs, escolas de samba, blocos de carnaval e o que você conseguir imaginar. Pessoalmente acho que muitas atrações “quebram” o andamento de uma festa. Se você não tomar cuidado, sua festa pode virar um festival.

Vou tentar explicar como é o trabalho do DJ para ajudar na comparação. O DJ comanda a festa de ponta a ponta, do início ao fim. Ou seja, ele toca durante 6… 8… 10… 12 horas. Normalmente inclui vários estilos de músicas em seu playlist para agradar todas as gerações e tribos. Para isso precisará tirar certas cartas da manga ao longo da festa, para quebrar o ritmo e fazer a pista de dança explodir. Se ele tocar apenas o melhor do melhor durante 2h, logicamente ele vai fazer a pista explodir! É exatamente assim que acontece com vários shows.

Os artistas sobem no palco, detonam todos os hits, um atrás do outro, em até 2h e todo mundo comenta: “nossa, que show espetacular!”. Aí, o coitado do DJ que se vire para segurar mais 6… 8… 10 horas de festa. Com duas atrações é ainda pior para o DJ. Cada uma vai querer tocar todos os hits e não vai sobrar nadinha. O que costuma acontecer? A festa perde aquela pegada forte e o DJ fica sem os hits para bombar a pista como deveria.

Eu adoraria poder fazer uma festa e tocar 5 hits do funk, 5 hits pop, 5 hits sertanejos ou 5 hits de qualquer outro estilo, dar boa noite e entregar a festa para alguma banda seguir. Eu duvido que a festa siga bombada!!! E com um detalhe importantíssimo, eu nunca fui consultado sobre repertorio de qualquer artista que seja. Nunca recebi uma ligação ou um e-mail perguntando as músicas que eu gostaria de tocar. Pelo contrário, sempre recebi o repertório fechado, sem opção de mudar nada.

Quando a gente faz uma festa e faz parte de uma equipe, tudo deve ser conversado para que o resultado seja o melhor possível. Algumas horas antes do evento, qualquer artista costuma fazer uma passagem de som para afinar os instrumentos e acertar a mixagem do show. Mesmo assim, os músicos adoram subir no palco e ficar firulando em cima do som do DJ. É uma tremenda falta de respeito. Eu adoraria poder fazer o mesmo no meio do show deles. Seria no mínimo divertido. Exatamente por isso, alguns DJs estão cortando o som quando a banda sobe no palco e começa a brincar de tocar em cima do som da festa.


Leia mais

+ Eu não gosto de funk, e agora?

bg-divisoria

+ 6 ciladas na hora de montar a playlist para a festa de casamento

bg-divisoria

+ Brasil-sil sil! Os remixes brasileiros que vão bombar a pista de dança!


Recentemente eu fiz uma festa muito bacana que tinha show de uma banda de festa. No repertorio, hits nacionais e internacionais para cerca de 3h de show. Tinha “Despacito”, hits do Lulu Santos, Skank, Tim Maia, Coldplay e até Calvin Harris. Com cerca de 15 min de show, a pista já estava vazia, mas eles seguiram tocando como no roteiro. O cerimonial tentou encerrar o show, mas eles nem ouviram. Seguiram tocando alto, para ninguém na pista. Se fosse um bom DJ, certamente ele teria quebrado o ritmo e mudado tudo que estava programado para fazer a festa acontecer. Importante destacar que vários artistas levam seus shows de estrada para as festas de casamento. São shows ensaiados, que contam com bases e efeitos pré-gravados. Com isso é muito comum o artista cantar uma, duas, ou até blocos de músicas lentas durante a festa. Não é muito bacana.

Agora um ponto extremamente delicado e muito comum, as caixas de som. Na maioria das vezes os decoradores não gostam e acham “poluído” ter um projeto com dois sistemas de som. Aí, o DJ é obrigado a usar o som “da festa” e muitas vezes se dá mal com a qualidade do equipamento e da equipe técnica. Afinal de contas, fazer o som do DJ é uma obrigação que muitos técnicos não curtem.Vou citar duas passagens que aconteceram comigo.

Show de uma das maiores artistas do país em um dos hotéis mais chiques do Rio de Janeiro. Quando terminou o show, a equipe técnica simplesmente desligou os graves do som. Não dá para fazer uma pista bombar sem o grave da música… Já imaginou uma música sem bateria e baixo? Fica fria, não empolga. Segundo exemplo, evento de uma grande empresa de telefonia com show de uma super banda nacional em uma das principais casas de espetáculo do Rio de Janeiro. Quando acabou o show, a cortina desceu e eu fui posicionado bem no meio do palco. Soltei a primeira música e nada. Mudei de música e a pista foi esvaziando. As pessoas apontavam para o ouvido. Aquilo estava muito estranho. Como não dava para ouvir o som da pista lá de cima do palco, eu larguei a música tocando e fui até a pista. O som estava mais baixo do que o fundo musical do início de uma festa de casamento. Aí, sem opção, deixei uma trilha rolando e fiquei esperando o evento terminar.

Por que o Live Sax virou uma grande moda nos casamentos? Em primeiro lugar porque a festa não para, não existe intervalos. Depois, não é preciso estrutura de palco, som, luz e até camarim para o show acontecer. Tudo acontece naturalmente e sempre na pista de dança. Não à toa, a maioria dos MCs adotou esse formato nas festas de casamento. Eles costumam levar um DJ, às vezes um tecladista, e cantam na pista, interagindo com noivos e convidados e fazendo a festa bombar! Isso é bacana! Isso funciona!

Agora, você decide! As dicas estão todas acima. Boa festa e muitas felicidades!

Quer ver sua dúvida sobre pista de dança, playlist, dj ou festa de casamento respondida aqui na coluna? Nos envie através dos comentários ou pelo e-mail jornalismo@3rstudio,com.br

Sua pergunta pode ser o tema da próxima coluna!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

DJ expert há 30 anos e pai de quatro filhos, ele dividiu sua experiência no livro Histórias Inesquecíveis de Casamentos, onde conta casos inacreditáveis e prova todo seu profissionalismo. Respira música e mistura seu feeling com arte, já que é formado em Design e pós-graduado em Marketing. Suas maiores paixões? Filhos e música. Adora scuba diving!