Baixe
GRÁTIS
o seu
eBook!
x

6 ciladas na hora de montar a playlist para festa de casamento

Por  |  0 Comentários


A gente sempre fala o que você deve fazer para garantir uma pista de dança animada, mas e o que você não deve fazer? Chegou a vez de contar quais são os 6 piores erros na hora de montar sua playlist. #quemavisaamigoé

Como já escrevi anteriormente na coluna “Afinal, de quem é a pista?”, montar uma playlist para a sua festa de casamento pode não ser tão fácil assim. Hoje nós vamos voltar ao tema, para falar sobre algumas ciladas que o DJ pode enfrentar e dar algumas dicas para evitar surpresas no grande dia.

01-  A MATEMÁTICA DA LISTA DE CONVIDADOS

O ponto de partida para uma festa de casamento é a lista de convidados. A partir do número de convidados é possível definir o tamanho do local, valor do bufê, quantidade de bebida, mesas e cadeiras, convites, etc. A lista também é fundamental para definir como será a música da festa. O perfil dos convidados está diretamente ligado ao som da festa.

Maioria dos convidados da família = som mais tradicional, clássico. Maioria dos convidados amigos = som mais atual. Músicas mais novas agradam pessoas mais jovens e músicas mais tradicionais agradam os pais, tios, avós, amigos da família, etc.

02-  MÚSICAS TRADICIONAIS: COMO LIDAR?!

O Brasil é um país enorme e cada região tem a suas características, influências, cultura e música. No Nordeste o forró é o ritmo tradicional e no Sul do país o vanerão é muito forte. São influências dos colonizadores. Você consegue imaginar uma Oktoberfest sem as bandinhas tocando as tradicionais músicas alemãs? Como pensar em Fernando de Noronha sem lembrar do forrozinho do Bar do Cachorro? Fazer uma festa em outro estado ou até mesmo um Destination Wedding sem conhecer o som local, pode ser uma grande cilada para o DJ.

03-  DJ DE SPOTIFY

Com a popularização do streaming muita gente está curtindo montar uma playlist personalizada no Spotify. Essa é uma tendência forte, mas calma… muito cuidado nessa hora! Descobrir uma música nova é muito bacana e muito gostoso de ouvir em casa, na academia, na piscina, na praia, dirigindo… Mas é muito diferente tocar uma música na pista de dança. Pode até funcionar mas a chance de não dar certo é muito grande. Passe as suas referências para o DJ da sua festa, mas é muito importante que ele seja o “comandante do barco”, como muito bem definiu o cerimonialista .

04-  MOISÉS, SÓ NA BÍBLIA 

Recentemente eu li um post muito engraçado de um DJ no facebook perguntando “Qual foi o maior Moisés da sua carreira”? Essa é uma brincadeira entre os DJs quando a pista fica vazia de repente, numa referência a passagem da Bíblia quando Moisés “abriu” o Mar Vermelho. Curiosamente, vários DJs relataram com bom humor as suas grandes “derrotas”. Portanto, tomem muito cuidado na hora de montar a playlist da sua festa. Não induzam o DJ ao Moisés! rsrsrs Que tal conversar com o DJ e perguntar a opinião dele sobre certas músicas?

05-  RESPONSABILIDADE

É muito comum ouvir “meu filho conhece tudo de música” ou “eu tenho um amigo que deveria ser DJ”. Ser DJ virou moda atualmente. Mas lembre-se: a festa de casamento é única e não se repete jamais! Portanto, priorize DJs especializados na hora de definir os profissionais que atuarão no seu evento. Esse relato é de um DJ amigo, que preferiu não se identificar: “… no final da reunião, os pais chamaram o filho que adora música. Ele pegou o celular e mostrou várias músicas que curtia. Os pais também curtiam e decidiram que seriam importantes no playlist da festa. Quando eu toquei, ninguém dançou mas o pai achou bacana e mandou seguir tocando as músicas do filho. No final da festa a mãe agradeceu mas disse que não gostou da festa. Ela falou que eu deveria ter assumido o comando da festa para não deixar a pista vazia”.

06-  DE QUEM É A PISTA?

Mais uma vez eu volto no tema da coluna citada no início: afinal, de quem é a pista? Dos noivos ou dos convidados? Essa é uma pergunta no estilo de quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?

Para o DJ Daniel Ragi, da Agência Conexx, a grande cilada é quando os noivos fazem questão de um repertório muito diferente do que os convidados curtem, ou um repertório que o DJ sabe que tem pouquíssimas chances de funcionar na pista. É raro, mas acontece. “O problema é que, qualquer que seja a linha de raciocínio do DJ, ele sai prejudicado. Se não cumprir o repertório pedido pelos clientes, possivelmente vai ter problema com eles. E se seguir e realmente não funcionar/não agradar mesmo os convidados, aí é o DJ que está exposto ali, tocando música que ninguém dança. Alguns podem até sacar que foi um pedido dos noivos, mas a maioria vai simplesmente achar que o DJ é ruim”. Daniel finalizou com uma dica: “A solução, que nem sempre conseguimos, é conversar na reunião para mostrar aos noivos a importância de conciliar os gostos de todos que estarão na festa. O deles e o dos convidados”.

Agora é juntar todas essas dicas e montar a sua playlist para a sua festa de casamento! Como as ciladas fazem parte da música e do amor, eu termino com um trechinho da música “Cilada” do Grupo Molejo!

Não era amor, ôh, ôh
Não era amor, era
Cilada cilada cilada cilada
Cilada cilada cilada cilada

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


ic indica

avatar

DJ expert há 30 anos e pai de quatro filhos, ele dividiu sua experiência no livro Histórias Inesquecíveis de Casamentos, onde conta casos inacreditáveis e prova todo seu profissionalismo. Respira música e mistura seu feeling com arte, já que é formado em Design e pós-graduado em Marketing. Suas maiores paixões? Filhos e música. Adora scuba diving!