Dj Desouzart – We Clubbing

Por  |  0 Comentários


HISTÓRIA

Toda história de Dj começa com música, e depois com algum lugar especial. Comigo, foi o contrário. Presenciar uma pista de dança cheia de gente vibrando me fez querer fazer isso mais que tudo. Sou um apaixonado por “pista de dança”. A música era o meio de chegar até lá.

Então, em segundo veio a música, através da “Dance Music”, o ritmo que fazia aquelas pessoas dançarem durante horas a noite inteira na época. Foi nesse estilo e suas origens que foquei metade dos meus estudos – sim, DJ no início dos anos 90 estudava muito! A segunda metade da minha “construção” no palco foi baseada e em outra paixão, que veio a ser minha formação acadêmica, mas que apliquei noite após noite em meu trabalho de DJ. Sempre fui apaixonado por publicidade – nela, você precisa convencer pessoas diferentes de que o produto que você vende é melhor do que todos os outros! E você o faz para que eles “adorem” sua campanha e “amem” seu produto!

Quando subimos no palco, temos de convencer as 500, 1000 ou 3000 pessoas diferentes de que as músicas que nós vamos tocar são exatamente as que vão fazer com que aquela seja “A noite da vida deles” – nada menos que isso! Aí você pergunta: todo o fim de semana é a “noite da vida”? Sim! Todas as noites são!

RELAÇÃO COM O MERCADO DE CASAMENTOS

Um grande companheiro de trabalho das casas noturnas, Mimmo Sorrentino – um italiano que tocava no Brasil na época – me ensinou cada detalhe da diferença entre “níveis” musicais de público nas noites, e me explicava também a relação que aquilo tinha com o grau de badalação de cada boate – como chamávamos os “clubs” na época.  Após ver que eu tinha entendido o suficiente para segurar aquelas noites, ele me levou para o que seria a maior experiência de vida que um jovem aprendiz poderia ter: em 1995, me colocou no time da maior e mais badalada agência da alta sociedade carioca da década de 90: a equipe do Dj “Marcio Torres”.  E a estreia não poderia ser mais dramática:  pra quem gosta de roteiros de filme (risos): no Copacabana Palace! Pode parecer besteira, mas para um adolescente, entrar no Copa pela primeira vez para tocar com aquelas produções que eu nunca tinha visto, com toda pompa e circunstância que aquela época carregava, tradições e formalidades, fariam qualquer Dj tremer as pernas no início. E tremeram muito! Até começar a pista de dança! Foi então que na minha primeira noite fazendo um casamento no “templo” carioca dos high weddings, e pela primeira vez na agência número 1 do Rio – onde eu tinha obrigação de ser perfeito – que a festa durou 9 horas e terminou de manhã, com o salão ainda cheio, com cerca de 300 pessoas. Parecia filme! Acho que nunca mais vou esquecer aquela noite!

Misturar segmentos musicais da moda para um público jovem na boate era uma coisa relativamente simples. Fazer isso com três gerações diferentes na mesma pista de dança, com as mesmas músicas, ao mesmo tempo, junto com aquela atmosfera colossal, que mais pareciam os bailes de Veneza dos filmes, me fizeram ter certeza de que eu iria trabalhar no mercado de casamentos por um longo período.

AGENDA PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS

Os noivos devem entrar em contato do restaurante onde o pedido de casamento foi feito (risos). Logo depois do “sim, quero me casar e viver o resto da minha vida com você!”, beijem-se e liguem para o Dj em seguida! E não demorem! O casal da outra mesa também pode ter ficado noivo no mesmo dia e querer a mesma data que vocês!

A venda no segmento que envolve Dj mudou um pouquinho nos anos 2000 em relação aos 90, e mais um pouquinho na década de 2010. Mas continuam parecidas. Funcionam assim: Os serviços de agências de Dj vendem o “som” com Dj incluído e pacotes opcionais de iluminação. Era assim quando rabalhei no Marcio Torres, foi assim quando trabalhei na Rastropop. E essas agências sempre fizeram isso com perfeição e maestria – era um aula!

Minha relação com a noite e com as casas noturnas me “obrigam” a chegar diferente! Não somos uma empresa de sonorização e iluminação de festas. Somos uma “Label Management” de artistas e atrações nacionais e internacionais, que atuam em 5 mercados diferentes, que vieram dos “clubs” e foram treinados para atuar em casamentos. Com artistas que trouxemos de Ibiza, Las Vegas, Toronto, Buenos Aires, Napoli, com um perfil de atendimento, elaboração, execução, planejamento, atuação e pós-evento completamente diferentes de tudo o que eu tinha visto até hoje com os melhores – até porque, do jeito tradicional, os melhores são muito melhores! Então vendemos os artistas e montamos o lineup de cada festa/evento, com atrações que transformem a noite do cliente em uma verdadeira “casa noturna”, cheia de novidades “fora do cubo”. Pouca gente acredita quando digo que dentro do meu “staff” tem figurinista, fotógrafo, produtora de vídeo e até maquiador. Sim, temos figurinista e maquiador que trouxemos do maior Club de Ibiza! Nossa estrutura de profissionais é comparável à de grandes “clubs” e nos orgulhamos muito disso! E como a estrutura de som, luz e imagem, tinha de vir junto, montamos um mix de opções, todas reproduzindo a atmosfera dos maiores “clubs” do Brasil e do mundo, com elementos surpresa e novidades que não vimos nesse mercado nas últimas duas décadas e meia.

Não abrimos mão do impacto visual! Por menor que a festa seja em proporção e por mais apertado que seja o salão, vamos transformar em um “club”! Aqui, não vendemos Dj. Vendemos um show, com o artista sempre, sempre, sempre de frente para a pista de dança, pois nossa atuação é performática e extremamente interativa com o público. Aquela velha imagem do Dj de terno e grava apertando Play escondido atrás da planta, morreu! Ninguém aqui na “We” usa terno! Fazemos nossa apresentação sempre no meio do salão, colado na pista de dança. Centralizado e em cima do palco. Lugar de artista é no palco!

Não trabalhamos por hora. Buscamos bater recordes a todo fim de semana. Quanto maior a festa, melhor para nossos artistas! A média no último ano foi de 7 horas de pista por festa. E nosso casamento com mais horas de pista durou 10 horas. Vamos bater essa marca em 2016 certamente! Adoramos isso! Pois vira o clima dos “clubs”, com convidados indo embora de manhã, completamente acabados de tanto pular com os braços para o alto!

Cada festa tem uma cara, um lineup e um valor diferentes! A estrutura sempre será “fora do cubo”, mas com cada noite montada de um jeito. Por isso que a forma de cobrar também não é convencional.

Estamos chegando para acabar com essa história de que pista de dança em casamentos é “som, dj e luz e ponto final”. Os novos casais querem sentir que sua festa de casamento não vai ser tão previsível e eles já percebem isso em nosso primeiro orçamento.

Dj-Desouzart-We-Clubbing-dj-para-casamento-rio-de-janeiro

REUNIÕES

Quantas vezes forem necessárias para fechar o lineup com todos os artistas envolvidos na produção de palco e um briefing do perfil dos noivos. Para “brifar”, basta uma conversa sobre preferências do casal.

ESTILO

Passei mais de 20 anos “bradando” aos clientes que Dj de casamento não tinha estilo. Que éramos um espelho da pista de dança, apenas reproduzíamos a conta básica de matemática, (que muito me incomodava), do perfil musical: “convidados” x “noivos”, divididos por 2, é igual a pista de casamento”. Não é bem assim que começamos a fazer aqui. Com a “We”, colocamos 2 artistas que saibam levar uma festa inteira tocando tudo, mas que tenham o perfil mais próximo ao que os noivos se identificam musicalmente – sempre com a preocupação de não cair nos “clichês originais”. Tocar clichê por que eles “garantem” a pista cheia é preguiça de fazer algo com um nível musical mais alto. Tocamos músicas conhecidas a noite inteira também, mas sem “apelar” para coisas que ninguém aguenta mais ouvir. Simplificando: fazemos versões novas de música na hora, ao vivo!

DICA DO DJ

Essas duas dicas sobre pista de dança valem outro milhão de euros! Noivos,  anotem aí: 1º, durante sete das seis horas de sua festa, ou oito das sete horas, mais ou menos 90% de seus convidados estarão amontoados em um quadrado de 5 por 5 metros. Eles NÃO estarão lá degustando um “chá das cinco” na varando do jardim; NÃO estarão lá sentados em um clube de leitura recitando poesias enquanto os passarinhos cantam; 370 de seus 400 convidados (550 dos 600 e por ai vai) estarão dividindo a felicidade da noite da vida” de vocês, pulando com os braços para o alto, gritando, cantando, levantando brindes, sorrindo pra fotos, dançando muito! E nessa hora, você precisa pensar no que eles vão precisar ali perto, em frente, e em volta deles durante todas essas horas seguidas! Se o nome desse “espaço” é “pista de dança”, suas atrações musicais e artísticas devem estar DE FRENTE PARA A PISTA  e em cima de um palco, que assim todos vão conseguir ver o que ou quem está fazendo aquilo tudo “pegar fogo”. Isso é determinante para o sucesso de seu evento!

E em 2º lugar e não menos importante: lugar claro não combina com pista de dança, por isso evitem a claridade perto dela. Qualquer efeito visual usado nos shows de seus Djs e/ou artistas precisa de ambiente escuro para funcionar.

5 MÚSICAS QUE VÃO BOMBAR NOS CASAMENTOS EM 2016 

  1. Lost Frequencies – Reality
  2. Major Lazer & Dj Snake – Lean On
  3. The Wekend – Can’t feel my Face
  4. Avicii – Waiting for Love
  5. OMI – Cheerleader (Symphony One We Mix)

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Uma sagitariana que tem a alegria como dom. É carioca, jornalista, tem 20 poucos anos e adora ser chamada de Duda. Como uma amante incurável de sorrisos e amores, espera que seu grande dia seja repleto deles. E que, assim como ela, você se torne uma multiplicadora fiel dessa dupla!