Missão vestido de noiva: o caminho até o dream dress

Por  |  0 Comentários


Convocamos noivas e seus respectivos estilistas para nos contar como foi todo o processo desde as inspirações até a entrega do vestido. Não vai perder essa, hein!

Não tem jeito, nos preparativos do casamento, é quase unânime o brilho nos olhos que o vestido de noiva causa. São meses de dedicação da estilista para executá-lo e também da noiva, que se perde entre referências e inspirações para encontrar o seu dream dress. São muitas as provas e reuniões para encontrar o resultado perfeito, mas no fim das contas, ao subir ao altar, todo o caminho vale a pena. Para provar nossa teoria de que essa é uma das partes favoritas para o profissional e para a cliente, convocamos um time que representa os dois lados da moeda, para te contar como foi o processo de confecção dos vestidos de algumas das nossas noivas inesquecíveis. Vem com a gente!

CAROL HUNGRIA & KARINA CRUZ

A Karina veio com várias referências de vestido, ela trouxe muitas imagens, e como ela é modelo e lida muito com moda, ela tinha muito na cabeça que queria usar algo muito diferente. Sendo assim, ela trouxe referências de decote nas costas, de modelagens semi sereia, de uma gola mais alta, de uma manga com uma ponta estilo flare, e do ombro vazado. No momento do atendimento eu fui unindo um pouco todas as expectativas dela para reunir em um modelo só. A ideia era fazermos algo diferente também com os tecidos, então além da modelagem ser diferente, o desafio era trabalhá-los de uma forma bem inusitada.
O primeiro atendimento da Karina foi em fevereiro e o casamento em setembro, ou seja, tivemos 7 meses de confecção para o vestido. Fizemos em média umas 5 provas durante o processo. Com o biotipo dela eu não tive muito problema de adaptação porque a Karina tem um corpo muito fácil de trabalhar. Ela é magra, esguia, tem um busto super encaixadinho, uma cintura marcada, então qualquer modelo realmente ficaria bacana nela.

No nosso primeiro encontro começamos com 3 rendas e na hora da prova trabalhamos outros detalhes para deixar o vestido dela ainda mais rico. Ao final, o vestido tinha 7 tipos diferentes. Trabalhamos com tule francês, tule telado francês, mistura de 7 rendas francesas, um forro de tule ilusion e uma super estrutura interna para deixar o modelo super empinado e valorizando o corpo. Todas as rendas que usamos no vestido dela eram francesas, algumas exclusivas aqui do atelier, e o tule telado xadrez, que também é exclusivo nosso. Esse último, mando fazer na fábrica de renda francesa exclusivamente para o atelier, e usar no vestido da Karina foi muito bacana porque teve uma super repercussão. Até hoje as pessoas me mostram o vestido dela como referência e amam esse tule.

Ao longo do processo de produção as alterações foram acontecendo naturalmente. Vazamos mais o ombro, decotamos mais as costas, incluímos mais camadas de tule na saia para que ela ficasse um pouquinho mais armada e com um pouco menos de transparência, já que o vestido dela era totalmente transparente e não queríamos tanto a silhueta da perna aparecendo.Foram mais sutilezas para que o vestido ficasse realmente mais perfeito e elaborado, e mais ainda o estilo dela. (Carol Hungria)

Vestido de noiva da Karina Cruz por Carol Hungria - Foto Juliana Kneipp Fotografia e Maria Toscano


O VESTIDO DE KARINA FOI ELEITO O MAIS BONITO DE 2017 NA CELEBRAÇÃO DOS 15 ANOS DA IC. VEJA SÓ!


Antes da primeira visita eu queria um vestido de renda, ombro a ombro que valorizasse meu corpo mas fosse diferente de tudo que eu já tinha visto. Já tinha algumas ideias na cabeça, como trabalhar o xadrez e texturas. Aí tivemos a primeira reunião onde a Carol me mostrou todas as rendas que ela tinha e o tule no desenho xadrez, começamos o desenho e ela também me falou que poderíamos trabalhar com o bordado. Durante o processo fizemos várias modificações em relação ao original. Fomos trabalhando as texturas e aplicações, usamos sete rendas diferentes… A cada reunião acrescentamos coisas que tinham a ver comigo. Percebi que eu não queria mais usar um modelo ombro a ombro, então mudei para um vestido mais clássico em cima, com gola fechada, e também abrimos mais as mangas. O mais legal de construir o vestido com a estilista durante todo o processo é você receber um vestido totalmente personalizado, que tenha a sua identidade. Quando eu provei o vestido na hora da entrega me senti realizada! Me apaixonei porque ficou a minha cara e me surpreendeu. Sempre valorizei os estilistas flexíveis, que tem sensibilidade na hora de lidar com uma noiva e a Carol é maravilhosa nesse sentido. É fundamental ter confiança no estilista e também provar modelos diferentes para entender o que funciona para o seu corpo.(Karina Cruz)

GLORINHA PIRES REBELO & LARISSA GONTIJO


A Larissa queria desde o início um vestido leve, já que ela casou na Serra, às 16hrs. Como ela já tinha uma ideia definida, apenas dei alguns toques, como por exemplo, ao invés da renda aplicada, sugeri que fosse usada em terceira dimensão. Para confeccioná-lo utilizamos tule francês aplicado com renda francesa. Ficou pronto em oito meses e foram necessárias seis provas para ficar do jeito que ela queria. Durante todo esse processo, a única alteração que ela pediu foi o aumento do volume da saia. (Glorinha Pires Rebelo)

Vestido de noiva da Larissa Gontijo por Glorinha Pires Rebelo - Foto Rodrigo SackNa época do casamento já tinha um modelo fechado na minha cabeça de acordo com o meu gosto e o local do casamento, na Serra, de dia. Cheguei a visitar várias estilistas e acabei ficando com a Glorinha. Ela foi um amor comigo desde o início e fez não só o meu vestido como o da minha família toda.

Ela captou certinho o conceito do vestido e me apresentou opções de tecido que gostei muito. Me identifiquei muito com a pessoa dela. É aquela coisa que tem que bater, sabe? Ela teve muito carinho comigo. Criamos um laço de amizade até hoje. Indico muito o trabalho dela! Me entregou o vestido exatamente como eu queria e o clima das provas era muito gostoso. O casamento é um processo, a festa acaba sendo o resultado daquilo tudo mas todas as etapas devem ser aproveitadas. Apesar de eu já ter o vestido em mente e ter mantido minha ideia inicial, a maior dica para as noivas era seguir o coração, o que você realmente quer, acima de tudo deve vestir o que se sente bem e que sempre sonhou. (Larissa Gontijo)

CARLOS BACCHI & NICOLE GUERRA

A Nicole já sabia bem o estilo de vestido que queria. A primeira ideia era a silhueta, já formatada em um estilo sereia bem marcante. O corpo dela já favorecia este tipo de modelo. O maior desafio no meu ponto de vista foi que, em decorrência da altura do noivo, não podíamos abusar de um super salto. Isso modificou as alturas dos recortes, principalmente do volume da saia. Quanto ao restante do modelo escolhido, cabia perfeitamente para o biotipo dela.No corpo usamos um crepe misto que continha 7% de elastano, o que ajudou muito a tornar o vestido super modelado em algo confortável. Na saia, muitas camadas de tule francês com acabamentos em crinol. Os bordados foram desenvolvidos em cristais austríacos e tchecos, pérolas e vidrilhos. Fizemos muitas provas e ajustes para o modelo ficar perfeito. Como somos amigos de longa data, o desenvolvimento do vestido começou cedo, quase dois anos antes do casamento em um cafézinho de final de semana.Tivemos em torno de 10 provas durante todo este período de tempo. Ela não me pediu nenhuma alteração durante o processo. A Nick sempre me deixou à vontade para escolher tudo sobre o vestido. Materiais, bordados, se teríamos renda ou não, foi uma construção que deixamos rolar. Claro que o prazo estendido foi imprescindível para que pudéssemos testar várias coisas e definir aos poucos o que gostávamos. Mas de certa maneira, ela chegou com a referência de silhueta e eu sugeri os elementos de corte e adornos.(Carlos Bacchi Atelier)

Vestido de noiva da Nicole Guerra por Carlos Bacchi Atelier - Foto Lucas LermenDesde o início eu já tinha bem definido o modelo do vestido, porém não tinha ideia de como ele poderia ser feito para fugir do vestido de noiva tradicional, todo de renda. Quando conversei com o Carlos, ele não só topou meu modelo como amadureceu e engrandeceu minha ideia, confeccionando um vestido surreal! Durante o processo, me mantive firme em alguns pontos, como o modelo sereia e a questão de não ter rendas, o resto ficou por conta dele. Quando recebi era muito melhor do que imaginava. Na verdade nem em sonho conseguia imaginar meu vestido daquele jeito! Indico mil vezes o trabalho dele, pois além de ele respeitar nossas ideias e trabalhar em cima do que a noiva sonha, ele tem talento e sensibilidade de sobra. (Nicole Guerra)

STELLA FISCHER & KEYLA LOPES

A Keyla é uma noiva de academia, com o corpo bem definido. Então a maior preocupação dela era que realçasse a silhueta. Fomos criando, ela foi provando e fazendo modificações no corpo, tirando e acrescentando rendas.  A primeira coisa que elas provam é a estrutura de baixo e um vestido de tule sem nada e depois vamos colocando a renda no corpo.

Como a Keyla não queria que eu cobrisse muito, abusei do decote e ela ficou essa noiva deslumbrante. Usei zibeline de seda pura para o forro, renda francesa recortada e aplicada pedaço por pedaço para não mostrar costura nenhuma. A zibeline é uma exigência minha que deixa o caimento perfeito no corpo. Daí começo a preparar a renda da cliente. Usei umas seis rendas. Levo em torno de seis meses para confeccionar meus vestidos. De cinco a vinte provas, dependendo da noiva. Ela não pediu muitas alterações porque fomos encaminhando o vestido ao longo das provas. (Stella Fischer)

Vestido de noiva da Keyla Lopes por Stella Fischer- Foto Demetrius BorgesAntes da primeira visita estava bem confusa e indecisa, então fui a uma loja de primeiro aluguel e experimentei os modelos que pensava em usar. Quando fui até o ateliê da Stella Fischer já sabia o que eu queria e deixei os detalhes por conta dela. O resultado foi incrível! Ela já me conhecia bem e no fundo parecia já saber minha escolha. Minhas únicas dúvidas foram em relação ao tipo de decote na frente (acabei escolhendo um decote em V que valoriza bem o colo) e altura do decote das costas (antes do meio das costas). Quando recebi era muito melhor do que imaginava!

A Stella tem mãos de fada,então indico muito o trabalho dela. Nunca vi um caimento como o que os vestidos dela têm, sem contar com o seu perfeccionismo incansável. (Keyla Lopes)

MARIA VIRGÍNIA & LAYS ARAGÃO

Ela estava em dúvida entre um vestido sereia e princesa. Como ela tem um tipo físico que ajuda muito, mignon e delicada, com cintura fina, medidas superproporcionais, pudemos transitar nos dois mundos. Escolhemos o modelo sereia para ela aproveitar bastante a festa mas ela entrou como princesa, já que fizemos uma saia removível. Primeiro pensamos em uma que não tivesse tanta renda porque o sereia dela era todo rendado, bordado em cristais, com aplicações de renda florida em cima do mesmo material inspirado em medalhões, então criei uma renda especialmente para ela. Escolhemos fazer uma saia de organza onde essas flores seriam aplicadas. Depois acabamos pensando que essa parte ficaria “pobre” comparada ao resto do vestido que tinha bastante brilho então fiz a surpresa pra ela de fazer a saia também de renda, também bordada como o vestido. Foi até uma proposta arrojada da minha parte, porque ela poderia não ter gostado, mas ficou perfeito! Muita gente achou que ela tinha mudado de roupa, não deu para perceber que a saia ia ser tirada. Foi extremamente prazeroso trabalhar com ela! ()

Vestido de noiva da Lays Aragão por  - Foto Monjardim Noleto


#NOIVADACAPA: LAYS ESTAMPOU A CAPA DA IC BSB 23: VEM VER!


Nos primeiros dias como noiva, eu ficava confusa com tanto modelo que olhava. Eu sempre quis usar o modelo princesa em meu casamento, mas tinha receio que ele me “atrapalhasse” no momento da recepção dificultando na hora de dançar. Então estava meio balançada se realmente eu queria o modelo princesa ou sereia. Quando cheguei no ateliê da ela me mostrou que era possível fazer os dois modelos em um só, e então a minha dúvida inicial em fazer um ou outro acabou. Ela sempre me deixou muito segura da ideia inicial. Por mais que às vezes desse frio na barriga, sempre tive certeza que ficaria maravilhoso. Quando recebi foi muito melhor do que eu imaginei! Na verdade, ela fez uma surpresa, pois a saia removível ficou com os bordados um pouco diferentes do que tínhamos combinado. O modelo inicial tinha apenas alguns bordados descendo. No dia da prova final da peça a me deixou vendada e me produziu toda e quando abri meu olhos e olhei a saia, fiquei impressionada porque estava bordada por inteira de cristais. Ela é diferenciada! Um dos fatores que me fez escolhê-la foi que na minha primeira ida ao ateliê eu já fui tratada como princesa, sem ao menos ela saber se eu realmente iria ou não fechar com ela. Quando cheguei, ela chamou a Jú, uma das incríveis funcionárias, que perguntou como eu queria meu cabelo e qual a ideia que eu queria para as jóias. Ela fez exatamente o penteado como eu gostaria e já me colocou com as jóias. Depois disso fomos experimentar os vestidos para ver como ficaria o caimento dos modelos que tinha em mente. É importante que você se sinta muito à vontade com sua estilista, pois você deve falar exatamente o que você quer e como você quer para não correr o risco de se decepcionar na véspera do casamento. (Lays Aragão)

MORENA ANDRADE & TINA CATELLANI

A ideia dela era um vestido bem leve e campestre. Queria algo confortável e fresco. Analisei com ela o biotipo, onde ela queria valorizar, algo que criasse uma cintura e modelasse o corpo. Trabalhamos com um corpete estruturado, saia fluida, usei um cetim bem molinho pra o forro, depois vieram duas camadas de tule onde aplicamos a renda chantilly, para não ficar pesado. No todo, compôs muito bem porque ficou leve e a cara do casamento diurno. Levamos 5 meses que dividimos de três a quatro provas para acertar o vestido. No final apenas achamos necessário colocar um pouco de ponto de luz na parte de cima do vestido e finalizamos! (Morena Andrade Atelier)

Vestido de noiva da Tina Catellani por Morena Andrade- Foto Muniz e MaiaCom o tempo e o decorrer dos preparativos eu me apaixonei por um modelo que tinha visto na internet e sabia que seria ele! Fiz tudo diferente do que uma noiva costuma fazer. Coloquei a mão na massa para o organizar o casamento e com o vestido não seria diferente. Fiz questão de eu mesma escolher o tecido e a renda, mesmo sem ter conversado com a estilista, mas depois percebi que o modelo escolhido não favorecia o meu corpo. Por eu ter um corpo mais gordinho, ele não iria valorizar toda a minha beleza. Então decidimos mudar algumas coisas para me favorecer e no final acabei gostando do modelo que ela desenhou na minha primeira visita. Fiquei emocionada e muito feliz. Saí de lá com uma paz interior e uma enorme segurança de que ela era a pessoa certa para fazer o meu vestido. A Morena sempre nos deixa super à vontade para falar o que quer no vestido e nas provas para mudar ou acrescentar. Ela sempre foi muito solicita, carinhosa e atenciosa. Tem uma equipe que sempre ajuda as noivas com o mesmo carinho que ela. Achei isso fundamental neste etapa do casamento. Quando chega o momento de decidir e até mesmo de provar a noiva já está com mil coisas na cabeça e com o emocional muito sensível. Quando recebi, ficou muito melhor do que imaginava! Já sonho com minha renovação de votos para fazer outro vestido com ela. (Tina Catellani)


CRÉDITOS

1, 10, 11, 12, 13 e 14 – Lucas Lermen  |  2 a 5 – Juliana Kneipp Fotografia e Maria Toscano  |  6 a 9 – Rodrigo Sack  |  15 a 19 – Demetrius Borges  |  20 a 24 – Monjardim Noleto  |  25 a 28 – Muniz e Maia

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Canceriana que se apaixona facilmente por pessoas e lugares. Seu sobrenome não poderia descrever melhor o que a motiva. Romântica incurável por um acaso da astrologia, sonha desde criança com seu vestido de princesa, cerimônia no campo e o que o destino lhe reserva.