Baixe
GRÁTIS
o seu
eBook!
x

Regras de etiqueta fundamentais na hora de enviar os convites

Por  |  0 Comentários


Fazer convite de casamento exige alguns cuidados e sempre gera muitas dúvidas. Veja aqui como se sair bem quando o assunto é etiqueta!

É bem verdade que os protocolos envolvendo os casamentos estão, cada vez mais, caindo por terra. Ainda assim, certas regras se fazem necessárias para não pecar quando o assunto é elegância – principalmente no momento de convidar seus amigos e familiares.

E como dica boa é dica dada por quem entende do assunto, reunimos alguns truques de ouro que as meninas da ensinaram à sua primeira turma de alunos da Academia Inesquecível. Vamos lá?!

1. NA MAIORIA DOS CASOS, O CONVITE VALE PARA DUAS PESSOAS

Afinal, é muito difícil que alguém vá sozinho à uma festa de casamento. Mas é claro que toda regra tem sua exceção!

Durante o curso, as cerimonialistas contaram que já tiveram noivas que não estenderam o convite de algumas pessoas a acompanhantes porque sabiam que elas não ficariam deslocadas durante o evento.

Tudo deve ser analisado caso a caso, de acordo com o perfil do casal e de seus convidados.

2. ALGUNS TERMOS ESTÃO PROIBIDOS!

Já caiu em desuso chamar mulheres solteiras de senhorita; por isso, corra da nomenclatura e enderece os convites a elas diretamente por seus nomes.

Os complementos “e acompanhante”, “e marido” e suas variações também devem ser esquecidos. É de bom tom saber o nome correto de quem vai acompanhar o seu convidado à festa.

Convenhamos: não dá muito trabalho e faz a diferença para quem está sendo convidado!

3. O NOME DO HOMEM NÃO DEVE SEMPRE VIR NA FRENTE

A regra é clara: se você vai convidar Fulana e Ciclano, o primeiro nome deve ser daquele que é mais amigo do casal.

Nada de se render ao machismo e achar que o nome dele vem primeiro, combinado?

Até porque há muitos casais de pessoas do mesmo sexo, para os quais essa regra não se aplicaria. Ou seja: sempre tem preferência quem for mais próximo dos donos da festa!

4. O “E FAMÍLIA” TEM SUAS LIMITAÇÕES

De acordo com a , só vale usar esse artifício quando todos moram na mesma casa. Isso significa que, se você vai convidar os seus tios e um dos primos já mora sozinho, o ideal é ele receber um convite separado.

5. O RSVP TAMBÉM NÃO É INFALÍVEL!

Sem minimizar a importância desse serviço de checagem das presenças, as profissionais contaram que preferem trabalhar com a porcentagem de quebra (que costuma girar em torno dos 30%).

6. ALGUNS CONVITES DEVEM SER ENTREGUES EM MÃOS

Gizella recomendou que ao menos o convite dos padrinhos e de pessoas especiais, como os avós, seja entregue em mãos. Caso seja possível investir em um formato diferenciado, com alguma lembrancinha, elas também recomendam. “Se são pessoas importantes para vocês, façam alguma coisa especial”, opinou.

AGORA, ALGUMAS DICAS AOS FORNECEDORES:

É importante checar duplicidades na lista de convidados, principalmente quando a pessoa tem mais de um sobrenome

Uma lista bem feita, revista e atualizada minimiza custos, principalmente porque não haverá idas e vindas com o motoboy

Na planilha da também há um campo especificando a forma de entrega de cada convite: pelos Correios, motoboy, em mãos (de quem!) etc. Isso facilita o rastreio e divisão de responsabilidades

 Também é legal exigir a assinatura de quem recebeu o material, assim você se blinda de imprevistos

Confiar na empresa que presta serviços de motoboy para a sua empresa também é essencial, pois a emissão de protocolos falsos é menos rara do que se imagina.

“Nós trabalhamos com a mesma empresa há mais de dez anos e, quando a noiva pede para usar o serviço de alguém que ela conhece, a gente deixa claro que não se responsabiliza. Esse é um fornecedor que temos muito medo de mudar”, contou Edda

E aí, já estão se sentindo mais seguros para fazer convite de casamento? Deixem suas dúvidas nos comentários!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


ic indica

avatar

Nascida em Minas, criada em Recife e apaixonada pelo Rio. Viajar o mundo é seu sonho, o que torna luas de mel e destination weddings um caso de amor à parte. Escolheu o jornalismo pela inquietante vontade de transformar em palavras histórias que mereçam ser contadas.