Escolha dos padrinhos e madrinhas

Por  |  1 Comentário


Pode tudo, desde que seja com bom senso, claro! Falamos com quem entende do assunto e também com quem já teve as mesmas dúvidas para acabar com as suas angústias.

Esse assunto divide opiniões. Afinal, não existe uma regra para o número de padrinhos e madrinhas. Antes de tudo, é preciso usar o bom senso e pensar na importância de cada um na vida do casal. Nada de um exército de casais nem economizar demais! Para lhe ajudar a resolver esse dilema, veja o bate-papo com a cerimonialista Gabriela Carvalho Dias, da , e as dicas de três noivas, que já passaram por essa situação. Fique ligada!

Padrinhos e madrinhas - Foto Gabriel Habibi

O QUE A NOIVA DEVE CONSIDERAR AO ESCOLHER OS PADRINHOS?

Lela: Primeiramente, verifique a capacidade do local da cerimônia para que o altar não fique apertado nem vazio demais. Pense na quantidade de amigos do casal e veja quem de fato merece um convite tão importante. Escolher apenas familiares pode ser uma alternativa para não criar inimizades

QUANTO TEMPO DE ANTECEDÊNCIA E COMO DEVE SER FEITO O CONVITE?

Organize um jantar, pelo menos seis meses antes do casamento, para oficializar o convite. Se quiser, pode dar uma lembrança para padrinhos em sinal de agradecimento.

O QUE ACHA DE MUITOS PADRINHOS?

Não sou contra. Eles tornam a festa mais animada! Fica mais complicado organizar o cortejo, mas esse é um problema do cerimonialista.

 E SE NÃO FOR POSSÍVEL CONVIDAR TODAS AS PESSOAS DE UM MESMO CÍRCULO DE CONVIVÊNCIA, COMO AMIGAS DE INFÂNCIA, POR EXEMPLO?

Tive uma noiva que conversou com as amigas e fez uma votação entre elas para que uma representasse o grupo. Ótima a ideia!


Leia mais

Fotos criativas para tirar com madrinhas e padrinhos

bg-divisoria

Para não errar: lembrança para padrinhos

bg-divisoria

10 mandamentos da madrinha perfeita


Padrinhos e madrinhas - Foto Renata Xavier

#1: ESQUEÇA AS REGRAS!

“A escolha dos padrinhos, como todos os momentos do casamento, não pode ser nenhum sofrimento. Por isso, minha dica é não se prender a números limites ou qualquer “regra” que lhe digam. Nós escolhemos pessoas especiais para nós e seria impensável deixar qualquer um deles de fora deste grupo, e o “critério” básico era optar por pessoas que sabíamos que nos queriam muito bem e torciam pela nossa felicidade, ou seja: eram todos padrinhos do casal, importantes para ambos – pessoas que temos muita intimidade e que sabemos que vão sempre estar presentes em nossas vidas.

Tivemos muitos momentos e encontros que antecederam o casamento com os padrinhos e famílias e todos foram muito especiais e divertidos! Convidamos cada padrinho e madrinha (ou casal) separadamente, pois queríamos surpreendê-los e ter um momento especial com cada um. Com todas decisões e correrias do casamento, algumas pessoas acabam esquecendo o real sentido deste momento. Portanto, minha dica não é escolher muitos ou poucos casais, mas sim escolher todos que o coração do casal achar certo.” Ana Colnaghi

Padrinhos e madrinhas - Foto Everton Rosa

#2: SE TIVER QUE DEIXAR ALGUÉM DE FORA…

“Eu e meu noivo temos muitos amigos e queríamos que todos tivessem uma participação importante. Entendíamos que isso fazia toda a diferença para unirmos ainda mais os laços de amizade, já que eles teriam uma participação única no dia do casamento e também nos preparativos.

No nosso caso, a igreja era grande e permitia acomodar uma quantidade razoável de padrinhos madrinhas. Há locais que limitam – seja pela falta de espaço ou pelo perfil da cerimônia.

Nesse caso, vale conversar com as pessoas que os noivos eventualmente convidariam e explicar porquê não houve o convite. Isso evita qualquer mal entendido entre os amigos e deixa claro que a decisão muitas vezes é em função das restrições do local ou da cerimônia, e não da vontade do casal.” Constança Bessa

Padrinhos e madrinhas - Foto Jann La Pointe Photography

#3: PELO BEM GERAL DA NAÇÃO!

“Casar em casa nos possibilitou um exercício de fazer escolhas, começando pela lista de convidados e terminando na escolha dos padrinhos. Não fazia sentido termos uma festa para 130 pessoas e metade da festa ser padrinho, por isso, tentamos pensar em um número equilibrado. Optamos pelo estilo americano: eu teria três madrinhas e o noivo o mesmo número de padrinhos. Nossa escolha também ajudou num problema recorrente: transformar aquela “nova(o) namorada(o) do amigo(a)” em seu padrinho ou madrinha e, depois de seis meses, nunca mais ver a pessoa, por exemplo.

Selecionamos pessoas do mesmo grupo de convivência, que fossem amigas umas das outras. Abri mão de ter aquela amiga de infância ou do trabalho por um bem maior: ter um clima de total harmonia e intimidade, tanto das madrinhas comigo quanto entre elas. Isso fez muita diferença. Possibilitou uma melhor comunicação durante os preparativos, elas puderam tomar decisões em grupo sem precisar me consultar o tempo todo (o que pra noiva, é valioso!) e o clima, enquanto a gente se arrumava, foi maravilhoso” Cibele Martins

Padrinhos e madrinhas - Foto Claudia Ruiz

Gostou das nossas dicas sobre a escolha dos padrinhos? Aproveite e conheça nosso Guia de Fornecedores? Veja quem são os profissionais mais indicados pela Inesquecível Casamento e acerte na escolha!


CRÉDITOS

1. Gabriel Habibi  |  2. Renata Xavier  |  3. Everton Rosa  |  4. Jann La Pointe Photography  |  5. Claudia Ruiz

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


ic indica