Casamento com um estrangeiro

Por  |  0 Comentários


O casamento com um estrangeiro pode não ser tão simples quanto o amor que surgiu entre ambos. Há algumas burocracias a serem resolvidas, antes de dar entrada no casamento civil e é preciso uma boa pesquisa para não fazer feio na cerimônia!

Encontrar o grande amor nem sempre é fácil, ás vezes ele está do outro lado do mundo e por um acaso da vida, vocês se esbarram e se apaixonam. O casamento com um estrangeiro é bastante comum no Brasil, país que recebe tantos turistas e com várias empresas multinacionais. Mas mesmo que os sentimentos sejam profundos e tudo pareça fácil pelo amor, não é tão tranquilo assim formalizar uma união com uma pessoa de outro país e cultura.

Além de uma série de documentações diferentes, há tradições e costumes a serem conhecidos, para evitar cometer gafes e tornar a cerimônia perfeita para ambos e não só para uma das partes. Outro ponto importante e complexo é unir as famílias e amigos mais próximos de quem é de outro país. O custo pode ser alto e é preciso estar preparado para as surpresas que podem surgir com um casamento com um estrangeiro.

Foto Marcio Monteiro

Rompendo as fronteiras

Se para um casal formado por pessoas de Estados diferentes já há muito o que conhecer de sua cultura e histórias de vida, para um casal de nacionalidade distintas é ainda mais especial. Esse pode ser um ótimo motivo para que a vida a dois nunca caia na rotina. Afinal, histórias não faltarão para contar, além da oportunidade de ver a cidade sob outro ponto de vista, o de alguém que está conhecendo tudo pela primeira vez.

Como provavelmente cada um tem um idioma nativo, é uma ótima oportunidade de ambos treinarem diariamente a língua do outro. Mesmo que o noivo, por exemplo, esteja morando no Brasil e no seu dia a dia seja obrigado a falar português, em casa ele pode ficar a vontade em falar sua língua natal e ajudar sua noiva e ter fluência no idioma. Ela também pode corrigir erros pontuais de português e melhorar a pronúncia das palavras. Se o casal tiver filhos, poderão ensiná-los desde cedo os dois idiomas dos país.

Para a realização da cerimônia, é preciso buscar mais informações sobre a cultura do estrangeiro, para evitar gafes. Há muitas situações que para o brasileiro são positivas e em outros países serem vistas como ofensivas. Detalhes na decoração, nos pratos e bebidas a serem serviços, assim as palavras que serão utilizadas nos votos. A cerimonialista poderá ajudar nesse processo, para que tudo saia harmonioso e emocionante.

É bem provável que os dois precisem abrir mão de alguns desejos para o evento de casamento, para evitar causar algum mal estar no outro. A parte da cerimônia é a mais crítica, já que o ritual pode ser muito diferente entre os países, sendo necessário muitas conversas e pesquisas antes de definir o que acontecerá nesse momento e a forma como o casamento será conduzido.

Pode ser uma bela homenagem aproveitar a temática do país do noivo, para a decoração. Detalhes da cultura, cores, sabores e o odores podem ser explorados para lembrar o país de origem, seja em qual continente ele for. O menu pode ser escrito nas duas línguas, assim como outras informações escritas. O importante é que seja equilibrado com o conjunto da festa e bem pensado para não errar na proposta.

Algumas páginas de casamento oferecem listas de presentes acessíveis para pessoas de outros países, que podem comprar online e direcionar para que o produto adquirido seja enviado para a casa dos noivos.

Se a família estrangeira virá para o casamento, é preciso uma atenção ainda mais especial para ela. Afinal, além de serem novos elementos a serem inseridos na vida a dois, também podem ser assustar com atitudes e palavras locais. Países que consideram a vaca sagrada, fazem com que sua população em média se sinta ofendida de ver pessoas comendo carne, por exemplo. Cuidado com gírias e comportamento muito radicais, que podem ajudar a evento num transtorno.

Foto Wolmer Faria Fotografia

Documentação exigida para casamentos no civil

Infelizmente, há burocracias para um estrangeiro se casar com uma brasileira. Mas nada que seja tão complexo que atrapalhe a formalização do casamento. Antes de mais nada, os documentos devem estar traduzidos por um tradutor juramentado, atendendo a Convenção de Haia, que permite que os documentos públicos estrangeiros sejam legalizados em escritórios autorizados, como é o caso dos cartórios. Essa medida libera da obrigatoriedade de formalizar apenas em embaixadas e consulados.

Para ajudar, listamos abaixo tudo que é exigido pelo cartório, para que já comecem a pensar nos documentos:

Se for solteiro:

– Certidão de nascimento original, com selo do consulado do país de origem;

– Comprovante de endereço no Brasil;

– Passaporte;

– Certidão de antecedentes criminais no país de origem;

– Certidão de antecedentes criminais no Brasil, feito pela Polícia Federal.

Divorciados:

Os mesmos documentos do solteiro, além da certidão de casamento averbada como divórcio ou acompanhada pela sentença, sempre com o selo do consulado. Os documentos são enviados para o Ministério Público e só depois é possível dar entrada nos trâmites do casamento.

Viúvos:

Os mesmos documentos de solteiro, mais a certidão de casamento e a certidão de óbito do cônjuge morto, com selo do consulado.

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr