Raio X do bolo de casamento

Por  |  0 Comentários


Texto: Amanda Reis e Giovanna Lisbôa

Com tantas opções de sabor, estilos e formatos é fácil ficar confusa na hora de escolher o seu bolo de casamento. Pensando nisso, fomos buscar com profissionais de Minas Gerais as respostas para as principais dúvidas das noivas. Confira!

Hoje ele é o centro das atenções da festa, mas nem sempre foi assim. Se voltarmos na história, a tradição do bolo de casamento nem sempre fez parte da cerimônia, e a comemoração era feita com pão de cevada. Em meados do século XVII, surgiu algo que se parece com o que conhecemos atualmente. Porém, a versão com muitos andares, texturas e mil e uma opções de confeitaria nasceu na Era Vitoriana (1837-1901) e, desde então conquistou o coração das noivas.

Como sempre damos aquela ajuda nos preparativos, mostramos o que é essencial em cada etapa da produção, do sabor ao design. No quesito quantidade, o cálculo deve respeitar a margem de um terço a metade dos convidados. Agora veja o que mais não pode faltar!

SABOR: HORA DE COMBINAR MASSA  E RECHEIO

Talvez seja a decisão mais importante a cerca do bolo de casamento. Além de bonito, é fundamental que ele seja gostoso e, claro, agrade os convidados. Para chegar ao paladar ideal, Elisa Castro Pâtissiére explica que massa e recheio devem se complementar. Mas como criar a combinação perfeita?

A massa é a base de tudo, por isso, a cake designer prefere usar a de pão de ló, chamada em inglês de sponge cake, pois, além de ser leve, absorve todos os sabores dos recheios. “Leveza é indispensável em qualquer bolo, porque como é um dos últimos itens a ser consumido na festa, o convidado já está saturado de comida”, ressalta.

Quanto ao recheio, Elisa é categórica: nozes e chocolate são os campeões entre os noivos.  A harmonização entre os dois forma um sabor difícil a ser superado, porque um é mais doce e o outro consegue suavizá-lo para que não se torne enjoativo.

Bolo de casamento por Elisa Castro Pâtissiére - Fotos Fernando Trancoso

BOLO FAKE: COMO E QUANDO USAR

Normalmente, o bolo fake é usado para preencher o cenário, ostentar milhares de andares e evitar acidentes. Para Beatriz, a peça é ideal para lugares muito movimentados, porque não corre risco de ninguém esbarrar e destruí-lo. Elisa enfatiza a importância de providenciarem o local para o corte simbólico, clássico em qualquer álbum de casamento. Já o bolo verdadeiro fica na cozinha e sai fatiado, pronto para servir aos convidados.

Bolo de casamento por Elisa Castro Pâtissiére - Fotos Divulgação

FORMATOS E ESTRUTURAS

Redondo, quadrado, hexagonal ou retangular. Para Beatriz, herdeira e empresária à frente da Dona Tereza Ateliê de Bolos, o formato do bolo é uma questão de gosto, e a escolha depende exclusivamente dos noivos. Isso porque ela não interfere em quase nada: rendimento, tamanho ou estrutura.

Dúvida? A matemática é simples. Normalmente, apenas um dos andares é comestível, enquanto os outros são feitos de uma estrutura de isopor. Ou seja, está liberado bolo gigante até para quem terá poucos convidados. Basta apenas caprichar nos andares fake.

Apesar de tanta liberdade, o bolo pode ter até formatos diferentes entre os andares segundo Beatriz, mas harmonia e equilíbrio não podem faltar. Entre os queridinhos das noivas, o favorito (e mais pedido) é o redondo com vários andares – leia-se pelo menos quatro.

                                                                                                                                                                                            Bolo de casamento por Dilene Confisserie - Fotos Leonardo Pedone e Divulgação

TOPO DE BOLO

Ele geralmente dá mais identidade ao bolo e diz muito sobre a personalidade do casal. Elisa explica que o topo de bolo é como um pêndulo da moda que vai e volta. Segundo a cake designer, atualmente ainda é usado, mas há uma tendência de substituí-lo por flores e outras peças. “Ele torna o bolo mais clássico e nem todas as noivas têm esse perfil”, explica.

Bolo de casamento por Elisa Castro Pâtissiére - Fotos Fernando Trancoso

COBERTURAS E CONFEITOS 

Mesmo quando o bolo é de mentira, tem uma coisa que é bem real: a confeitaria – responsável pela primeira impressão dos convidados. O fundamental a todas elas é a delicadeza, nas palavras da cake designer Dilene, há 21 anos no comando da Dilene Confisserie.

Técnicas não faltam para dar forma aos confeitos, podem ser flores de açúcar, texturas, pinturas em stencil, entre outras. Vale misturar e fazer diferentes combinações, Dilene apenas alerta para os excessos “o bolo pode ficar com muita informação perdendo o seu destaque”. Na hora de escolher, já se deve ter em mente o estilo da decoração do casamento, pois ambos devem estar em harmonia.

Carta na manga, a pasta americana é o ingrediente favorito da cake designer. “Amo trabalhar com pasta americana, pois com ela o confeiteiro pode fazer diversas decorações de bolo,” conta. E antes mesmo que você venha com aquela velha história de que ela pode atrapalhar o sabor do bolo, ela já revela seu segredo: nada de ingredientes prontos, ela fabrica sua própria pasta americana, mais saborosa e suave. Ou seja, não há contraindicações a não ser que sua intenção seja ter um bolo mais rústico. Nesse caso, aposte em outro tipo de acabamento.

E o naked cake? Não se deixe enganar! De nu ele só tem o nome. E apesar dele se referir à falta de cobertura, isso não significa (nem de longe) que o bolo não receba cuidados do confeiteiro. Para a apresentação estar impecável, a preocupação, segundo Dilene, deve ser com a estrutura e suavidade da massa. Já que ficarão expostas, elas não podem estar quebradiças ou ter rachaduras.

Bolo de casamento com rosas de açucar- Foto: Marcia Charnizon

TREND ALERT! VAI BOMBAR EM 2017

♥ Atemporal! O bolo redondo e com muitos andares é sempre atual e o preferido das clientes. Por mais que haja variações este sempre será um clássico! (Dona Tereza Ateliê de Bolos)

♥ Flower power! Flores de açúcar continuaram em alta. As favoritas são as peônias e orquídeas. (Dilene Confisserie)

♥ Reviravolta! Como os bolos lisos com flores coloridas estão em alta este ano, aposto no contrário para 2017: bolos mais confeitados nas laterais, com aplicações de rendas, por exemplo. (Elisa Castro)


CRÉDITOS

1. Divulgação e Leonardo Pedone Fotografia | 2 e 5. Fernando Trancoso | 3. Divulgação | 4. Leonardo Pedone Fotografia e Divulgação | 6. Marcia Charnizon

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


ic indica