Ana Foster Chocolates: la vie en douce

Por  |  0 Comentários


Ela tinha o queijo e a faca (ou melhor: chocolate e espátula) nas mãos – e fez disso a chave do seu sucesso. Conheça mais sobre a e todos os segredos para manter a serotonina dos clientes nas alturas!

Ana Foster - Foto João SalamoneAdicione uma colher generosa de talento nato, alguns anos do curso de nutrição e uma pitada de espírito empreendedor. Essa é a receita de sucesso de Ana Foster, que por trás de tantas outras, comanda hoje uma produção de aproximadamente 80 mil doces por mês. É que há mais de 10 anos lidera a marca que traz seu nome e gosta de estar (sempre) à frente das ideias quando falamos de texturas, sabores e visual dos docinhos. Ela também acredita que a dica preciosa é apostar na variedade e não abrir mão do equilíbrio entre brigadeiros, nutella, nozes e avelãs a tons cítricos e amargos em uma mesa de doces – principalmente a de casamentos, porque esses são os seus reais xodós.

Conversamos com a chocolatier e vocês conferem agora um resultado de encher os olhos, a boca e o coração!

  1. Conta pra gente um pouco mais a respeito da sua formação e trajetória profissional.

Sempre amei fazer doces, desde muito nova já me encantava pelos doces que minha mãe e minha bisavó faziam. Quando fiz 14 anos, comecei a vender brigadeiros no colégio e rapidamente virou um negócio e eu já aceitava encomendas de aniversários também. Quando prestei vestibular, escolhi a nutrição, que me ajudou no conhecimento dos alimentos, técnicas em higiene alimentar e controle de produção.

  1. Em que momento da sua vida você percebeu que queria aliar paixão/dom à profissão?

Desde muito nova já me via abrindo uma empresa de doces, só não imaginava que trabalharia com casamentos. Isso foi algo que a vida me levou, quando, na reta final da faculdade, algumas amigas iriam se casar e não abriram mão dos meus doces.

  1. Quanto aos conhecimentos adquiridos nesse curso de nutrição, como você aplica dentro da sua cozinha de doces?

A graduação me influenciou a abrir empresa logo, com alvará e tudo mais. Conhecia as normas, as legislações e também me fez querer uma cozinha industrial. Tudo como manda o manual!

 - Foto Marcelo de Mattos

  1. E como nasceu a marca ?

Comecei mais ou menos 10 anos atrás, fazendo doces e chocolates para casamentos, mas percebi logo que precisava me especializar e criar uma marca. Alguns meses depois, criei a . Sempre vi a marca e a qualidade dos produtos acima de tudo, e acredito que isso levou a empresa a crescer rápido: em pouco mais de dois anos, já tinha CNPJ e empresa estabelecida.

  1. O que diferencia a sua empresa das demais existentes no mercado?

Acredito que o fato de sempre ter visto a empresa como empresa. Então o atendimento ao cliente, abordagem e recepção sempre foram muito profissionais. Também sempre criei e inovei muito, porque gosto de estar à frente em ideias, texturas e visual dos docinhos.

  1. De onde surgem suas inspirações para sempre criar e apresentar produtos novos aos clientes?

Gosto de criar pensando em vários aspectos, como o visual, textura e sabor. Acho que para um doce ser perfeito deve englobar isso tudo. Utilizo ingredientes que ninguém conhece para trazer uma experiência nova para o cliente.

: doces finos para casamento - Foto João Salamonde

  1. Qual a maior vantagem em produzir doces? E desvantagem, existe alguma?

A maior vantagem é que você sempre deixa seu cliente com a serotonina alta, ou seja, sempre feliz! A desvantagem é que sempre tem alguém de dieta… (risos)

  1. A mesa de doces é praticamente uma atração nos eventos sociais. Qual é o maior desafio em trabalhar com eles, em especial com o chocolate?

O chocolate é um grande desafio. Tenho que mantê-los o tempo todo em temperatura igual ou inferior a 18º C, isso significa ar condicionados ligados full time e também possuir máquinas de reserva, porque se ficarem sem refrigeração, derretem. A logística de entrega também tem que ser estabelecida com antecedência, a fim de evitar qualquer tipo de acidentes.

#FICAADICA

Quantidade ideal para ter variedade nos sabores: 8 a 10 doces por convidado

Meses do ano mais concorridos: abril, maio, junho, julho, setembro, outubro e novembro.

Média de doces produzidos por mês:  80 mil

  1. Apesar de atender a todos os tipos de evento, dizem que os casamentos são o seu xodó. Por quê?

Adoro todos os tipos de eventos, mas amo fazer casamentos mesmo. Acho que é um sonho de duas famílias, são responsabilidades muito grandes envolvidas. Quer desafio maior que agradar o paladar de uma noiva?!

  1. A escolha do cardápio de doces deve contemplar o gosto dos noivos ou dos convidados? Por quê?

Os doces devem contemplar a todos, e de preferência, vir com plaquinhas indicativas. Assim agrada a todos e evita que um convidado coma algo que não goste. Ou pior: que seja alérgico.

: doces fit para casamento - Foto Divulgação

  1. Qual o segredo para acertar tanto nos sabores, quanto no cálculo dos quitutes? O que é relevante considerar?

Acho que tudo é relevante, por isso gosto de atender os clientes em cerca de uma hora e meia, para entender melhor os gostos dos noivos, familiares e amigos. Assim consigo dizer quais os doces terão mais apelo na festa.

  1. Como qualquer outro serviço, o orçamento dos clientes pode influenciar diretamente em suas escolhas. Dá pra fazer uma mesa bacana mesmo com o budget reduzido? Se sim, qual a principal dica?

Dá sim, pois oferecemos justamente uma linha mais em conta para os clientes que estão com o orçamento reduzido. Normalmente eles pegam a maioria desses doces e incluem uns cinco ou seis itens mais caros, só para dar um up na mesa.

  1. Quanto ao processo de produção que antecede o evento, como funciona?

O processo de produção começa duas semanas antes, separando os insumos que iremos utilizar. Também é preciso organizar o que cada funcionário irá produzir na semana da produção para que tudo fique pronto a tempo.

  1. O que não pode faltar em uma mesa de doces?

Brigadeiros, nutella, nozes e avelãs. Gosto também de ter tons cítricos e amargos.

TOP 5: OS MAIS PEDIDOS

Tartelete de physallis com cupuaçu

Ouriço de avelã com nutella

Docinho de creme bruleé

Cocadinha rendada

Docinho de cheesecake com geleia framboesa

  1. O que é está em alta e o que está em baixa em termos de doces (tanto sabor, quanto aparência) para o casamento?

Em alta estão os doces altos. As noivas também tem adorado itens que levam hastes e rendas. O que está em baixa são os doces fondados e caramelados, porque a maioria das pessoas não curte mais.

  1. Se você fosse a noiva, quais seriam as opções escolhidas para o grande dia?

A listagem seria extensa! Doces de nozes, avelãs, amêndoas, damasco e brigadeiros de todos os sabores possíveis. Também amo os petit verres de cheesecake, maracujá e limão e os itens da linha gourmet. E os chocolates teriam quase todas as torres.

  1. Quais são os projetos futuros para a marca ?

Meu sonho é ampliar a produção, pois hoje tenho limite de 30 mil doces por semana. E quem sabe até levar nossas delicias para outros estados!

UM DOCE POR ESTILO DE CASAMENTO

Clássico: toucinho do céu de forno rendado

Moderno: brownie com decoração e cobertura de doce de leite

Rústico-chique: hóstia de crisântemo com recheio de doce de coco queimado

Ao ar livre: ninho de nutella com pássaros

UM DOCE POR ESTAÇÃO DO ANO

Outono: tartelete de physallis com cupuaçu

Inverno: lolipop de noivinhos com recheio trufado

Primavera: cake de brownie branco com cobertura de limão e mini flores decorando

Verão: tartelete de morango

: doce para o verão - Foto Hanny Fotografia

TIRA-TEIMA:

Levar doce para casa: sempre

Incluir doces para dietas restritivas: sim! Temos a linha fit para isso

Copeiras de mesa: acho um ideia bem chique. Em outros estados é bem comum, mas aqui no Rio teríamos que criar esta cultura

Tags nos doces: sempre

Forminhas são essenciais: não


CRÉDITOS

1, 2, 4, 6, 7 e 8. João Salamonde | 3. Marcelo de Mattos | 5. Divulgação | 9. Hanny Fotografia

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someonePrint this pageBuffer this pageDigg thisShare on RedditShare on Tumblr


avatar

Uma sagitariana que tem a alegria como dom. É carioca, jornalista, tem 20 poucos anos e adora ser chamada de Duda. Como uma amante incurável de sorrisos e amores, espera que seu grande dia seja repleto deles. E que, assim como ela, você se torne uma multiplicadora fiel dessa dupla!